Desabafo


Um dia de angustia, indignação

Com o modo em que se vive

Nesse mundo cão.


Comer para quê?

Dormir para quê?

Lazer para quê?

Amar para quê?


O que importa é trabalhar,

É isso o que importa!

Feliz ou descontente

Com dor na barriga, ou nos dentes

É isso o que importa!


O mundo não para

Assim como a máquina

Que não se cansa, não sente, não ama

Mas nós, cansamos, sentimos, amamos...

E, também, quase nunca paramos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

[A BORBOLETA DE UMA ASA SÓ.].

Resenha sobre Monteiro Lobato