29 fevereiro, 2016

Comunidade do Conto

E nesta quarta-feira, 2/3, teremos a 2ª edição de 2016 da Comunidade do Conto. O tema em que nós, contistas, estamos debruçados é "Álcool e Juventude". Segue o texto do professor Sérsi Bardari, que foi quem mediou a nossa discussão na 1ª edição. 

Álcool e Juventude: uma combinação explosiva

Sérsi Bardari

Jovens e álcool, esse binômio parece sempre ter dado liga.
Herdeira das tradições greco-romanas, a sociedade ocidental nunca deixou de beber na fonte dos ritos religiosos dedicados a Dionísio, o deus do vinho. A celebração dos Mistérios Dionisíacos, como eram conhecidos tais festejos na Grécia Antiga, implicava a ingestão de agentes tóxicos, para induzir transes que erradicavam as inibições.
Por vivenciarem um momento em que grandes transformações corporais e psíquicas ocorrem em suas vidas, era, e ainda é, comum aos jovens sentirem-se deslocados, ou seja, destituídos de referências que lhes deem segurança para assumir a própria identidade. Relacionado a essas situações, na mitologia, vamos encontrar Dionísio como aquele que acorre aos introvertidos, isto é, aos que sentem vergonha de se expressar socialmente.
  Nas Dionisíacas, festivais de teatro realizados em Atenas, os atores das peças em honra ao deus do vinho usavam máscaras, símbolos da submersão de sua identidade na de outrem. Como pano de fundo das cenas teatrais, ocorria a apresentação do coro, fortemente representativa da dissolução do indivíduo no coletivo. Os membros do coro dionisíaco dançavam e cantavam em uníssono, de modo que cada participante era simplesmente fração insignificante do todo. Nesses eventos, regados a muito vinho, toda a individualidade deveria ser ofertada a Dionísio, para que, por catarse, pudesse ser reconhecida.
A partir do século XX, o desafio de assumir a individualidade será tema de discussão constante entre psicólogos e educadores dedicados a estudar a passagem da adolescência para a vida adulta. As mudanças no corpo, como tamanho, peso, proporção, surgimento de pelos, maturidade dos órgãos genitais, entre outras, obrigam o jovem a aceitar a perda da condição infantil e a projetar uma forma de identidade no mundo adulto. Esse processo de transformação não raramente emerge acompanhado de medos e fortes crises existenciais.
O jovem experimenta então uma época em que sente a necessidade de comparar o modo como ele se vê com o modo como os outros o percebem. Essas imagens, na maior parte das vezes, não coincidem. A diferença gera desequilíbrios que se manifestam ora pela recusa, consciente ou inconsciente, em renunciar aos cuidados oferecidos pelos pais, ora pela dificuldade em assumir responsabilidades. É o momento em que a tentação de dissolver-se no coletivo ou refugiar-se no mais recôndito dos isolamentos é grande. Na atualidade, essa espécie de fuga tem sido verificada, em geral, como um mergulho profundo no ambiente virtual ilusório das redes sociais.
Os mecanismos de defesa utilizados contra a angústia inerente a esse período são vários, de acordo, evidentemente, com as condições socioculturais em que o jovem esteja inserido. Ele pode tanto eleger ídolos com quem se identifique quanto participar de grupos nos quais os padrões de comportamento pautem-se por referências bastante claras. Manifestações de egocentrismo e narcisismo também são passíveis de ocorrer, como forma de tentar equilibrar o pensamento formal, ou seja, uma visão idealizada do mundo, com a realidade circundante.
A distância observada entre esses dois universos é que vai impulsionar o jovem a, em certas situações, negar os modelos de comportamento vigentes e a tentar empreender revoluções políticas e sociais, quase sempre frustradas, dadas as imposições fortemente enraizadas na conjuntura estabelecida no seu em torno. De outro lado, a busca imediatista por relacionamentos afetivos que o ajudem a livrar-se da dependência emocional da mãe ou do pai resulta, em muitos casos, em amargas decepções.
Tudo isso, somado a um contexto cultural em que o álcool surge como droga lícita e de fácil acesso, leva o jovem a buscar na embriaguez algum alívio para pressões emocionais. Aprende-se desde cedo, inclusive dentro dos lares, que bebida alcoólica é o combustível ideal para todas as ocasiões em que a alegria deve prevalecer. Jantares especiais, festas, churrascos e demais comemorações, até mesmo religiosas, são regadas a cerveja, vinho, uísque, vodca, cachaça, entre outras.
Além disso, o cinema, a televisão, a propaganda, em todos os meios, só fazem reforçar os efeitos transcendentes causados pelos álcool. Elegem ídolos juvenis como testemunhas desse poder. Para além da alegria, prometem que, pela ação da bebida, é possível solucionar dificuldades e problemas, tornar-se criativo, fazer sucesso, viabilizar conquistas, empreender realizações. Enfim, sugerem que, bebendo, se pode obter tudo o que qualquer cidadão ocidental busca como ideais.
Não se trata aqui de emitir algum juízo de valor moralista.  Apenas observa-se que, na mente de indivíduos adultos, bem formados, conscientes, reflexivos, tais promessas são facilmente percebidas como apelos publicitários que movem a indústria. No entanto, em um país cujo ensino básico é deficitário, em que o número de famílias econômica e/ou afetivamente desestruturadas é grande, e políticas públicas voltadas para a juventude são inexistentes ou de péssima qualidade, todo esse incentivo ao hábito de beber pode ser devastador, especialmente entre população “adultescente”, que busca referências para a formação da própria subjetividade.
Na falta de mediadores a orientar o consumo moderado de álcool, a literatura e seu forte apelo catártico pode fazer alguma diferença.

26 fevereiro, 2016

Associação Cultural Literatura no Brasil recebe inscrições para projeto Saraus nas Escolas até 31/03/2016

Iniciativa é destinada às unidades de ensino da rede pública e particular do ciclo II do Ensino Fundamental, Ensino Médio e da Educação de Jovens e Adultos (EJA) de todo o Alto Tietê
A Associação Cultural Literatura no Brasil (ACLB) está com inscrições abertas para o projeto Sarau nas Escolas até o dia 31 de março. As unidades de ensino da rede pública e particular do ciclo II do Ensino Fundamental, Ensino Médio e da Educação de Jovens e Adultos (EJA) de todo o Alto Tietê interessadas em receber o Sarau LiteraturaNossa devem ter algum projeto de leitura em andamento e fazer o agendamento com Débora Garcia pelo telefone e WhatsApp (11) 98598-4495 ou com Sacolinha pelo telefone e WhatsApp (11) 9952-6356 ou entrar em contato pelo e-mail literaturanobrasil@gmail.com. A atividade está inserida no pacote de projetos desenvolvido pelo grupo por meio do Programa de Ação Cultural (ProAC) e vai contemplar ao todo 14 instituições.
O Sarau nas Escolas é mais uma iniciativa da ACLB que tem por objetivo promover uma aproximação entre os escritores com o público leitor. O projeto também tem o intuito de estimular o gosto pela leitura nos educandos e proporcionar aos alunos e professores a realização de uma atividade extraclasse que vem ao encontro do que é trabalhado em sala de aula, sobretudo, na disciplina de Literatura.
Para receber a atividade, a escola precisa, necessariamente, desenvolver algum projeto de leitura com os alunos que justifique a ida dos escritores à unidade escolar. Além de conhecer e interagir com os autores regionais, durante a visita dos membros da ACLB às escolas os alunos têm a oportunidade de participar dos saraus e divulgar suas aptidões literárias. As apresentações também contam com sorteios de livros, camisetas, calendários e canetas poéticas.
Responsável pelo projeto, a poetisa e membro da ACLB, Débora Garcia, ressalta que uma novidade para este ano será a seleção de quatro autores para estampar seus versos em Canetas Poéticas. Serão confeccionadas 250 Canetas Poéticas com o texto de cada autor selecionado, que receberá em contrapartida por sua participação uma cota de 25 canetas com o texto de sua autoria. A cota restante será destinada para distribuição gratuita nas demais atividades realizadas pela ACLB.
A seleção ocorrerá entre os meses de fevereiro e abril e o lançamento das Canetas Poéticas será sempre na edição do tradicional sarau do Jardim Revista, entre os meses de maio a setembro.
“Trata-se de mais uma ação pioneira que lançamos este ano para valorizar a participação dos artistas/escritores/leitores, bem como garantir a difusão dos bens e produtos culturais. É também uma forma de estimular o envolvimento dos estudantes e aproximá-los da literatura”, destaca Débora.
O projeto sarau nas escolas é realizado desde 2002 e neste período o grupo percorreu mias de 300 unidades de ensino de todo o Alto Tietê.





24 fevereiro, 2016

Francis Gomes: CIRCUITO NACIONAL

Francis Gomes: CIRCUITO NACIONAL:      Escritores Sacolinha e Francis Gomes serão recebidos por estudantes do Acre nesta sexta-feira (26/2) Autores suzanenses embarcam...

22 fevereiro, 2016



1a EDIÇÃO

"Trocando Ideias" volta nesta terça-feira (23/2) para discutir prosa e poesia

Projeto da Associação Cultural Literatura no Brasil será realizado às 19 horas na Sala de Teatro da Cia. Atores InSanos, abrigada na Faculdade Piaget (Av. Mogi das Cruzes, 1.001, Jardim Imperador, em Suzano)

Os escritores da Associação Cultural Literatura no Brasil (ACLB) se reúnem nesta terça-feira (23 de fevereiro) para a primeira edição de 2016 do projeto "Trocando Ideias", que este ano vai focar a discussão em torno dos gêneros prosa e poesia. O debate será abrigado na Sala de Teatro da Cia. Atores InSanos, abrigada na Faculdade Piaget (Av. Mogi das Cruzes, 1.001, Jardim Imperador, em Suzano) e terá início as 19 horas.

A entrada é gratuita e voltada a escritores, vestibulandos, estudantes e todos os interessados que tenham lido a obra de Victor Hugo, "O Último Dia de um Condenado", tema desta edição do projeto. O debate terá como facilitador o escritor e cordelista Francis Gomes, que também é um dos diretores da ACLB e coordenador do projeto.

O "Trocando Ideias" foi idealizado com o objetivo de promover uma discussão crítica em torno de obras da literatura nacional e internacional, de modo a contribuir com o enriquecimento cultural e intelectual de seus participantes. Este ano o projeto será realizado bimestralmente e em suas edições irá intercalar o debate sobre prosa e poesia.

“O objetivo é despertar o gosto pela leitura e promover o contato dos autores com diferentes gêneros literários. Os livros selecionados foram escolhidos por meio de votação e geralmente são títulos abordados em vestibulinhos e vestibulares”, explica Franscis Gomes.

A escolha das obras é feita previamente de forma democrática e vai de clássicos a autores desconhecidos do grande público. Este ano, foram selecionados os seguintes títulos: "Memórias Inventadas", de Manoel de Barros, "A Civilização do Espetáculo", de Vargas Llosa, "Espumas Flutuantes", de Castro Alves, "Miguel e os Demônios", de Lourenco Mutarelli, e "A Comédia de Alissa Blum", de Manoel Herzog.

VICTOR HUGO

Nascido em Besançon, mas criado em Paris, na França, Victor Hugo foi novelista, poeta, dramaturgo, ensaísta, artista, estadista e ativista pelos direitos humanos. Reformista, teve grande atuação política na França, onde sempre lutou por uma democracia liberal e humanitária.  Entre suas obras, está o grande romance histórico “Notre Dame de Paris”, mundialmente conhecido como “O Corcunda de Notre-Dame” (1831).

Em “O Último Dia de um Condenado”, o autor expõe sua visão sobre a pena de morte, a qual descreve como ineficaz e injusta, relatando os horrores de suas consequências. O livro acompanha as seis últimas semanas de um condenado à morte.



                                                                               Gisleine Zarbietti









15 fevereiro, 2016

Canetas Poéticas - Regulamento

      Em 2016 a 'Associação Cultural Literatura no Brasil' vem mais uma vez mostrar como se faz cultura! Criando novos projetos para a divulgação de novos autores, incentivando e fomentando a leitura.

Divulguem e participem!!

Sarau LiteraturaNossa
Programa de Ação Cultural Edital
“Concurso de Apoio a Projetos de Saraus Culturais no Estado de São Paulo”

Regulamento para a seleção de autores que participarão do projeto Canetas Poéticas

APRESENTAÇÃO:
Em 2015 a Associação Cultural Literatura no Brasil teve o projeto Sarau LiteraturaNossa – Suzano contemplado pelo Programa de Ação Cultural Edital “Concurso de Apoio a Projetos de Saraus Culturais no Estado de São Paulo”. Além da realização do Sarau LiteraturaNossa mensalmente no bairro Jardim Revista e do Sarau LiteraturaNossa nas Escolas, dentre outras ações e produtos, o Projeto prevê a confecção do produto ora denominado Canetas Poéticas. Trata-se de uma “caneta esferográfica”, no qual serão impressos mini poemas dos autores selecionados durante o Sarau LiteraturaNossa – Jardim Revista e no Sarau LiteraturaNossa nas Escolas.

1 - DO OBJETIVO:
Produzir 2500 Canetas Poéticas com o objetivo de:
1.1 Promover e divulgar o Projeto Sarau LiteraturaNossa;
1.2 – Incentivar a escrita e a leitura;
1.3 Divulgar os poetas e escritores locais.

2–DISPOSIÇÕES GERAIS:

2.1 - A participação no Canetas Poéticas se dará por meio de seleção.
2.2 – A seleção dos autores será realizada em 5 (cinco) Saraus realizados pela Associação Cultural Literatura no Brasil entre os meses de Fevereiro a Abril de 2016.
2.3 – No total, serão selecionados 10 (dez) autores.
2.4 – Para o Sarau LiteraturaNossa – Jardim Revista, são destinadas 6 (seis) vagas, devendo ser selecionados 2 (dois) autores por sarau entre os meses de Fevereiro a Abril.
2.5 – Para o Sarau LiteraturaNossa nas Escolas, são destinadas 4 (quatro) vagas, devendo ser selecionados 2 (dois) autores por sarau entre os meses de Fevereiro a Abril.
2.6 – Caso as vagas destinadas ao Sarau LiteraturaNossa nas Escolas não sejam ocupadas e/ou parcialmente ocupadas, o saldo de vagas será remanejado para o Sarau LiteraturaNossa – Jardim Revista.
2.7 – Será produzida a quantia de 250 (duzentos e cinquenta) Canetas Poéticas com o texto de cada autor selecionado, totalizando 2500 (duas mil e quinhentas) Canetas Poéticas.
2.8 – Cada autor receberá em contrapartida por sua participação, uma cota de 100 (cento e cinquenta) ou 40% dos Canetas Poéticas com o texto de sua autoria.
Parágrafo único: A cota restante do Canetas Poéticas será distribuída da seguinte forma:
20% para a Associação Cultural Literatura no Brasil
15% para as escolas que receberão o sarau
15% para distribuição no Sarau LiteraturaNossa
5 % para distribuição nos locais culturais e parceiros do sarau no Alto Tietê
5% para o acervo da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo

3 – DA PARTICIPAÇÃO:

3.1 - Os interessados em participar do Canetas Poéticas devem manifestar interesse e inscrever-se no início do Sarau LiteraturaNossa – Jardim Revista ou no Sarau LiteraturaNossa nas Escolas. As inscrições são gratuitas.
3.2 – Ter idade mínima de 16 (dezesseis) anos. Neste caso, os adolescentes escolhidos deverão apresentar, posteriormente, o Termo de Autorização dos pais ou responsável devidamente assinado. A não apresentação deste documento no prazo estipulado pela organização implicará na desclassificação automática do participante. Não há idade máxima para participação.
3.3 – Os textos apresentados pelos inscritos deverão ter no máximo 2 (duas) linhas ou 100 caracteres, devido ao espaço disponível na caneta. Textos que fugirem a essa especificação serão desclassificados logo após a apresentação do candidato.
3.4 – Somente serão aceitos textos de própria autoria dos participantes. A apresentação de texto de terceiros (mesmo que haja autorização prévia) implicará na desclassificação do participante, devido a questões concernentes a direitos autorais.
3.5 – O tema é livre. Serão desclassificados textos que promovam a discriminação, preconceito de gênero, raça, etnia, religião e/ou que façam apologia a violência.
3.6 – É vedada a participação de membros da Associação Cultural Literatura no Brasil.
3. 7 – Todos os poetas selecionados deverão ceder seus direitos autorais durante o prazo de 5 (cinco) anos para uso da Associação Cultural Literatura no Brasil.

4. DA SELEÇÃO:

4.1A seleção dos participantes do Canetas Poéticas será feita por dois jurados membros da Associação Cultural Literatura no Brasil.
4.2 – Cada poeta receberá, após a sua apresentação, uma nota de 0 (zero) a 10 (dez) de cada jurado. Será considerada a maior nota.
4.3 – Ao final do Sarau, será realizada a análise das notas e o poeta que tiver a maior nota será o selecionado para participar do Canetas Poéticas.
4.4 – Em caso de empate, os poetas concorrentes farão uma nova apresentação. A apresentação poderá ser do mesmo texto ou de outro, que se adéque aos critérios de participação. O desempate será feito pelo público por aclamação ou contraste.
4.5 – Para realizar a sua avaliação, os jurados irão considerar os seguintes aspectos:
·         Tema
·         Figuras de linguagem
·         Melodia
·         Rima
·         Criatividade
·         Performance na apresentação do texto
4.6 - Após a seleção, a Comissão Organizadora manterá contato com os poetas selecionados tendo em vista a solução de dúvidas e pendências em relação ao processo.

5 - DAS DISPOSIÇÕES FINAIS:

5. 1- Os casos não previstos neste regulamento serão resolvidos pela comissão organizadora deste projeto;
5.2 - O ato da inscrição implica a aceitação plena dos termos acima arrolados;
5. 3 – Informações podem ser obtidas através dos seguintes canais:

·         Email: literaturanobrasil@gmail.com
·         Blog: www.literaturanobrasil.blogspot.com
·         Facebook: sarauliteraturanossa
                 Fones: (11) 98950-9446/ (11) 98598-4495

12 fevereiro, 2016

“ESCAMBO DE LIVROS ÀS ESCURAS”

Você está provavelmente está acostumado a escolher um livro entre milhares deles na prateleira, mas e se fosse o contrário? E se fosse o livro quem te escolhesse? Pensando nessa proposta o Sarau LiteraturaNossa criou o “Escambo de livros às escuras”.
O ‘Escambo de livros às escuras’ é um projeto que tem como objetivo promover a circulação daqueles livros que andam empoeirados em sua estante por obras clássicas ou de artistas independentes contemporâneos; o projeto leva esse nome pelo fato de realizar trocas de livros de uma forma um tanto quanto inusitada, você não sabe qual livro vai retirar da caixa!
Funciona de forma bem simples:
- Separe aquele seu livro, seja ele de conto, poema, cordel e etc (Só não pode ser de cunho escolar como por exemplo apostilas, livros didáticos técnicos ou algo do gênero), e leve para a troca no sarau ‘LiteraturaNossa’;
- A única exigência é que após a troca, você não poderá devolver o livro e tentar retirar outro;
- O livro te escolheu, caso tenha interesse em trocar por outro, isso poderá ser feito no sarau seguinte, isso se você não acabar se rendendo ao conteúdo do livro durante o mês em que estiverem juntos.
Leve seu livro, faça ele conhecer novos corações e abra seu coração adotando novos livros!

Sarau Literatura Nossa: Comunidade Kolping (Rua Cumbica, 630, Jardim Revista, Suzano, próximo ao bazar e à Escola Estadual Oswaldo de Oliveira Lima). Outras informações pelo telefone (11) 96680-4065



10 fevereiro, 2016

Obra e autor em debate











Trocando ideias um é projeto realizado bimestralmente, sendo intercalado entre prosa e poesia com a finalidade de despertar o gosto pela leitura enriquecer intelectualmente e nos deixar prontos para qualquer debate. Os livros são escolhidos democraticamente, são por meio de votação, e vão de clássicos a autores desconhecidos.
Uma forma de viajar e conhecer diversas culturas, estilos literários diferentes de cada escritor e poeta por meio desta riqueza individual chamada leitura.
Evento aberto e gratuito para todos os públicos.
O livro a ser debatido no mês de fevereiro é o último dia de um 
condenado – Victor Hugo.  Ocorrerá no 23/02/2016 na faculdade Piaget as 19h00min.
Alem do debate sobre o livro e o autor entre todos os leitores do livro, tem também um facilitador que começa o debate falando um pouco mais do escritor e a obra, neste mês de fevereiro será o poeta e cordelista Francis Gomes.
Estão todos convidados a uma boa leitura e uma boa dose de debate sobre obra e autor.

Participe leia o livro, chame um amigo (a) e viaje conosco no mundo maravilhoso da leitura.

23/11