30 julho, 2005

Poesias...

Confira entrevista com o escritor e roteirista Fernando Bonassi no site do escritor Alessandro Buzo: www.suburbanoconvicto.blogger.com.br

Adeus
(Por Sérgio Vaz)

Faltam-me palavras
A lâmina do medo
Percorre minha garganta
Tenho medo de soprá-las
E manchar meu corpo de sangue
Com o veneno da minha calma.

Sigo sem nome.

Falta-me luz
A sombra em círculos
Rastreia meu caminho de pedras
Que se amontoam em minha frente.
Tenho medo de topa-las
No escuro do deserto
E cair em braços diferentes.

Sigo sem rumo.

Faltam-me gestos
O silêncio do corpo
Devora minha alma
E a calma se manifesta
Em braços pálidos
E em passos curtos.
Tenho receio de dançar
No sustenido mortal desta orquestra
Regida pelo labirinto da vida.

Sigo imóvel.

Falta-me alegria
O espinho das lágrimas
Espetam minha face
Falida de afagos,
E a adaga triste da solidão
Fere meus lábios,
E com a ferrugem do meu beijo
Tenho medo de contaminar
A multidão.

Sigo triste.

Falta-me ar,
Adeus.

Sérgio vaz


A ÚLTIMA DOSE

Só depois do último copo
De carregar a última cruz
De discutir o único voto
E de apagar a última luz.
Só depois da saideira
Da última canção
De arrancar a última nota
Da carteira e do violão.
Só depois da última dose
De sorrir o último sarro
E de amargar a última cirrose.
Só depois do último gol
De sambar com a única dama
Ser tema do último show
E de pendurar a última Brahma.
Só depois de extorquir a última graça
De relembrar a última festa
De esquecer a última desgraça
E de esperar pela próxima sexta.
Só depois de cerrar a última porta
De trançar numa única perna
De girar os olhos na última volta
E de beijar a última brasa
É que eu vou me perguntar
Se estou indo pra casa
Ou se estou saindo do lar.

Sérgio Vaz

28 julho, 2005

Como chegar?

Para as pessoas que virão de outros lugares para o lançamento do livro GRADUADO EM MARGINALIDADE.
De condução: Trem/Metrô: Pegar o trem até Guaianases e lá embarcar em outro trem sentido Estudantes/Mogi das Cruzes, e descer na estação de Suzano pelo lado do centro. Depois é só seguir pela rua Benjamin Constant, n° 682. Em três minutos você estará no Centro Cultural, um prédio que se destaca pela arquitetura e pela fachada (tijolos vermelhos).
Ônibus: A viação Eroles tem ônibus que sai da estação Brás com destino à Mogi das Cruzes, é só pedir para descer no Centro de Suzano.
De carro: Centro de São Paulo: Vir pela Airton Senna (antiga trabalhadores) e para quem não quer pagar pedágio tem que pegar a entrada de São Miguel. Lá seguir até o Viaduto do Mercado D´avó e pegar a Avenida Marechal Tito sentido Itaquá/Suzano.
Para quem preferir pagar pedágio, depois que passar por ele, é só seguir a placa que indica a entrada "Suzano". Depois é só perguntar como faz para chegar no bairro Miguel Badra e de lá seguir para o Centro de Suzano.
Obs* Não perguntem pelo Centro Cultural de Suzano, pois a população ainda conhece como Biblioteca de Suzano.

27 julho, 2005

Programação de lançamentos

Graduado em Marginalidade

Lançamentos no mês de agosto/2005

05 de agosto – sexta-feira – 20h00
Local: Centro Cultural Francisco Carlos Moriconi.
Rua Benjamin Constant, 682 – Centro de Suzano – S.P.
Próximo á estação de trem de Suzano.
Informações: (11) 4759-1949 / 83252368

10 de agosto - quarta-feira – 21h00
Local: Cooperifa – Bar do Zé Batidão.
Rua Bartolomeu dos Santos, 797 – Chácara Santana – Jd. Guarujá – S.P.
Ao lado da Igreja de Piraporinha na Zona Sul.
Informações: (11) 5891-7403 / 9333-6508

20 de agosto – sábado – 14h00 – Agosto Negro.
Local: Ginásio Poliesportivo “Levindo Furquim Lambert”.
Avenida Tiradentes, s/ nº - Centro – Cambuí – M.G.
Informações: (35) 8823-6775

Obra: Graduado em Marginalidade
Autor: Ademiro Alves (Sacolinha)
Estilo: Romance contemporâneo / Ficção
Editora: Scortecci
Número de páginas: 168
Capítulos: 29
Número de personagens: 311
ISBN: 85-366-0370-4
Valor: R$ 25,00
Participações:

· Juan Perone (escritor cubano)
· Fernando Bonassi
· Ferréz
· Bruno Capozolli (Instrutor técnico literário)
· Alessandro Buzo
· Sérgio Vaz


Essa obra estará á venda a partir do dia 05 de agosto de 2005, dia em que acontecerá o seu primeiro lançamento oficial no Centro Cultural de Suzano – S.P.
Quem quiser adquirir a obra poderá fazer o pedido pela Internet e receberá em casa pelo correio em dois dias úteis (48 horas) a contar da data de confirmação do depósito bancário.
Ressaltamos que a primeira edição desse romance não será comercializada em livrarias, ela será vendida apenas nos lançamentos e pelo correio.
Atenção: Quem quiser promover um lançamento do livro Graduado em Marginalidade do escritor Ademiro Alves (Sacolinha), entre em contato com o Projeto Cultural Literatura no Brasil. Disponibilizamos 100 (cem) convites e ajuda na divulgação, seja dentro ou fora do estado de São Paulo.

Informações e vendas: (11) 4749-5744 / 4759-1949 / 8325-2368
E-mail:
literaturanobrasil@bol.com.br
Site/Blog: literaturanobrasil.blogspot.com

Realização: Literatura no Brasil Cooperifa Piva

Próximo evento...

O AUTOR NA PRAÇA
Apresenta

Livros, Quadrinhos e Rock´n roll

O jornalista e escritor Luiz Carlos Lucena e os cartunistas Marcio Baraldi e Francisco Marcatti são os convidados da Tarde de Autógrafos deste dia 30 de julho, sábado, no projeto O Autor na Praça, Durante o evento será apresentado um pocket-show de slide blues com o guitarrista Rafael Veríssimo. O cartunista Junior Lopes participa do evento realizando caricaturas. Informações sobre os convidados abaixo.

SERVIÇO:
O AUTOR NA PRAÇA - Livros, Quadrinhos & Rock´n roll
Luiz Carlos Lucena, Marcio Baraldi & Marcatti.
Dia 30 de julho, Sábado, 14h - Entrada Franca.
Espaço Plínio Marcos - Feira de Artes da Praça Benedito Calixto
Informações: Edson Lima - Tel. 3085 1502 / 9586 5577 - oautornapraca@oautornapraca.com.br
Realização e Produção: Edson Lima e Associação dos Amigos da Praça Benedito Calixto

Sobre os convidado e os livros:
Retrato dos Anos 60, visto através do rock
Lucena lança Rock - A Música da Revolução. Um mergulho profundo nas raízes e nos movimentos de contestação e de comportamento dos anos 60. O escritor parte do negro escravo e mostra sua influência no seio da família do americano branco do sul, o nascimento do spirituals, vaudeville, ragtime, jazz, a blue note, o rithm´blues e como tudo isso gerou o rock - na Inglaterra e nos Estados Unidos.
Passeia pela política dos EUA - a política liberal do New Deal e a caça às bruxas do macartismo, os movimentos de esquerda, a literatura beatnic -, dá uma pincelada no mundo. Tudo isso para contar a história dos movimentos sociais dos anos 60 - a guerra do Vietnã, a revolução estudantil, a psicodelia, Thimoty Leary, underground, Woody Goothrie, Cuba, Bob Dylan, o flower-power, Stones, Allen Ginsberg, os filmes (Blow-Up, Easy Rider, Gimme Shelter, Woodstock), contracultura, drogas, festivais. Tudo embalado pelo rock. Nas livrarias ou via postal pelo e-mail lucenasp@hotmail.com
Luiz Carlos Lucena é jornalista, escritor e roteirista, autor de Momento Aprisionado (poesia), Mocinhas & Bandidos (contos) e Sonho Colorido (romance).
Trechos do livro http://jornaldorock.jex.com.br e http://blogdolucena.blogspot.com

Baraldi põe tintas no rock - Roko-Loko e Adrina-Lina atacam novamente!!!
Eles estão de volta! Depois do sucesso do primeiro livro, o hilário casalzinho roqueiro Roko-Loko e Adrina -Lina , criados pelo cartunista mais rock´n´roll do mundo, Marcio Baraldi, chegam ao segundo livro, ainda mais divertido e colorido! São 50 páginas em couché colorido, capa plastificada, acabamento de alto padrão. O livro traz textos de Kid Vinil, João Gordo e galera das bandas Harppia, Sepultura, Krisiun, Korzus, Inocentes e até do editor da revista Headbanger Magazine, do Equador, comentando sobre os personagens do Baraldi.
Roko-Loko e Adrina-Lina são publicados mensalmente na Revista Rock Brigade, há quase nove anos ininterruptos e se transformaram num grande sucesso entre o público roqueiro do Brasil inteiro e até do exterior, pois renderam a Baraldi convites para publicar em revistas de rock do Equador, Argentina e Portugal. Nas QHs, Roko e Adrina sempre contracenam com bandas reais se envolvendo com elas nas mais absurdas trapalhadas. Neste novo volume o casalzinho vive situações impagáveis com o Rush, Kiss, Made in Brazil, Ultraje a Rigor, Iron Maiden, Sex Pistols e dezenas de outros monstros sagrados do rock. É uma edição primorosa para ler, se divertir muito e guardar como uma edição histórica.
O trabalho de Baraldi funciona também como um importante e divertido documentário da história do rock mundial, pois seus quadrinhos sempre abordam fatos ocorridos no mundo do rock´n´roll como as mortes de Joey Ramone, George Harrison e Joe Strummer e outros fatos como lançamentos, turnês, voltas e reviravoltas nas carreiras das bandas.
O livro anterior "Roko-Loko e Adrina -Lina" foi contemplado com um prêmio "Ângelo Agostini", tendo sido considerado o melhor lançamento de 2003. Este novo volume tem tudo para repetir fato e ir mais além!
O livro pode ser adquirido pelo site da Rock Brigade www.rockbrigade.com.br
Contatos: www.marciobaraldi.com.br / mbaraldi@spbancarios.com.br

Marcatti e os quadrinhos underground
Francisco Marcatti começou a se interessar por Histórias em Quadrinhos antes de aprender a ler e escrever, estimulado pela mãe. Aos 15 anos publicou pela primeira vez em uma revista produzida por alunos do Colégio Equipe, Papagaio, editada por Paulo Monteiro, com colaboração de Nando Reis, Marcelo Fromer entre outros. Em 1979 colaborou com a revista BOCA Nº 4, editada por Dagomir Marquesi. Em 1980, comprou, com o dinheiro de uma herança, uma impressora offset de mesa. Nascia a Editora PRO-C. Publicou a imensa maioria de suas histórias em revistas impressas nessa máquina e vendidas de mão em mão em portas de cinema, teatro e bares de São Paulo. Em 1989 passa a ser nacionalmente reconhecido quando faz a capa do disco de Ratos de Porão, pela gravadora Eldorado. Recebeu 4 vezes consecutivas o prêmio HQ Mix de Melhor Publicação Independente. E o prêmio JAYME CORTEZ de incentivo aos Quadrinhos brasileiros. O melhor de seu trabalho está publicado em requintada coletânea com o nome de RESTOLHADA. O personagem FRAUZIO foi publicado em uma revista mensal, lançada pela Editora ESCALA, com tiragem de 30.000 exemplares e distribuída em todo Brasil através de bancas de jornais.

Criou e desenhou, até hoje, mais de 1100 páginas de histórias em quadrinhos distribuídas em 151 histórias. Com seu traço marcante e conteúdo fortemente voltado ao escatológico, Marcatti é considerado o mais importante autor de quadrinhos undergrounds no Brasil.
Contatos: marcatti@marcatti.com.br / www.marcatti.com.br


Junior Lopes - Nasceu em Castanhal - PA, 33 anos, há 15 vem trabalhando na área do Cartum. Fez caricaturas esportivas para o jornal De Gerderlander, em Nijmegen, Holanda. De volta o Brasil em 1997, foi ilustrador do jornal A Província do Pará. Em São Paulo fez ilustrações para diversos veículos de comunicação, destacando-se: Folha de S.Paulo, Rede Globo (Vinheta Jogo da Velha, 2003), editora Cia. das Letrinhas, Gazeta Mercantil, revistas Superinteressante, Caros Amigos, Veja, VIP.

Participou de diversos salões de humor no Brasil e Exterior, recebendo vários prêmios: Salão de Humor do Rio de Janeiro, Volta Redonda, Piauí. Recentemente recebeu menção honrosa no 30º Salão de Humor de Piracicaba, na categoria Caricatura. No mesmo salão em sua 31ª. edição, em 2004 ganhou o prêmio pelo 2º. lugar na categoria Caricatura. Em 2005 ganhou o prêmio de melhor caricatura no VII Salão Internacional de Humor de Pernambuco.Na área publicitária foi o autor das ilustrações para a campanha da LEVI´S, produzida pela Agência de Publicidade NEOGAMA, que ganhou o prêmio Leão de Ouro em Cannes em 2003, na categoria Pôster. Trata-se de um trabalho pioneiro no designer gráfico, desenvolvido através da aplicação de recorte de tecidos na criação de imagens, integrando a particularidade de seu traço às propriedades e técnicas utilizadas, com o objetivo de uma familiaridade estética com o elemento/personagem retratado. Para conhecer esta nova proposta do cartunista: http://fotolog.terra.com.br/jugular:6

Junior Lopes atua como caricaturista especializado em eventos. Seus desenhos e caricaturas podem ser apreciados aos sábados no projeto O Autor na Praça, no Espaço Plínio Marcos na Feira de Artes da praça Benedito Calixto, em Pinheiros.

Contatos juniorlopes1@ig.com.br / 9929 0986

26 julho, 2005

Cadernos Negros

São Paulo, 20 de julho de 2005.

PROCESSO DE SELEÇÃO PARA O LIVRO CADERNOS NEGROS VOLUME 28 - CONTOS AFRO-BRASILEIROS - 2005
EM DOIS TURNOS


Companheiro(a) Escritor(a)
Estamos na luta! E vamos em frente trabalhando para a literatura afro, com o axé de Carolina de Jesus, Cruz e Souza, Lima Barreto, Solano Trindade, Luís Gama etc.
Esta é a carta com os custos e prazos definitivos para a confecção do livro Cadernos Negros volume 28.
Este volume será dedicado aos contos. E, a título de ilustração, o dicionário online de termos literários do cirp diz que conto é o gênero narrativo em prosa caracterizado por sua extensão breve e sua natureza ficcional.
Em Cadernos os autores podem expressar os múltiplos aspectos da experiência afro (as emoções, os desejos, as alegrias, as tristezas, os ideais etc.).
Tire cópias da carta e passe para os escritores que você acha que podem se interessar em publicar nos Cadernos, que é um trabalho cooperativo, o que significa que os participantes dividem parte dos custos da publicação.
Para participar, cada autor deverá submeter o texto a um processo de seleção em que o conto deve ser considerado bom ou ótimo pela maioria dos envolvidos. Tal processo ocorrerá da seguinte forma:
1. Para a fase de seleção, os trabalhos não deverão vir com o nome verdadeiro dos autores.
2. Serão selecionadores dos textos, com peso igual de votação:
2.01 - 25% dos autores participantes, escolhidos por sorteio efetuado pela pessoa encarregada de receber os textos;
2.02 - um membro do Quilombhoje Literatura;
2.03 - dois críticos de literatura;
2.04 - um leitor assíduo dos Cadernos Negros.
3. A identidade verdadeira dos escritores participantes, críticos e do leitor de Cadernos Negros só será conhecida, durante o processo seletivo, por uma pessoa (Esmeralda Ribeiro, do Quilombhoje, responsável pelo recebimento e envio dos textos e avaliações), que não terá direito a avaliar os textos nem poderá alterar prazos.
4. O processo seguirá as seguintes etapas:
4.01 - Os escritores interessados enviarão textos, na forma (obrigatória) que se segue:
a) os textos devem ser enviados dentro de uma lauda padrão (20 linhas com 70 toques cada linha), contar títulos como sendo uma linha (modelo da lauda está anexo; utilize apenas 70 toques e 20 linhas na lauda);
b) cada autor poderá enviar um total de 09 (nove) laudas, no máximo;
c) os textos devem ser todos datilografados ou digitados em corpo 13, espaço duplo, e impressos em cópias da lauda padrão anexa; você não poderá digitar diretamente na lauda anexa;
d) enviar 07 cópias legíveis de cada lauda preenchida;
e) divida as cópias em jogos completos, coloque as páginas em seqüência numérica e grampeie; não envie fora de ordem;
f) em todas as laudas deverá constar um pseudônimo, que será adotado pelo autor somente para o processo de seleção;
g) devem acompanhar as cópias dos textos um envelope lacrado com nome completo, o pseudônimo utilizado, os títulos de todos os contos enviados, número de R.G., CIC, endereço e telefone para contato, e, se houver, e-mail.
h) recebimento dos textos até 20 de agosto de 2005 (data de postagem no correio);
i) aos textos cada autor deve acrescentar comprovante de pagamento da primeira parcela, de R$ 70,00 (setenta reais), ou comprovante de pagamento à vista de R$ 340,00 (trezentos e quarenta reais) (ver tabelas e prazos de pagamento no item 4.02). Cada autor terá direito a uma quota de livros.
4.02 - Prazos para pagamento das parcelas:
Primeira: até 08 de agosto de 2005 - R$ 70,00 (setenta reais)
Segunda: até 08 de setembro de 2005 - R$ 70,00 (setenta reais)
Terceira: até 08 de outubro de 2005 - R$ 70,00 (setenta reais)
Quarta: até 08 de novembro de 2005 - R$ 70,00 (setenta reais)
Quinta: até 08 de dezembro de 2005 - R$ 70,00 (setenta reais)
Total: R$ 350,00 (trezentos e cinqüenta reais). Tais valores estarão sujeitos a alteração, em caso de instabilidade econômica. Os autores que não cumprirem os prazos terão seus textos retirados. Cópias de todos os comprovantes de depósito deverão ser enviados (com pseudônimo do autor) nas respectivas datas de pagamento. Os pagamentos só serão reconhecidos após o envio do comprovante nominal.
Obs.: Os valores acima não incluem despesas com lançamento, com transporte de autores, com envio de livros para os autores pelo correio etc. Referem-se apenas a parte dos custos de confecção do livro. O autor deverá se encarregar de retirar sua quota de livros ou arcar com custos de correio. Solicitaremos também colaboração no lançamento.
4.03 - Será feita uma pasta com todos os textos recebidos e a ela será acrescentado um formulário para avaliação e comentário, com um índice de todos os títulos apresentados.
4.04 - Um exemplar dessa pasta será enviado a cada um dos autores sorteados para fazer a avaliação, aos críticos e ao leitor em 05.09.05.
4.05 - Devolução: os formulários para avaliação e comentários sobre os textos deverão ser devolvidos preenchidos pelos avaliadores até, no máximo, 20.09.05 (data do carimbo do correio).
4.06 - Não serão consideradas, para efeito de seleção, as avaliações que não vierem acompanhadas de comentários.
4.07 - Avaliações para os autores: todos os autores receberão as avaliações e comentários com uma tabulação geral. Esse material será postado em 27.09.05.
4.08 - Textos a serem retrabalhados: os autores dos textos considerados, pelo conjunto de opiniões, regulares, ruins ou péssimos deverão retrabalhar seus textos ou substituí-los e reenviá-los até, no máximo, 15.10.05 (data de correio). Fica facultativo aos autores dos textos considerados bons ou ótimos retrabalhá-los ou não.
4.09 - Os textos retrabalhados ou substituídos serão entregues a uma comissão formada por 1 (um) crítico, 1 (um) leitor e 1 (um) componente do Quilombhoje. Os resultados da análise e votação dos textos retrabalhados ou substituídos serão enviados para os respectivos autores até 1º.11.05 (data do carimbo do correio).
4.10 - Todos os textos excluídos na avaliação final não farão parte do Cadernos Negros 28, ficando o autor comprometido, mesmo assim, a cumprir todos os prazos de pagamento das parcelas, caso tenha tido texto(s) aprovado(s), conforme o item 4.02.
4.11 - Todos os autores receberão um sumário do livro, com o nome dos autores e respectivos textos que comporão o Cadernos Negros 28. Estará encerrado o processo avaliativo. Tal sumário será enviado em 10.11.05.
4.12 - Devolução: em caso de nenhum trabalho do mesmo autor obter os pontos necessários para a aprovação, as parcelas pagas (com comprovação mediante o comprovante de depósito) serão devolvidas. O Quilombhoje reterá 25% (vinte e cinco por cento) do valor para as despesas de correio. Data de devolução: 20.12.05.
4.13 - Os autores que fizerem parte do livro Cadernos Negros volume 28 deverão assinar autorizações para que o Quilombhoje possa comercializar a obra e efetuar registro na Biblioteca Nacional e Câmara Brasileira do Livro. A autorização deverá ser enviada depois de terminado o processo de seleção, assim como xerox do R.G., CIC e fotografia (nítida, que privilegie o rosto - não mande 3x4, cópia de foto ou foto já impressa).
Importante: caso haja mudança de endereço durante o processo, comunique-nos imediatamente.
Ressaltamos mais uma vez que os autores não estão pagando uma editora para publicar seus textos. Estão dividindo os custos de um trabalho cooperativo, pelo qual todos são responsáveis.
4.14 - Endereço para envio. Textos e comprovantes de depósito deverão ser enviados em nome de Esmeralda Ribeiro e, por questão de segurança, através de carta registrada ou Sedex, para o seguinte endereço:
Av. Parada Pinto, 3.420 - Bl. 13 - ap. 34
São Paulo/SP
02611-001
(Tel.: (11) 6232-4211 - das 20h às 22h30, ou deixe recado). E-mail: quilombhoje@bol.com.br / quilombhoje@terra.com.br.
4.15 - Todos os pagamentos deverão ser efetuados no seguinte banco:
Banco do Brasil
Agência: 2947-5
Conta corrente: 3.921-7
Quilombhoje Literatura
4.16 - Este processo participativo deverá ocorrer sem atrasos nos prazos aqui previstos. Os autores que desrespeitarem a organização, as datas de pagamento e de envio de textos serão excluídos, pois assumiremos compromissos com gráfica, bureau de pré-impressão e outros serviços.
4.17 - A quota de livros será entregue aos autores após o lançamento.
4.18 - O lançamento do livro está previsto para a primeira ou segunda semana de dezembro, sexta-feira, em local a ser comunicado pelo Quilombhoje. Reserve já a data em sua agenda e na agenda de seus familiares e amigos. Contamos com você, não só para abrilhantar o evento mas também para ajudar a fazê-lo inesquecível, divulgando-o e empenhando-se em sua realização! Agende novas datas e locais de lançamento.
Participe!
Atenciosamente

Esmeralda Ribeiro / Márcio Barbosa
www.quilombhoje.com.br
quilombhoje@ig.com.br

24 julho, 2005

Sérgio Vaz

Coisas da vida

Hoje eu vi uma criança acordada comendo pão dormido.
Um homem desempregado empregando uma arma.
Uma mulher vestida de trapos lavando roupa cara.
Um policial desalmado separando um corpo da alma.
Uma menina desnutrida com a barriga cheia.
Uma bala perdida procurando uma veia.
Senhoras de joelhos andando sem destino.
Velhos com olhos vermelhos chorando como menino.
Poetas loucos cuspindo razão.
Anjos e demônios na mesma religião.
A miséria na coleira da fartura.
A vida fácil às custas da vida dura.
Gente sorrindo com o coração em pranto.
Surdos ouvindo a canção dos falsos santos.
Vi mãos calejadas beijando mãos macias.
José nas enxadas no cabo delas, Maria.
Com mansos olhos de fel e a boca dura de fera vi um país no céu e o inferno na terra.

Sérgio Vaz é poeta e participa
do livro “Graduado em Marginalidade”,
do escritor Sacolinha,
que será lançado neste ano de 2005.


Para enviar textos, fazer críticas, comentários, ou comprar os produtos do projeto, entre em contato com os endereços e telefones abaixo:

Rua Guarani, nº 413 – Jd. Revista - Suzano – S.P – Cep: 08694-030
E-mail:
literaturanobrasil@bol.com.br
Site: literaturanobrasil.blogspot.com
Fones: (11) 47495744 / 83252368


Projeto Cultural Literatura no Brasil, valorizando a cultura de periferia!

22 julho, 2005

Quinta fase...

Clamor
(Wald Ferreira)

Se você não me dá oportunidade hoje, que opção posso te dar amanhã?
Se tem pra mim uma pedra no lugar do coração/ Tenho pra você, uma arma na mão.../
Se você! Nega a oportunidade pra que eu cresça / aumenta a chance de uma arma na sua cabeça. /Se você me nega a luz / nos caminhos que me conduz / nada mais serei senão um vulto / para a sociedade, oculto./ E o preço...O preço você vai pagar! / Na terra que seu corpo cobrirá / a cada passo... Eu serei infelicidade,/ mas você! Você Será só saudade... /
Por quê? Por que me vê tão repulsivo, / se nem mesmo dei o motivo / a nossa diferença é a cor da pele / só por isso me repele?/ Sabia... Minha história passou por suas mãos / de geração em geração... /E querem esconder os fatos / uma história sem memória nem retratos / é... A história esconde das páginas. /Mas você! Pode ao invés de lágrimas / que fazem murchar do rosto o riso / proporcionar um grande sorriso, / tão largo que as orelhas pode engolir. / Ouça! Ouça meu clamor! Faça-me sorrir! / eu grito! Grito pra que me ouçam, Gritooo! / e o eco perde-se no infinito.../
Não ouvem, o grito morre sufocado. / No silêncio da minha dor, calado.../ No vazio daqueles que não querem ouvir, / para sua consciência não assumir. / Que na pele temos diferente coloração / mas uma só cor no coração. / Ainda há esperança, ajude-nos a mudar!/ Vamos dar as mãos e elo a elo juntar. / Justiça e igualdade são o eco dos nossos gritos,/ não de senzalados, nem de negros aflitos. / É o grito de uma etnia reconhecida, não pela cor.../Mas pela sua capacidade, inteligência e valor. / Ouça você o nosso grito,/ Somos Negro Sim! Negro Sim! Repito.

Wald Ferreira é desenhista e escritor.
Tem lá seus 36 anos e mora em
Ferraz de Vasconcelos (Alto Tietê) S.P.



Um livro de degraus

O romance Graduado em Marginalidade, primeiro livro do escritor Sacolinha, nos leva a refletir os degraus do ódio e do amor.
O que seria necessário para a Pessoa Amor se tornar numa Pessoa Ódio?
O que significa a palavra Graduado?
Quais são os limites de um ser humano?
Por que o homem é podre e cheio de mistérios?
Todas as respostas serão encontradas nesta obra. Não é um livro de filosofia e nem é essa a intenção do autor. A intenção do autor que se diz ser uma pessoa muito confusa, é de tentar entender um pouco de si e da humanidade.
No livro percebemos a crueza de detalhes, mas passa longe de chocar.
A estória gira em torno de um jovem que cedo perdeu os pais, amigos e sem nada ter feito é enjaulado como se fosse um animal de alto perigo para as pessoas. Um amadurecimento precoce.
O degrau seguinte é o limite da paciência, o preparo de uma cobra rumo ao patamar da ignorância. É aí que a Pessoa Amor se transforma em Pessoa Ódio.
Nada foge aos olhos do narrador, nem mesmo a pornografia explícita em certas partes desse nosso mundo misterioso.
Quem não esperava começa a aguardar, e quem já aguarda não perde por esperar.

21 julho, 2005

Evento hoje.

ACONTECE HOJE...

21 de julho: Lançamento do livro “Cadernos Negros” vol. 27 – Poesias.
Com rodas de poemas e performances teatrais com os artistas da série “Turma do Gueto”.
Local: Centro Cultural Francisco Carlos Moriconi – Rua Benjamin Constant, 682 – Centro de Suzano.
19h:00
Entrada franca.

20 julho, 2005

Mais textos!

CHUVA E MORTE. 5ª Fase
(Alessandro Buzo)

Chove muito na favela do Silvina, o barranco ameaça desabar a qualquer momento.
A policia e os bombeiros tentam remover as famílias do local, mas mesmo com o eminente perigo eles resistem em ir para abrigos, sabem que será humilhação, falta de privacidade, frio, fome...
Como a chuva não dá uma trégua, uma a uma as famílias vão cedendo e deixando suas casas, os barracos vão ficando vazios.
De repente um barulho e desce uma parte do barranco arrastando sete casas e causando gritos e desespero, mas felizmente não houve nenhum ferido, as casas estavam desocupadas.
Os bombeiros pensavam ter tirado todos da área de risco, mas do nada, surge Mauro em cima de sua casa, desesperado ele gritava: - Não vou sair daqui, não vou morar debaixo da ponte, não vou me abrigar numa escola pública.
Durante seu desabafo o resto do barranco cedeu e o deslizamento levou Mauro com casa e tudo morro abaixo, a morte foi inevitável.
O corpo de Mauro foi encontrado debaixo de muito entulho e lama.
A noite chegou, a chuva passou e amanhece um belo dia de sol.
Os sobreviventes no abrigo e Mauro sendo enterrado num pobre caixão.
Todo ano histórias como essa se repetem e o que os governantes fazem para impedir as tragédias anunciadas? Nada.
2005 as mortes foram em São Bernardo do Campo e aonde vai ser a próxima?
Quem se preocupa?
O povo vive às margens da sociedade consumista, hipócrita e individualista.
Vereadores, prefeitos, deputados, senadores enchem o bolso de dinheiro e só vão nas periferias pedir voto em tempos de eleição.
A nossa morte não é assunto dos principais jornais, só em grandes tragédias ou chacinas vão citarem na TV, aqui se morre, se enterra e fica por isso mesmo.
Até quando?
Como disse o rapper MV BILL: - Como pode ser tragédia, a morte de um artista, e a morte de milhões, apenas uma estatística...

Alessandro Buzo, é escritor e ativista
cultural. É contra toda e qualquer
forma de injustiça social.
Ele escreveu o prefácio do livro: “Graduado em Marginalidade”,
o primeiro romance do escritor
Sacolinha, que será lançado
dia 05 de agosto de 2005
.

19 julho, 2005

biblioteca comunitária

INAUGURACÃO DA BIBLIOTECA COMUNITÁRIA SUBURBANO CONVICTO

www.suburbanoconvicto.blogger.com.br
alessandrobuzo@terra.com.br
Inf: (11) 8218-7512

Alessandro Buzo tem o prazer de convidá-lo para inauguração da Biblioteca Comunitária Suburbano Convicto, no próximo sábado 23 de Julho de 2005, às 16 hs na Quadra do Bloco Carnavalesco Unidos de Santa Bárbara, situada à Rua José Cardoso Pimentel, 1-B Centro do Itaim Paulista, extremo leste de SP.

Haverá palestra com:

Alessandro Buzo (escritor)
Sergio Vaz (poeta)
Nel Costa (Pres. Santa Bárbara)


E coquetel...

A sua presença é fundamental, conto com ela.
Se possível traga um livro para ser doado.

18 julho, 2005

Relançamento.

Estamos relançando os textos da 5ª Fase do projeto. Fase que é de pré-lançamento do livro "Graduado em Marginalidade" de Ademiro Alves (Sacolinha).

Células de uma canção
(Por Sacolinha)

Eis aqui, a pedra no sapato/ bem no meio da palmilha do engravatado/ eu tô ligado que pego firme/ mas o motivo eu sempre tive/ no meu país falta emprego, luz, água/ aquela que quando chove sem pedir licença invade as casas/ é triste saber que a vida é frágil de ser vivida/ apenas um disparo, bum, já era a alma está despedida/ na minha escrivaninha/ que nada mais é que a mesa da cozinha/ eu escrevo/ escrevo sobre o mendigo que usa a calçada como colchão/ o moleque de rua que por causa de um saco tem várias alucinações/ cachorro de madame vive melhor que eu/ nasceu no berço da miséria problema é seu/ o meu computador que é a caneta/ aja tinta pra escrever a inocência de quem chupa chupeta/ um ser humano que com treze ou catorze anos terá que segurar a barra/ a grande responsabilidade dentro de casa/ não sou Nostradamus não sei o futuro/ mas o que esperar desse nosso mundo/ temos que enriquecer a CPU da nossa cabeça/ através de debate, palestra, idéias que nos fortaleçam/ gostaria de encontrar uma lâmpada mágica/ apenas três pedidos seria uma coisa básica/ emprego, lazer e educação/ o fulano não teria motivo para exercer mal profissão/ mas desse jeito tem que ficar só em pensamento/ a criança não tem estudo, diversão e muito menos exemplo/ médico, juiz, advogado, o que que tem/ estou falando de algo que vai mais além/ solução é o que mais tenho/ pras minhas idéias peço um tempo/ pois eu vi meu padrasto desaparecer e as autoridades nada fazer/ também vi minha bisavó morrer por causa da Santa Casa de Suzano/ cadê os investimentos onde foram os planos/ eu vejo os Estados Unidos dominando nossa terra, conforto tecnológico dominou aí já era/ pra mim tem três drogas liberadas no meio da população/ o dinheiro, o aparelho televisor e a falta de informação/ com o controle remoto você pensa que domina a TV/ tá enganado é ela que domina você/ informação é o que mais falta/ pergunte a um adolescente por que o dólar tem alta/ do dinheiro todo mundo corre atrás/ seja roubando, matando ou trabalhando demais/ a tremedeira das pernas é a dança do medo/ olha a criança e o idoso no meio do tiroteio/ vendo essa bomba de palavras o que você me considera/ um cabeça pensante ou cientista da favela/ talvez ouvindo isso você até me tira, mas é verdade/ conteúdo informação e qualidade/ materiais de construção aumentou/ o sonho da casa própria desabou/ cuidado á noite na rua depois das nove e meia/ quer saber por quê/ leia o livro Rota 66/ casa dos artistas é ibope outra vez/ artista somos nós que sobrevivemos com um salário mínimo por mês/ de manhã é a babá tecnológica/ á noite uma putaria sem lógica/ a crítica é grande pra que minha solução/ os gravatas não aceitam sou do lixão/ a minha inspiração é outra não é a quadrada/ Quarto de despejo – Diário de uma favelada/ talvez dessa idéia você tire uma solução/ o nome dela; células de uma canção.

Bibliografia do autor

Ademiro Alves (Sacolinha) nasceu em 09 de Agosto de 1983, na cidade de São Paulo. Começou a ter interesse pela leitura e pela escrita no ano de 2001, estava então com 18 anos de idade.
É idealizador e atuante do projeto cultural “Literatura no Brasil”, que trabalha com 1.250 leitores cadastrados.
Participa das seguintes publicações: Revista Caros amigos "Literatura Marginal" ato III lançada em Maio de 2004. Antologias “No limite da palavra” da editora Scortecci. “ARTEZ - vol. V” da Meireles editorial e “O Rastilho da Pólvora” antologia da Cooperifa, (Cooperativa Cultural da Periferia).
Colunista de vários sites.
Presidente do Centro de Pesquisas e Desenvolvimento Sócio Cultural Negro Sim.
Atualmente prepara o lançamento do seu primeiro livro, “Graduado em Marginalidade”, livro que foi escrito em 08 meses, á mão e com folhas retiradas do lixo.
Foi através da literatura que Sacolinha conseguiu achar respostas para algumas de suas perguntas, e é através dela que ele vai tentar entender o mundo em que vive.

17 julho, 2005

DOMINGO PÓS FAVELA TOMA CONTA.
Por Alessandro Buzo

Vou narrar o depois de um evento na periferia, vista pelos olhos do organizador. Ontem cheguei em casa quebrado literalmente, moido, meu corpo doia, minha mulher que estava comigo na festa lado a lado do inicio ao fim foi buscar meu filho (que ficou no favela até 17.00 hs, a festa acabou 22.30 hs), dai ele disse com cara de coitadinho: - Mãe, to com fome............ Eu, fudido, quebrado, peguei ele (senão ele dormia) e fui no fim da rua de casa buscar uma pizza. Comemos, tomei banho e dormimos..... Amanheci como sempre cedo (costume do meio de semana), liguei o computador e vi meus emails, atualizei este blog e falei da festa. Passei um café fresquinho e tomei um gole, olhei no quarto e minha esposa e filho dormiam tranquilhos......... Fui na padoca, já f.......um ligeiro com os cavardes.......... Como é da hora andar na quebrada domingo de manhã, quando todos estão dormindo, no pico dos pé de cana já tinha 4 bebendo um liquido numa garrafa descartável de 2 litros pela metade. O sol nascendo lindão............ Chego em frente a padaria e tá o maior barulho, varios manos virados da madruga (Vc careta percebe como é ridiculo um cara mordendo a olhelha, se é que me entende), parei na banca e olhei o que o Caramente colocou na coluna HIP HOP do jornal AGORA SP (sai na revista DA HORA que vem anexo no domingo). Os caras no maior debate, tinha os caras e uns PMS fardados, certa hora não sabia se era um enquadro ou se estavam todos juntos, nem quis saber........ Comprei pão, pão de queijo e mortadela. Acordei tomo mundo no barraco, comemos.......... Depois fui aproveitar uma promocão, cerveja a R$ 0,77. Mandei um com um mano que salvou a vida do meu irmão anos atrás............ Passei na feira e levei uns pastel, agradeci a Deus ter como bancar cada um desses roles um dia depois de ter feito sozinho e ao mesmo tempo com tantos manos uma puta festa na favela. Agora já to bem loko ouvindo um rap e bebendo uma geladinha, a tarde vou dormir que amanhã é segunda braba.

Alessandro Buzo
alessandrobuzo@terra.com.br
Organizador do "Favela Toma Conta" que foi ontem 16/07

16 julho, 2005

O LIVRO...

Tente responder:

O que pode acontecer com um jovem pobre que perdeu seus pais, amigos, a juventude, a dignidade, e que pra manter a honra e a vida teve que matar?

A resposta está no livro “Graduado em Marginalidade”, de Ademiro Alves (Sacolinha), que será lançado no dia 05 de agosto de 2005.


Maiores informações: (11) 4749-5744 / (11) 8325-2368

15 julho, 2005

Negro Sim!

O Centro de Pesquisas e Desenvolvimento Sócio Cultural Negro Sim, realizará nos dias 19, 20, 21, 22, 23 o evento Expo Negro. Todos estão convidados para a programação que segue abaixo.

1ª Expo Negro de Suzano

19 de julho: Abertura da Exposição “Negro Sim” com 55 expositores.
Quadros, esculturas e literatura.
Local: Centro Cultural Francisco Carlos Moriconi.
20h:00

20 de julho: Exibição de filme sobre a temática.
Local: Centro Cultural Francisco Carlos Moriconi.
20h:00

21 de julho: Lançamento do livro “Cadernos Negro” vol. 27 – Poesias.
Com rodas de poemas e performances teatrais.
Local: Centro Cultural Francisco Carlos Moricon¹i.
19h:00

22 de julho: Debate “Beleza Negra” e Desfile Afro.
Expositores (as):
Vera (Marrom Cabeleireira)
Mari (Produtora de moda da Revista Raça)
Waldecy Ferreira (Diretor de comunicação “Negro Sim”)
Aléxia (HDA – Agência de modelos de negros e negras)
Local: Sindicato da Construção Civil.
19h:00

23 de julho: Show de encerramento.
Samba na Veia – Instinto (Rap) – Conselho de Mestres de Capoeira de Suzano – Dança Afro – Literatura – Batuque e Percussão.
Local: Sindicato da Construção Civil – Rua Campos Salles, 165 – Centro de Suzano².
17h:00

1- Centro Cultural Francisco Carlos Moriconi – Rua Benjamin Constant, 682 – Centro – Suzano.
2- Sindicato da Construção Civil – Rua Campos Salles, 165 – Centro – Suzano.

14 julho, 2005

Lançamento

Atenção, será dia 05 de agosto o lançamento do romance contemporâneo GRADUADO EM MARGINALIDADE de ADEMIRO ALVES (SACOLINHA). O lançamento contará com a presença de várias autoridades, música ambiente, venda e autógrafos do livro e um coquetel com vinho, champagne, petiscos, frutas, doces e salgados.
Breve enviaremos o convite à todos os escritores, leitores e amantes da literatura que estão cadastrados com o projeto cultural Literatura no Brasil.

13 julho, 2005

FELIAT

"1ª Feliat reúne autores do Alto Tietê

Feira será realizada no Suzano Shopping.
Uma grande feira de livros (1ª Feira de Livros de Autores do Alto Tietê - 1ª Feliat) de primeiro a 11 de setembro vai reunir no Suzano Shopping autores da região do Alto Tietê. Paralelamente à feira será realizado o "1º Encontro de Escritores do Alto Tietê" que deve ser encerrado com a criação da Associação de Escritores do Alto Tietê. MAIS INFORMAÇÕES COM PAULO MAURÍCIO pelo telefone 4741-2656 ou pelo E-mail jorpmauricio@hotmail.com
Veja abaixo o projeto da "1ª Feliat"

PROJETO DA FELIAT

"1ª Feira de Livros de Autores do Alto Tietê - 1ª Feliat" e "I Encontro de Escritores do Alto Tietê"
(Os dois eventos, abertos ao público terão palestras, workshops exposições, debates, música, poesia, exibição de vídeos).
Na região do Alto Tietê existem mais de 100 autores (romancistas, dramaturgos, poetas, contistas, historiadores, pesquisadores e pensadores, entre outros) que escrevem e publicam, a grande maioria quase sem divulgação, os seus livros, que terminam atingindo um público muito pequeno.
Assim, muitas vezes trabalhos interessantes ou até mesmo expressivos, são conhecidos apenas em círculos de amigos e familiares do escritor.
A "Feliat", que deverá ser realizada a cada dois anos pela Associação de Escritores do Alto Tietê, é uma oportunidade para que essa produção literária atinja um grande público.
Já o encontro de escritores vai reunir esses autores para discutir necessidades comuns como a fundação de uma Associação; edição, distribuição e venda de livros; como procurar uma editora; registro de obra e troca de experiências com colegas de outras regiões do Estado.

PÚBLICO ALVO

Escritores, aspirantes a escritores, amantes da literatura, estudantes, artistas de outras áreas, público em geral e moradores das cidades próximas.

A FEIRA

A "1ª Feira de Livros de Autores do Alto Tietê – 1ª", com duração de 11 dias (abertura mais dez dias), pretende reunir e mostrar pela primeira vez - em um único local - a produção literária da região do Alto Tietê.
Os livros serão vendidos a preços promocionais e uma porcentagem dessa venda, nessa primeira edição da feira, será doada para instituições filantrópicas.
No evento, além das dez barracas (uma para cada cidade da região) com obras de autores locais um espaço especial para lançamentos de livros; um pequeno palco para leitura de textos, interpretação de poemas e apresentação de músicos; um local "Café Literário" para encontros de escritores com visitantes; exposição de poemas e um espaço dedicado ao artistas plásticos que serão convidados a participar de uma mostra temática.
Cada um dos dez dias da feira será dedicado a um gênero literário ("Dia da Poesia", "Dia do Conto", Dia do livro infantil", "Dia do escritor evangélico", "Dia do Teatro", entre outros).

ENCONTRO

O "I Encontro de Escritores do Alto Tietê" vai reunir pela primeira vez os escritores da região em um seminário que deverá terminar com a fundação de uma Associação de Escritores ou de uma Academia de Letras do Alto Tietê e publicação da "Carta de Suzano" com as principais conclusões do seminário e reivindicações dos autores da região.
Todos os dias acontecerão palestras de interesse dos autores e do público em geral e serão agendados alguns encontros especialmente dirigidos aos escritores da região.
Como palestrantes serão convidados editores, autores consagrados, jornalistas especializados, agentes literários, diretores da Câmara Brasileira de Livros (CBL), entre outros.

12 julho, 2005

Itaim Paulista.

Por Alessandro Buzo.

Atencão, a inauguracão da BIBLIOTECA COMUNITÁRIA SUBURBANO CONVICTO será dia 23 de Julho, às 16:00 hs com palestra e coquetel. Semana que vem, depois do FAVELA TOMA CONTA a gente dá detalhes, veja abaixo como chegar e a programacão do FAVELA.
Inf. sobre a festa ou a biblioteca: alessandrobuzo@terra.com.br

ESTÁ CHEGANDO A HORA, É NESTE SÁBADO, SEXTO "FAVELA TOMA CONTA".
Muita gente tem ligado e mandado e-mail querendo saber como chegar no FAVELA TOMA CONTA, é muito fácil, não tem como errar. Se vier de carro, pegar a Rod. Ayrton Senna (antiga Trabalhadores), sair na saida de São Miguel Pta, depois que sair seguir o fluxo dos carros até a primeira avenida, então perguntar como fazer para chegar no Viaduto da China, ou do Mercado D`Avó do Itaim Pta, chegando no viaduto você sobe e CHEGOU, a festa fica entre o viaduto e o MC Donalds do estacionamento do D`Avó. De onibus vindo da região central. Pegar o onibus JD das Oliveiras 273X no Metro Arthur Alvin. Ou no metro Itaquera, Jd Camargo Novo ou Jd Camargo Velho, em qualquer desses onibus descer no mercado D`Avo da Av Marechal Tito (Cuidado para não descer no D`Avó de S.Miguel que fica na Av São Miguel). De trem, pegar no Brás sentido Calmon Viana, descer na Estacão Itaim Paulista, sair na saida RAFAEL CORREIA DA SILVA, perguntar da Av Marechal Tito, pegar ela de pé sentido São Miguel, uns 15 minutos andando. PODE IR TRANQUILO QUE NÃO TEM COMO ERRAR.
Veja abaixo a Programacão da festa.
www.suburbanoconvicto.blogger.com.br
SUBURBANO CONVICTO PRODUCÕES APRESENTA...
FAVELA TOMA CONTA (sexta edição)
Hip Hop de rua com os 4 elementos......... 16 grupos de SP e RJ
DIA 16 de JULHO A partir das 12.00 hs Shows com...... VRL (Itaquá) SOBREVIVÊNCIA CONSISTENTE (São José dos Campos) S Z L (Mogi das Cruzes) EXL ALERTA VERMELHO D`ELEMENTOS AUTENTICOS MC`S BONNE DEE BAND BOM FILOSOFIA DE RUA PROVERBIOS 23 TRIBUNAL MCS NEGO CHIC E OS GUERREIROS E do Rio de Janeiro........ DINHO K 2 MANUSCRITOS DUDU DE MORRO AGUDO FIELL LANCAMENTO OFICIAL DO CD (ARBITRO DA PROPRIA VIDA) do rapper FIELL do RJ.
Apresentação: ALESSANDRO BUZO Discotecagem: DJ ZÓIO Break com Andrezinho e Eduardo. Graffit LOCAL: AV MARECHAL TITO, (Ao lado do mercado D`Avó do Itaim Pta) Inf: (11) 8218-7512 ou alessandrobuzo@terra.com.br
SE POSSIVEL DOE 1 LIVRO ou 1 KG DE ALIMENTO. Apoio: LITERATURA NO BRASIL, RAP BRASIL, MOVIMENTO ENRAIZADOS (RJ), PORTAL RAP NACIONAL, REAL HIP HOP, PORTE ILEGAL.

11 julho, 2005

Campanha.

Onde está Érika Vander?
(Ricardo Senna)

Achei um livro que guardava uma preciosidade: o bilhete escrito de próprio punho pela poeta goiana Cora Coralina. O bilhete está endereçado a essa misteriosa personagem que o mundo dos blogueiro agora se encarrega de encontrar: Érika Vander. Quem será ela? Será que se lembra do dia em que recebeu esse bilhete? Estaria ela visitando Cora Coralina em sua casa na Cidade de Goiás? Teria experimentado os famosos doces caseiros que a poeta fazia?
Pesquisa da Veja informa que cerca de 60% dos internautas brasileiros acessam regularmente os blogs. Sendo assim, creio que temos grande chance de revelar ao mundo essa personagem que em 1981 encontrou-se com Cora Coralina, recebeu um bilhete tão carinhoso e guardou-o dentro do primeiro livro publicado pela poeta.
Érika Vander vai acabar se transformando em personagem de livro, filme ou novela...

5ª Fase

Amor de urna
(Marcopezão)

O domingo amanheceu choroso. A garoa fina carregada pelo vento embaçando o dia. De posse dos instrumentos de trabalho, colocou a bolsa tiracolo e caminhou porta afora. Já no portão, a falta de entusiasmo para enfrentar o tempo adverso o fez recuar.
De volta à cozinha tomou outro café. Acendeu mais um cigarro. Vai não vai? Melhor ficar. Angústia querendo atolar. Estresse! Toma coragem, valente. Caminha, avante. Não deixe o bicho pegar, sussurrou a si mesmo.
Na rua, inúmeros cartazes nos postes emporcalham a molhada visão. Democracia, as eleições se aproximam. Os carros de sons apregoam candidatos; males e benefícios, projetos e milagres.
O bate-bola enfocado na câmera fotográfica. O futebol sendo jogado. Disputado em baixo de fina água, no terreno lamacento. A várzea fria aquecida pelos amigos que encontra. A mesma batida dominical. Religiosidade. Marmanjos feito crianças. Rotina semanal. Segue anotando gols em partidas várias. O empate de Rejeitados do Maria Rosa versus Meninos do Taboão. O Bangu vencendo o Santos do Piraju. E, no final da tarde, a vitória do Morro sobre o Pirapora.
Os afazeres poderiam ter terminado naquele copo de cerveja. O ônibus leva seu corpo, mas a cabeça já está em outro plano. De volta ao doce lar sem mel, o banho refaz. Almoço e janta pontuam 18 horas. A friagem aumenta e ele volta a ter o pé na estrada. Renova as pilhas, preparando o flash noturno.
Um circular pára ao seu aceno. Retomado o sacolejo, uma moça oferece o lugar: “Senhor quer sentar?” Negou com agradecimento a gentileza, mas certamente pensou: “Será que estou tão velho assim?” Preocupado, buscou encarar a imagem refletida no vidro à sua frente.
Agora outra balada. Pessoas reunidas à praça no Jardim Clementino acompanham o showmício eleitoral. Uma Brahma lhe é servida. Saboreia apreciando o movimento, esperando o momento de clicar ação. Mais rápido que o abrir e fechar da cortina do diafragma entra em cena um certo Domingues; saído de uma história teatral. O aborda e lhe diz inverdades, ferindo a razão de sujeito sério. Como uma facada vil e cortante, as palavras o atingiram denotando seu semblante. A resposta aguda e irada sapecou e despachou o desafiante. O sangue no rosto vermelho se misturou ao gosto do Capeta, batida com champanhe e amendoim.
“Ai de mim” - disse a moça chorosa, ao lado, observando-o com insatisfação. Nervoso e procurando conter outro drama, refugiou-se com ela num canto atrás de uma Kombi.
- O que tem você, criatura? Primeiro aquele imbecil, agitado por esse clima de disputa eleitoreira, pela falta de ética, de boatos, patifarias, e mentiras mil, me diz desaforos e rompe uma amizade que até então era franca e cordial. E, assim, num instante, a afeição jaz fraca cerceada de pensamentos maus. Diga, o que você tem criatura?
Enxugando a lágrima murmurou: “Eu ouvi a discussão. Para que se preocupar? Amizade é apego que passa e volta sem maior apreço, se encontra sem esforço, de graça.” E acrescentando ávida por dengos e beijos: “Mas o nosso caso é diferente. Pela sua indiferença em não me ligar durante a semana, dói muito constatar que amor conquistado na campanha de eleição sempre e tão somente acaba na urna”.
E desatou a chorar.
Marcopezão, é um dos
coordenadores da Cooperifa.

Vem aí o livro “Graduado em Marginalidade”, um romance urbano contemporâneo, primeiro livro do escritor Sacolinha!

Portas abertas
O projeto cultural Literatura no Brasil, está aceitando textos para serem divulgados na “Sexta Fase” do projeto, que será lançada em agosto de 2005.Todo texto que o projeto recebe, é analisado por uma comissão literária e se aprovado for, será trabalhado durante quatro meses (Uma fase).Debates, palestras, rádios comunitárias, exposições, eventos, feiras literárias, saraus, encontros sociais, e Internet, são os ambientes onde o Literatura no Brasil divulga os textos.Áqueles que trabalham com literatura, ou seguem a carreira de escritor, não percam essa oportunidade, são mais de 1.400 leitores de todo o Brasil, cadastrados com o projeto.

Á direção.

09 julho, 2005

Conto...

Degradação

- Não sabe fazer as coisas na encolha, olha aí o que dá. A corregedoria caiu em cima, e o pior é que sujou até eu. Está afastado entendeu, ou melhor, me dá a farda e o ferro, esquece que você foi da polícia...
As últimas palavras do meu ex-superior ainda ecoam em minha mente. Porra, como eu pude vacilar daquele jeito, bater no garoto na frente de centenas de pessoas. Que garoto que nada, era um nóia isso sim, e por isso tem é que apanhar mesmo. Mas o pior é que eu não me controlei, bati a ver sangue. Foi merecido, não me arrependo. Além do mais já estavam de olho em mim fazia tempo, ia rodar de qualquer forma.
É, que falta me faz a farda, três meses sem ela e me sinto um verme. Uma ora ou outra aparece um bico de segurança pra fazer, dá pra sair da rotina mas nada que vale a pena.
O difícil é ficar em casa de dia sem fazer nada. Ficar olhando pra cara da mulher dá até nojo. O bom era quando eu fazia parte da corporação, várias noites com as prostitutas do Largo Treze, era cocaína e sexo, sexo e cocaína. Vixe, só de lembrar me dá até tremedeira. Mas acabou. Adeus extorsão, torturas, tapas na cara, mulheres fáceis, cocaína, mordomias...
Vou à rua ver se tem alguém pra jogar conversa fora.
Pô, não tem ninguém. Então vou lá no bar do Toicinho.
Cheguei no boteco, cumprimentei os presentes e pedi uma dose de conhaque. Mais uma vez o santo ficou de lado, mal senti o gosto da bebida, só a queimação na garganta.
Os clientes são os mesmos de sempre, três ou quatro pingaiada que chegam aqui na hora que o bar abre e só saem quando o dono da birosca desce a porta. A conversa gira em torno de fofoca, pasmaceira, nada aproveitável, mas vou ficar por aqui, é melhor do que transar com a minha mulher.
A noite vem caindo... Opa, vai começar a novela das sete, é hoje que o doutor vai ser desmascarado.
Ultimamente me apeguei a assistir as novelas, não me leve a mal não, mas cá pra nós, tem coisa melhor que isso?
Mandei o Toicinho pendurar o conhaque que tomei, me despedi dos amigos e sai andando. Serrei um cigarro de um tiozinho que passou por mim. Dar uns tragos é bom , faz eu relaxar, é como uma massagem corporal.
Chegando em casa, vi tudo escuro e umas velas acesas, cheguei a pensar que era para os santos, coisa de mulher sabe, mas quando perguntei, ela disse que a luz havia acabado.
- Caralho, logo na hora da novela.
Saio novamente pra rua e sento na calçada, fico pensando na minha mulher. Quatro anos de casado e a desgraçada já engordou. Não faz mais comida como antigamente e fica o dia inteiro a tagarelar com as vizinhas. Da minha parte, tirando a barba que eu não faço há dias e os pêlos nas partes íntimas, até que não estou nada mal.
Lá na ponta da rua está vindo a gostosona da vizinha, que pernas... Vixe, os pernilongos estão enchendo o saco. Vou descer e tentar dormir, quem sabe eu não consigo acordar tarde amanhã. Dou graças a Deus quando isso acontece. Acordo no meio do dia, fumo um cigarro aqui, jogo uma conversa fora ali e quando menos espero já é noite, hora da sessão de novelas. Depois é só dormir, mais um dia vencido.

Ademiro Alves (Sacolinha)
autor do livro: Graduado em Marginalidade,
que será lançado em agosto.

08 julho, 2005

Gozando poesia

TEXTO PARA QUEM "COMO EU" AMA SAMPA
(que estava guardado nos remexidos arquivos das minhas poesias)

São Paulo, 451 anos (de muitos anos). Quem dera mergulhar em águas imaginárias e, ao emergir, fixar meu olhar no ponto onde tudo começou.Quem sabe meus pés calcassem então o solo enlameado e virgem de projetos e edificações.Quem sabe dissesse ao colonizador: "O que estás ajudando a construir hoje tornar-se-á, no futuro, o espaço das grandes concentrações voltadas para o lazer, a informação e a cultura. Enfim, para a vida...Aqui, onde depositas a pedra fundamental, milhares de passos passarão pisando. Talvez alheios a tudo que hoje aqui ocorre. Noutros, porém - sobretudo aqueles com olhares poéticos, lúdicos e boêmios-, repousarão inspirados versos, cantigas, contos e cantorias. E, mesmo quenão verbalizem um agradecimento sonoro que se faça ouvir em toda a plenitude, tenham a certeza de uma coisa: no íntimo de cada ser, desses capazes de enxergar com a ótica poética, haverá ao menos um filete de regozijo e satisfação por estar aqui.Teus olhos, ó idealizador, obviamente já tragados há muito pelo solo - pois isso dar-se-á daqui a mais de quatro centenas e meia de anos - não verão nada disso. Desde já conforta-te, porém, em saber que tu serás lembrado. E quando as cortinas do sol abrirem-se no horizonte, e quando vários poetas estiverem reunidos, então saberei que neste dia os calendários do nosso solo paulistano estarão marcando 25 de janeiro do ano de 2005.Teu gesto então será celebrado por aqueles que carregam no coração o amor por esta mãe-metrópole tão receptiva e hospedeira. Que não faz distinção de raça, cor, credo. E que a todos se dá, sem nada esperar em troca. A não ser o gozo pela vida e pela preservação de sua própria história.

Autor: Carlos Silva (Cantor, compositor e poeta)

07 julho, 2005

Poesia...

NOS AMAMOS?
(Fernanda Hanna)


Sob a luz do que eu já não mais enxergo durante este tempo todo
Tornei-me verbo sujeito
A tudo que passava em nome do amor que senti
Sujeito a todas as tempestades capazes de acontecer provenientes de você
Recolhi muitas vezes minhas vestes
Molhadas da água da chuva toda
Que tomei todas as vezes que me jogou na rua
Por amor eu fui e voltei tanto que perdi as contas, a vergonha e o respeito
Me fiz verbo sujeito
A todos os seus caprichos entitulados crises
Em nome do amor que sentia
Aceitei as migalhas que caíam de cima da sua mesa
Como um cão que espera pacientemente que o dono
Se lembre dele ao comer eu quis ter seu amor e nem seu cão consegui ser
Ainda assim paguei com amor que era o que eu tinha a oferecer
De verbo sujeito,
Sujeito jogado ao chão,
Hoje atendo pelo nome solidão
Aquela que me faz ver a cada dia que a tristeza jamais é tardia
Que humilhar quem se diz amar, quem se sabe amar é covardia
De sujeito solidão eu vou
Andando lentamente rumo ao meu destino
Levando na bolsa um lenço e na mente uma canção
Eu vou tentar deixar essa fase passar, esfriar.
A vida trouxe, o tempo há de levar
Do corpo surrado a dor há de passar
A ferida aberta... esta, talvez nem o tempo seja capaz de fechar
Ma há a certeza de que a liberdade que tanto quis
Você para sempre há de ter
Eu não detenho as chaves que em verdade jamais tive
E você sempre soube
Levo comigo a certeza de que amei como criança
O sentimento mais nobre e puro que pude dedicar a alguém
Os sonhos e planos foram todos para você
Que não me quis como sou, porque sou ou não sou exatamente
Como aquilo que cai bem aos olhos do mundo.
Porque o coração sangrando já não tem esperança.
Porque as pessoas valem pelo que têm e não pelo que verdadeiramente são e sentem.
Meu ofício é o que tenho.
O ganho é curto, o trabalho muito.
A mente fica ocupada, o corpo cansa.
O tempo passa, um dia eu morro e tudo acaba.


Fernanda Hanna
(poesia originalmente publicada no blog: fragmento.zip.net)

Para fazer um comentário neste blog, clique em "coments" depois "post a coment", faça o comentário e escolha o nome "outro", após digite o seu nome e clique em "postar".

06 julho, 2005

Aconteceu...

Ontem o Centro Cultural de Suzano recebeu o escritor, roteirista e dramaturgo Fernando Bonassi. A palestra durou em torno de duas horas e com direito a um curta "O trabalho dos homens" produzido e dirigido pelo próprio Bonassi. 107 pessoas assistiram e participaram da palestra.
O próximo evento será o 3º Pavio da Cultura que acontecerá neste sábado ás 20h00, com literatura, música, cinema e teatro. Haverá troca de textos durante o evento.

"Suzano está passando por uma revolução lierária de fomento á cultura e o projeto cultural Literatura no Brasil é uma peça fundamental deste processo" Ademiro Alves (Sacolinha)
_______________________________________________
Entrevista originalmente publicada no site www.rapnacional.com.br
Não é a primeira vez que entrevistamos Alessandro Buzo, mas essa nova entrevista se fez necessária devido aos vários corres que esse mano tem feito pela LITERATURA MARGINAL e pelo HIP HOP. Buzo é um incansável que acredita que todo louco tem seu compromisso, vamos ver as idéias dele nessa entrevista exclusiva. Para quem não sabe Alessandro Buzo é nosso colunista aqui no PORTAL RAP NACIONAL.

05-07-2005 - Alessandro Buzo
Rap Nacional: Você está relançando o seu primeiro livro O TREM ?Buzo: Sim, revisado e ampliado, praticamente é um novo livro e vem com o titulo O TREM - CONTESTANDO A VERSÃO OFICIAL.

RN: Contestando a versão oficial ?Buzo: Isso mesmo, a versão oficial é a que passa no horário político do PSDB, que diz que os trens da periferia são modernos e com ar condicionado, ignoram a linha Brás/Calmon Viana que passa aqui no Itaim Paulista, são aproximadamente 113 mil passageiros dia, pagamos R$ 2,10 de passagem, mas os trens aqui são velhos, com muitos problemas e falta principalmente respeito com os usuários, nesta nova versão vou pegar pesado com a CPTM.

RN: Para quando é o livro ?Buzo: Deve sair em setembro agora.

RN: Além deste relançamento vem outro livro ai ?Buzo: Sim, em dezembro lanço GUERREIRA, um livro todo novo que fala da vida de uma mulher, que tenta largar as drogas e passa por muitas coisas na sua vida, vai ser um livro que fala de assuntos atuais.

RN: Fale do Favela Toma Conta ?Buzo: É um evento de rua, com os 4 elementos do hip hop, dia 16/07 é a sexta edição com 16 grupos do Rio de Janeiro e São Paulo, e a sétima será no dia das crianças.O favela já trouxe grandes nomes do rap nacional para se apresentar aqui no Itaim Paulista, na rua, na favela, sem cobrar ingresso, a molecada toma conta da festa, é uma satisfação promover.

RN: E a biblioteca ?Buzo: Inauguro dia 23 de Julho aqui na quebrada a BIBLIOTECA COMUNITÁRIA SUBURBANO CONVICTO, para mim é uma grande alegria, quero ver o povo lendo e sei que a melhor maneira é assim, criando bibliotecas gratuitas, infelizmente o fator financeiro atrapalha muitos aqui, o cara já não tem o habito de ler, ainda ter que desembolsar uma grana acaba afastando.Acredito na revolução através da leitura, um povo instruído não pode ser manipulado.O governo faz o que quer porque não reivindicamos nada, a maioria do povo vive de casa pro trabalho e do trabalho para frente da TV a noite, a TV aliena, com uma programação sem teor cultural, milhões de pessoas vendo o Big Brother por exemplo é lamentável, o que traz de bom assistir João Kleber, Hebe Camargo, Gugu ? Nada. Só alienacão.

RN: Um livro seu vai virar documentário ?Buzo: Isso mesmo, O TREM vai virar documentário, quem vai produzir é a DGT FILMES, terá 50 minutos e pretendemos concorrer ao DOC TV, que é um projeto da Tv Cultura com o Governo no Est. de SP, vamos trabalhar muito até o ano que vem, para mim é uma satisfação ver meu trabalho virando filme.

RN: Já teve um que virou peca, isso mesmo ?Buzo: Sim, o meu texto no Literatura Marginal - ATO I, virou monologo com uma atriz, foi muito gratificante.

RN: Fale do Literatura MArginal.Buzo: O especial Caros Amigos/Literatura Marginal teve 3 edições, eu participei do I e do III, agora vai virar livro e eu também estarei envolvido, é uma reunião de talentos periféricos.

RN: E a rádio ?Buzo: Estou com o Programa Enraizados - Ritmo e Poesia na Studio FM 97,5, apresento ao lado da amiga Cris, está sendo bem legal a experiência.

RN: Família ?Buzo: É a base de tudo, eu amo a minha, tenho uma esposa que é lado a lado comigo, um beijo Marilda e um filho maravilhoso, o Evandro de 5 anos.

RN: Como arruma tempo para tantos compromissos ?Buzo: Primeiro eu tenho o dom da disposição e depois acredito que tudo isso é um compromisso social meu, incentivar a cultura na periferia, as vezes cansa, falta dinheiro e muito, mas sigo lutando, costumo dizer que NÓIS CAPOTA MAIS NUM BREKA.Além de todos os corres que faço na cultura eu ainda trabalho numa empresa das 8.00 às 18.00 hs de segunda a sexta, nem eu sei como agüento tantos compromissos, é só por Deus mesmo.

RN: E o seu blog ?Buzo: O meu blog completou 2 anos no ar e é atualizado diariamente com textos meus e de amigos, matérias, fotos, entrevistas.O blog é muito legal de fazer, tem um publico fiel e aparece contato de varios lugares do mundo como E.U.A., Franca, Japão, Argentina e outras localidades, geralmente são brasileiros que por lá vivem, tem também uma galera em outros estados, é muito bacana conhecer essa gente toda e saber que eles estão conhecendo meu trabalho.Acesse o blog: www.suburbanoconvicto.blogger.com.br

RN: O que achou da nova cara do PORTAL RAP NACIONAL ?Buzo: Ficou bem loko e é uma honra para mim ser colunista.

RN: O que falta para você hoje ?Buzo: Apoio financeiro de alguma empresa, tenho vários projetos em andamento e outros aguardando apoio, fica difícil tudo nas minhas costas, acabo tirando da minha família para investir da cultura, enquanto isso tem uma porrada de empresas que poderiam estar fazendo uma parceria, estamos abertos para negociar.

RN: Então deixe seu contato ?Buzo: O celular é (11) 8218-7512, Fone/Fax (11) 6567-9379 e o email é: alessandrobuzo@terra.com.brRN: Suas considerações finais ?Buzo: Muita paz a toda periferia e vamos trocar a TV pelos livros, um salve a todos que acreditam e curtem meu trabalho, tamo junto.Valeu Rap Nacional pela oportunidade.

05 julho, 2005

Eventos.

Agora o Rio de Janeiro treme...
Por Alessandro Buzo

O Movimento Enraizados, que é uma organização que tem um currículo extenso em diversos seguimentos dentro da cultura hip hop, agora resolve apostar numa festa ¿chapa quente¿ chamada SÓ DIRETORIA, realizada antes só para a diretoria da organização e amigos próximos, e agora aberta para toda a diretoria do hip hop nacional. A primeira edição desta festa será especial, vai ser realizada no dia 09 de julho (Sabadão), com o lançamento do CD ARBITRO DA PRÓPRIA VIDA e do viídeo Clipe da música CHAMADA A COBRAR, ambos do rapper Fiell, além da participação especial do TRIBUNAL MCS-SP, Dudu de Morro Agudo, Dinho K2, Refém, Jamile (Negativa) e Dimetal. Pra honrar o nome do evento também terá o SHOW do grupo carioca VEREDITO DO GUETO e do grupo TRIBUNAL MCS de São Paulo , apresentando músicas de seu último álbum. E pra parada ficar mais maneira, a Skol fica por R$0,99. Tenho certeza que se você é DIRETORIA não vai perder essa FESTA!!! Saiba mais: SÓ DIRETORIA ¿ A FESTA Dia 09 de Julho, Sabadão ¿ A partir das 21hs Local: DANCETERIA COLUMBIA Rua Pinto Teles, 1.058 ¿ Vila Valqueire (Rua Paralela a Cândido Benício ¿ 28DP) ACESSO: Vindo de Madureira ¿ Ônibus 952 sentido Praça Seca ¿ Passa em frente ao clube. Vindo do Centro ¿ Ônibus 284 Praça Seca ¿ Descer em frente a 28 DP Vindo do Centro ¿ Ônibus 260 Vila Valqueire ¿ Descer na Av Intendente Magalhães, no Colégio Pentágono Vindo de Caxias ¿ Ônibus Caxias-Pau Ferro - Descer em frente a 28 DP Vindo de Nova Iguaçu ¿ Ônibus Nova Iguaçu-Praça Seca - Descer em frente a 28 DP Ingresso: Homem ¿ R$7,00 Mulher ¿ R$4,00 Venda Limitada Venda de Antecipados: DANCETERIA COLUMBIA - (21)3833-4324 UNIVERSO MUSIC ¿ Uruguaiana ¿ Qd D, nº478 ¿ Fone: (21)9166-9862 LOCAL A3 VIDEO LOCADORA - Rua Andrade Pinto, nº10 - Praça do Patricarca - Madureira - (21)3015-1816 Assessoria de Imprensa Flávio de Assis (21)3770-7444 ou (21)8703-1648 Mais Informações Emerson Santos (21)3018-9512 ou (21)9151-6129 Realização: MOVIMENTO ENRAIZADOS www.enraizados.com.br enraizados@enraizados.com.br


www.suburbanoconvicto.blogger.com.br
SUBURBANO CONVICTO PRODUCÕES APRESENTA....
FAVELA TOMA CONTA (sexta edição)
Hip Hop de rua com os 4 elementos......... 16 grupos de SP e RJ DIA 16 de JULHO ¿ A partir das 12.00 hs Shows com...... VRL (Itaquá) SOBREVIVENCIA CONSISTENTE (São José dos Campos) S Z L (Mogi das Cruzes) EXL ALERTA VERMELHO D`ELEMENTOS AUTENTICOS MC`S BONNE DEE BAND BOM FILOSOFIA DE RUA PROVERBIOS 23 TRIBUNAL MCS NEGO CHIC E OS GUERREIROS E do Rio de Janeiro........ DINHO K 2 MANUSCRITOS DUDU DE MORRO AGUDO FIELL LANCAMENTO OFICIAL DO CD (ARBITRO DA PROPRIA VIDA) do rapper FIELL do RJ. Apresentação: ALESSANDRO BUZO Discotecagem: DJ ZÓIO Break com Andrezinho e Eduardo. Graffit LOCAL: AV MARECHAL TITO, (Ao lado do mercado D`Avó do Itaim Pta) Inf: (11) 8218-7512 ou alessandrobuzo@terra.com.br SE POSSIVEL DOE 1 LIVRO ou 1 KG DE ALIMENTO. Apoio: RAP BRASIL, MOVIMENTO ENRAIZADOS (RJ), PORTAL RAP NACIONAL, REAL HIP HOP, PORTE ILEGAL, MTV, CARLINHOS BCA BONE E LITERATURA NO BRASIL.

04 julho, 2005

Direito autoral.

POR EDSON MARQUES
Como Clarice Lispector será homenageada na FLIP, pretendo obter um posicionamento oficial dos editores, dos biógrafos e dos herdeiros dessa escritora frente ao escândalo que, veementemente, tornarei público na ocasião:
OS HERDEIROS DE CLARICE LISPECTOR FIRMARAM, DESONESTAMENTE, UM CONTRATO DE LICENCIAMENTO COM A AGÊNCIA LEO BURNETT.
Nesse contrato, segundo a própria Agência, tais HERDEIROS "venderam" um poema escrito por Edson Marques (o poema MUDE, usado em Comercial da FIAT), receberam os respectivos "direitos autorais", e agora recusam-se a tratar do assunto publicamente.


Mude
Edson Marques


Mas comece devagar, porque a direção é mais importante que a velocidade.
Sente-se em outra cadeira, no outro lado da mesa. Mais tarde, mude de mesa.
Quando sair, procure andar pelo outro lado da rua. Depois, mude de caminho, ande por outras ruas, calmamente, observando com atenção os lugares por onde você passa.
Tome outros ônibus. Mude por uns tempos o estilo das roupas. Dê os teus sapatos velhos. Procure andar descalço alguns dias.
Tire uma tarde inteira para passear livremente na praia, ou no parque, e ouvir o canto dos passarinhos.
Veja o mundo de outras perspectivas. Abra e feche as gavetas e portas com a mão esquerda.
Durma no outro lado da cama... depois, procure dormir em outras camas.
Assista a outros programas de tv, compre outros jornais... leia outros livros, Viva outros romances.
Não faça do hábito um estilo de vida. Ame a novidade. Durma mais tarde. Durma mais cedo.
Aprenda uma palavra nova por dia numa outra língua. Corrija a postura. Coma um pouco menos, escolha comidas diferentes, novos temperos, novas cores, novas delícias.
Tente o novo todo dia. o novo lado, o novo método, o novo sabor, o novo jeito, o novo prazer, o novo amor. a nova vida.
Tente. Busque novos amigos. Tente novos amores. Faça novas relações.
Almoce em outros locais, vá a outros restaurantes, tome outro tipo de bebida compre pão em outra padaria. Almoce mais cedo, jante mais tarde ou vice-versa.
Escolha outro mercado... outra marca de sabonete, outro creme dental... tome banho em novos horários.
Use canetas de outras cores. Vá passear em outros lugares. Ame muito, cada vez mais, de modos diferentes.
Troque de bolsa, de carteira, de malas, troque de carro, compre novos óculos, escreva outras poesias.
Jogue os velhos relógios, quebre delicadamente esses horrorosos despertadores.
Abra conta em outro banco. Vá a outros cinemas, outros cabeleireiros, outros teatros, visite novos museus.
Mude. Lembre-se de que a Vida é uma só. E pense seriamente em arrumar um outro emprego, uma nova ocupação, um trabalho mais light, mais prazeroso, mais digno, mais humano.
Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as. Seja criativo.
E aproveite para fazer uma viagem despretensiosa, longa, se possível sem destino.
Experimente coisas novas. Troque novamente. Mude, de novo. Experimente outra vez.
Você certamente conhecerá coisas melhores e coisas piores do que as já conhecidas, mas não é isso o que importa. O mais importante é a mudança, o movimento, o dinamismo, a energia. Só o que está morto não muda !

"Repito por pura alegria de viver: a salvação é pelo risco, sem o qual a vida não vale a pena" (Clarice Lispector)

Antes de qualquer reclamação: Este poema está circulando pela internet com a autoria erroneamente atribuída à Clarice Lispector. Provavelmente a frase utilizada no final do poema - corretamente creditada - deve ter causado esta confusão.

02 julho, 2005

Datas...

JANEIRO
Dia 05 - Criação da Primeira Tipografia no Brasil
Dia 07 - Dia do Leitor
Dia 17 - Fundação da União Brasileira de Escritores, 1958.

FEVEREIRO
Dia 07 - Dia do Gráfico
Dia 27 - Dia Nacional do Livro Didático

MARÇO
Dia 12 - Dia do Bibliotecário
Dia 14 - Dia do Vendedor de Livros
Dia 14 - Dia Nacional da Poesia
Dia 19 - Dia do Livro
Dia 21 - Dia Mundial da Poesia
Dia 28 - Dia do Diagramador e do Revisor

ABRIL
Dia 04 - Dia do Livreiro Católico
Dia 18 - Dia Nacional do Livro Infantil - (Nascimento Monteiro Lobato, 1882)
Dia 23 - Dia Mundial do Livro e do Direito Autoral

MAIO
Dia 01 - Dia da Literatura Brasileira
Dia 05 - Fundação da Associação Nacional de Livrarias, 1978.
Dia 13 - Dia da Biblioteca Nacional (Rio de Janeiro, 1811)
Dia 21 - Dia da Língua Nacional

JUNHO
Dia 05 - Fundação da Associação Brasileira de Direitos Reprográficos, 1992.
Dia 10 - Dia da Língua Portuguesa
Dia 20 - Fundação da Associação Brasileira de Editores Cristãos, 1988.
Dia 21 - Dia do Intelectual
Dia 24 - Dia das Empresas Gráficas
Dia 29 - Dia do Escritor Paulista

JULHO
Dia 18 - Dia do Trovador (Homenagem a Gilson de Castro (Luiz Otávio).
Dia 25 - Dia Nacional do Escritor

SETEMBRO
Dia 02 - Dia Internacional do Livro Infantil
Dia 08 - Dia Internacional da Alfabetização
Dia 20 - Fundação da Câmara Brasileira do Livro, 1946.
Dia 30 - Dia Mundial do Tradutor

OUTUBRO
Dia 04 - Dia do Poeta Paulista
Dia 06 - Aniversário do Portal Amigos do Livro (2001)
Dia 13 - Dia Mundial do Escritor
Dia 20 - Dia Mundial da Poesia
Dia 29 - Dia Nacional do Livro

NOVEMBRO
Dia 05 - Dia Nacional da Cultura
Dia 15 - Dia Nacional da Alfabetização
Dia 22 - Fundação do Sindicato Nacional dos Editores de Livros, 1941.
Dia 23 - Dia Internacional do Livro

Atenção: Quem quiser promover um lançamento do livro Graduado em Marginalidade do escritor Ademiro Alves (Sacolinha), entre em contato com o Projeto Cultural Literatura no Brasil. Disponibilizamos 100 (cem) convites e ajuda na divulgação, seja dentro ou fora do estado de São Paulo.
(11) 47495744 / 47591949 / 83252368
literaturanobrasil@bol.com.br

01 julho, 2005

Últimas notícias!

Faltam 36 dias para o lançamento do livro Graduado em Marginalidade, um romance contemporâneo do escritor Ademiro Alves (Sacolinha) com participações de Fernando Bonassi (comentário), Alessandro Buzo (prefácio), Sérgio Vaz (poesia), Ferréz (comentário), Juan Perone, escritor cubano (comentário) e Bruno Capozolli (comentário).
_________________________________________________________
Dia 05 de julho Fernando Bonassi vem à cidade de Suzano para contar a sua trajetória literária.
Local: Centro Cultural de Suzano - Rua Benjamin Constant, 682 - Centro.
Horário: 19h00.
_________________________________________________________
De 19 à 23 acontecerá a 1ª ExpoNegro de Suzano, com exposição de artes plásticas, exibição de filme, lançamento de livros, sarau negro, debate, desfile afro, capoeira, samba, rap, dança, batuque e percussão.
Aguardem mais detalhes.
_________________________________________________________
Vem aí o projeto Samba e Poesia, um tributo aos bambas.
_________________________________________________________
Logo publicaremos as entrevistas com: Luiz Alberto Mendes (Memórias de um sobrevivente) e Maurício Pestana (Escritor cartunista e desenhista).
_________________________________________________________
Atenção para o próximo evento Favela Toma Conta.
Dia 16 de julho a partir das 14h:00 no Itaim Paulista.
Informações: (11) 82187512 - Alessandro Buzo
_________________________________________________________
Dia 23 de julho - Inauguração da biblioteca comunitária Suburbano Convicto no Itaim Paulista.

23/11