26 fevereiro, 2006

Novidades...

INFORMATIVO DO ESCRITOR “ALESSANDRO BUZO”

003/2006. De boa no carnaval.

PROGRAMA SUBURBANO CONVICTO

Um programa de entrevistas apresentado por Alessandro Buzo na internet, o programa de estréia vc pode assistir no site da REVISTA RAP BRASIL.

www.magazinerapbrasil.com

www.magazinerapbrasil.com

A partir do segundo programa estaremos no site: www.dgtfilmes.com.br

ALESSANDRO BUZO NA TV DA GENTE

Próximo sábado (04/03/06) às 19:00 hs Alessandro Buzo é entrevistado por Paulo Brown no Programa Hip Hop Show da TV DA GENTE.

Confiram:

TV DA GENTE

CANAL 19 ou 50 VHF

Programa Hip Hop Show

Apresentação: Paulo Brown

Direção: Tatiana Ivanovici


SITE SUBURBANO CONVICTO.

O site/blog Suburbano Convicto continua mil grau, atualizado diariamente com textos de Alessandro Buzo e outros escritores e poetas periféricos, entrevistas exclusivas, fotos e muito mais.
www.suburbanoconvicto.blogger.com.br


BIENAL DO LIVRO.

Alessandro Buzo estará na Bienal do Livro no Stand da Febem.

Vai ter palestra e outras atividades, além dos livro O TREM e SUBURBANO CONVICTO.

A Bienal será no Anhembi de 03 à 19 de Março.

COMPRE OS LIVROS DE ALESSANDRO BUZO DIRETO COM O AUTOR.

Deposite R$ 20,00 do livro e R$ 5,00 do envio na conta abaixo, depois passe um email comunicando o dia que vc depositou e o endereço para envio (alessandrobuzo@terra.com.br), receberá via correio, carta registrada.

BRADESCO

Ag. 1229-7 C/C 25.373-1 em nome de José Augusto.

PRESTIGIE OS ESCRITORES INDEPENDENTES.

Na Próxima RAP BRASIL vem entrevistas com Expressão Ativa e Sacolinha feitas por Alessandro Buzo.

E em breve DVD RAP (especial Rap Brasil), com Mano Brown, Dexter, FAVELA TOMA CONTA e muito mais.

Aguardem...

Crônica!

Marrocos

(Marcopezão)

Tomando pose no carro alegórico. Homenageado, merecidamente. Sentado sobre a plataforma. O corpo erguido. A cabeça grande de orelhas caídas. É o próprio Marrocos.

Marrocos é quem fazia a liberta vigilância no campo do Unidos do Morro, no Jd Mituzi. Tranqüilo em sua quietude. Observador. Às vezes latia alto e rouco, dando pinotes para dentro do campo atrás da bola. No lombo levava certa idade, não o conheci antes. Mas era um cão Fila que impunha respeito.

Marrocos de cor cinzenta. Quando abria a bocona, eu pensava na força da envergadura. Amigo dos amigos. Assim era Marrocos, grandão e chegado.

Marrocos morreu. Quando soube julguei ser de velhice. Na boa. Mente feita. Porém, passado algum tempo, ouvi dizer que alguém o envenenou. Mas quem o faria? Impossível não gostar daquele cachorro. E eu prefiro não acreditar que haja pessoa com desalento em tal pensamento, assim cruel.

Marrocos reinou como único guardião da quebrada, e foi soberano. Tão querido que virou símbolo da agremiação. Mais que ela, símbolo da comunidade azul e branca do morro.

E, agora, prestes a entrar na avenida, vejo Marrocos sendo reconstituído pelas mãos do tio Viola. Encomenda urgente, arte. Que, no conhecimento da massa bisqui, habilmente, foi objeto de lembrança em forma e sentimento.

Passava das 20horas, e o Tio Viola mostrou a obra em fase de acabamento. Faltando a pintura, e a língua que será posicionada de lado, saindo da enorme boca. Antevejo o final, e me emociono no clique da lente.

O artista. Nêgo véio, de muito carnavais vividos. De “mile” ano nossa amizade, como se diz na gíria. Tio Viola amarga na pele toda violência dos preconceitos.

Antes, nós havíamos visto a feitura das simples fantasias; na garagem servindo de “barracão”. Depois fomos ver a bateria reunida no aquecimento. Tomamos duas latinhas na barraca do Langa, e o Tio Viola se despediu para descansar, pois, havia muito trabalho a ser feito, dia seguinte, para que o Marrocos fique pronto para o desfile no domingo.

Em volta da estreita praça, a rua, o improviso criou um local de cultura. O caminhão de som do Joca fechando a passagem de carros. O comércio de churrasquinhos, cervejas e batidas ganhou extensão. E, o ensaio da Unidos do Morro virou atração envolvente em número de pessoas reunidas em noite clara e quente, sem o ameaço da chuva.

Platéia que acompanha e transpira à medida que o surdão passa a marcar o ritmo. As pequenas alas se formam. Nas cordas do cavaquinho, Diney do Gueto faz soar a melodia e os couros se agitam. A animação envolvente mexe, e faz o corpo mexer.

Ensaio geral, sexta feira, Taboão da Serra. As palavras de ordem. O canto. O clima. Sonhos. Voraz realidade. A distância das passarelas desfila no tocante samba enredo. Poucas lantejoulas somam esse brilho, mas ele é intenso. Nascido na adversidade da periferia, e, por isso, verdadeiro, feito o Marrocos.

23 fevereiro, 2006

Indicação da Semana

“De prostituta a primeira dama”
Adelaide Carraro

É a decepção de uma moça inocente de 18 anos, que por viver todos esses anos na roça, teve a curiosidade e a audácia de ir conhecer a monstruosa cidade de São Paulo. Tudo isso contra a vontade de seus pais que ao saberem da intenção da menina, desabaram pra cima dela com xingos, chicotadas e vassouradas. Ela não poderia mais voltar para casa. Chegando aqui, ela comeu o pão que o capeta babou. Sem ao menos saber ler caiu num mundo chamado “prostituição”, não porque quis, mas porque a sua ingenuidade a fez cair nas mãos de gente da boca do lixo.
Foi perseguida por muitos homens, entre eles um japonês traficante de mulheres.
Ela chegou a andar de camburão da polícia, foi estuprada três vezes, apanhou dos pais, dos irmãos e da vida.
O livro que por incrível que pareça, tem um final feliz, foi escrito na década de setenta, mas parece que foi escrito nos dias de hoje.

Diário de Bitita
Maria Carolina de Jesus


Um livro que não teve uma repercussão assim como o primeiro da autora: "Diário de uma favelada".
O relato verídico, a linguagem e a escrita somente dela, faz com que conhecemos toda a vida dessa catadora de lixo.
Nesta obra ela conta o dia em que foi presa e espancada pelos soldados, e conta também sobre a doença grave que teve na perna e que obrigou-a a sair por aí nesse mundo atrás de uma cura que custou muito tempo, dinheiro, paciência e a sua vida. Durante este tempo ela trabalhou em casas de pobres a ricos, de colonos a fazendeiros.
Nada de impressionante, apenas a realidade vivída por uma mulher negra, pobre, sem estudos, mas com esperança.

22 fevereiro, 2006

Sérgio Vaz

No dia 20 de fevereiro completou um ano que a violência levou mais um dos nossos guerreiros, Preto Jota do Sabedoria de vida. Uma pequena homenagem dos amigos da Cooperifa através da poesia do seu rap.

Coração de Guerreiro - Preto Jota*

Só os guerreiros vencem e permanecem na arena,
Firmes e fortes, quebrando as algemas.
Vêem a luz na escuridão, caminham na contramão.
Com coragem e lealdade não desistem da missão.
A vida é um desafio; só vence quem tem raça.
O gladiador sobe no pódio e ergue a taça.
Mesmo no inferno, entre a rosa e a espada,
O sol nasce todo dia e fortalece a caminhada.
Disposto a subir, se tiver que ser assim.
Eu não nasci para semente, eu vou até o fim.
Acreditando no sonho, criando a realidade.
Não é o Jardim do Éden, mas procuro a felicidade.
Retirando a pedra, me esquivando da maldade.
O cospe fogo não abate quem corre pela verdade.
Encarando a tempestade, nas ruas selvagens,
Batendo de frente com a pilantragem.
Eu quero a paz , mas vivo na guerra.
O sofrimento lhe ensina a ser leão na selva.
Discípulo sou um, não temerei mal algum.
Anjo quarenta e cinco, guerreiro do lado sul.

* Um ano de saudades!


SARAU DA CAIUBI

CLUBE DE ARTES CAIUBI APRESENTA
SOPA DE LETRINHAS

DIA 24/02/2006 – 21 HORAS
POETA HOMENAGEADO: GURJÃO
POESIA AFINS
NUNNO DORA
ALÊ SIEDSCHLAG
MÔNICA MARTINS
DHARAGUTA CAMPOS
VLADO LIMA
ALDO MILLETO
HELENA BORGES
EDMILSON
FELIPE
SIMONE TEIXEIRA
CARLOS EDUARDO
MÚSICA
TAVITO
LÚCIA HELEN

GALA GAY
PRÊMIO (5 BREJAS) PARA AMELHOR DUBLAGEM DA MÚSICAI WILL

DISTRIBUIÇÃO DE LIVROS, CDS,CERVEJAS E CAMISETAS

Ao soar da meia-noite será servida (na faixa)a deliciosa SOPA (de letrinhas)
Entrada: 3 pilas ou 1 quilo de rango não perecível
Rua Caiubi 420 (esquina com a Monte Alegre)
Todo alimento arrecadado será doado para AACB

Mais novidades

O escritor Alessandro Buzo acabou de ser entrevistado pelo apresentador Paulo Brown da TV da Gente, para o Programa Hip Hop Show que vai ao ar Sábado (04 de Março) às 20:00 hs e reprisa domingo. O escritor falou sobre seus livros e projetos.

Indicamos toda a programação do Canal TV da Gente.
Grande São Paulo e Interior
Serviço:
Canal 19 ou 50 VHF.
Saiba mais acessando o site:
www.tvdagente.com.br

20 fevereiro, 2006

Últimas notícias

Hoje dia 21 de fevereiro tem palestra com o escritor Moacyr Scliar, que virá do Rio Grande do Sul especialmente para dar esta palestra.
Local: Centro Cultural Moriconi
Rua Benjamin Constant, 682 – Centro – Suzano – S.P.
Outras informações: (11) 4747-4180

Livrarias que estão vendendo o livro Graduado em Marginalidade:

Livraria Nobel: Suzano Shopping – Centro – Suzano – S.P.Livraria Musicultural: Rua Gal. Francisco Glicério, 1001 – Centro – Suzano – S.PLivraria Book Brasil: Av. Nove de julho - Centro – Poá – S.PLivraria Alpharrábio: Rua Eduardo Monteiro, 151 – Centro – Santo André – S.P
Sebo do Bactéria: Espaço dos Satyros II – Praça Roosevelt - Metrô República – S.P
Sebo do Silvio Diogo: Prédio da FFLCH (Ciências Humanas) – USP – S.P.
Livraria “O Autor na Praça”: Praça Benedito Calixto – Pinheiros – S.P.
Mais informações: (11) 4749-5744 / 8325-2368

Semana da Mulher
Palestra “Literatura Brasileira de Autoria Feminina”
Palestrante: Profº Dr. José Maria Rodrigues – Doutorando em Literatura Comparada – USP.
Horário: 15:00 do dia 11 de março.

Pavio da Cultura (Sarau Cultural) Sessão feminina
A próxima edição do Sarau Pavio da “Cultura” será no dia 11 de março de 2006 às 17h00.
Local: Centro Cultural Moriconi
Rua Benjamin Constant, 682 – Centro – Suzano – S.P.
Outras informações: (11) 4747-4180


Toda quarta-feira às 21h tem Sarau da Cooperifa!
Local: Bar do Zé Batidão - Rua Bartolomeu dos Santos, 797 – Chácara Santana – Jd. Guarujá – S.P.
Ao lado da Igreja de Piraporinha na Zona Sul.
Informações: (11) 5891-7403 / 9333-6508

Adquira o livro “VÃO” do escritor Allan da Rosa
Saiba como: (11) 9315-7711

Acessem...
www.colecionadordepedras.blogspot.com

Logo os escritores Allan da Rosa e Sacolinha lançaram um texto produzido á duas mãos.

Adquira o Cadernos Negros vol. 28 – Contos afro-brasileiros.
Saiba como: (11) 6232-4211 / 4749-5744 / 8325-2368

www.quilombhoje.com.br / www.literaturanobrasil.blogspot.com

17 fevereiro, 2006

Informes!

Aguardem, em agosto tem lançamento do novo livro do escritor Sacolinha, trata-se da obra "85 Letras e um Disparo".

Currículo/Biografia
Ademiro Alves de Sousa
(São Paulo – S.P - 1983).
Sacolinha, nome artístico de Ademiro Alves de Sousa.

TRAJETÓRIA
2002:
Março: Começa a pegar gosto pela leitura.
Junho: Começa a escrever.
Dezembro: Cria o Projeto Cultural Literatura no Brasil.

2003:
Setembro: Recebe Menção Honrosa no 2° Concurso “ARTEZ”, com o conto urbano “Um dia comum”.


2004:
Abril: Começa a escrever o seu primeiro livro.
Maio: Participa da revista Caros amigos "Literatura Marginal" ato III.
Outubro: Participa da coletânea “ARTEZ” vol. V - Meireles editorial.
Novembro: Termina a produção do seu primeiro livro.
Dezembro: Assume a presidência do Centro de Pesquisas e Desenvolvimento Sócio cultural Negro Sim.
Escreve o conto “Pacífico Homem Bomba” que foi adaptado para o teatro.
Participa da Antologia “No limite da palavra”; editora Scortecci.
Participa da antologia poética: “O Rastilho da Pólvora” do Projeto Cooperifa, (Cooperativa Cultural da Periferia).


2005:
Janeiro: É convidado para assumir a Coordenadoria de Literatura na Secretaria Municipal de Cultura de Suzano – S.P.
Março: Assume oficialmente a Coordenadoria Literária em seu município.
Agosto: Lança o seu primeiro livro. O romance contemporâneo “Graduado em Marginalidade” em Suzano, São Paulo.
Lança o “Graduado em Marginalidade” em Cambuí, Minas Gerais.
Setembro: Escreve o Posfácio do livro “O trem – Contestando a Versão Oficial”, do escritor Alessandro Buzo.
Outubro: Começa a vender livros nas noites de São Paulo.
Novembro: Produz o Vídeo-documentário do Projeto Cultural Literatura no Brasil.
Dezembro: Lança em parceria com a Prefeitura de Suzano, a Revista “Trajetória Literária”, que reúne 20 escritores.
Participa do livro Cadernos Negros vol. 28 – Contos Afro-Brasileiros.
Recebe o “1º Prêmio Cooperifa” juntamente com outros escritores.
Funda oficialmente a Associação Cultural Literatura no Brasil, antes com o nome de “Projeto Cultural Literatura no Brasil”.

2006:
Janeiro: O romance “Graduado em Marginalidade” é indicado pra participar do Prêmio Jabuti como melhor livro de 2005.
Fevereiro: Seu estilo literário começa a ser estudado em três universidades:
USP- Universidade de São Paulo.
UMC- Universidade de Mogi das Cruzes.
Anhembi Morumbi.

Sacolinha é ativista cultural. Dá palestras sobre literatura e questão racial, e desenvolve freqüentemente eventos literários.

Contatos: (11) 4749-5744 / (11) 8325-2368
Fax: (11) 4747-4180
E-mail:
sacolagraduado@bol.com.br
Blog/Site: www.literaturanobrasil.blogspot.com


Fato inédito na cidade de Suzano

A Secretaria de Cultura de Suzano, através da Coordenadoria de Literatura, apresentará na próxima terça-feira, a partir das 20h, mais uma edição do projeto “Trajetória Literária”, trazendo para Suzano Moacyr Scliar, escritor de renome internacional. A palestra será realizada no Centro de Educação e Cultura “Francisco Carlos Moriconi”, com entrada gratuita aos interessados.
“Estamos fazendo este intercâmbio, onde o autor vem á cidade pra falar de sua experiência e conhecer a cena literária de Suzano”, declara Ademiro Alves, o Sacolinha, Coordenador Literário da secretaria.
Nascido em Porto Alegre, no ano de 1937, Moacyr Scliar é autor de 53 livros, em vários gêneros: conto (O Carnaval dos Animais, A Orelha de Van Gogh, Contos Reunidos), romance (O Exército de um Homem Só, O Centauro no Jardim, A Majestade do Xingu, A mulher que Escreveu a Bíblia), ensaio (A Paixão Transformada: História da Medicina na Literatura, Meu Filho, O Doutor: Medicina e Judaísmo na História). Recebeu vários prêmios literários, entre eles, o Casa de Las Américas (1989) e o Jabuti (1988, 1993 e 2000). Tem obras traduzidas em vinte países. Vários de seus trabalhos foram adaptados para o cinema, rádio e televisão. É colaborador dos jornais Zero Hora, Folha de São Paulo e da revista Veja. Formado em medicina, doutorou-se em saúde pública, disciplina que leciona na Faculdade Federal de Ciências Médicas de Porto Alegre.

16 fevereiro, 2006

Entrevista!

Escritor e Ativista Cultural ALESSANDRO BUZO almeja viver do seu trabalho literário.

Escritor da periferia, autor de 3 livros, colunista de diversos sites e da revista RAP BRASIL. Editor do blog Suburbano Convicto, 33 anos, casado com Marilda Borges e pai do menino Evandro. É morador do Itaim Paulista, extremo da zona leste de São Paulo. Atualmente
finaliza o seu quarto livro, um romance intitulado “Guerreira”.

Livros:


O TREM – BASEADO EM FATOS REAIS
Lançado independente em Dez/2000

SUBURBANO CONVICTO – O COTIDIANO DO ITAIM PAULISTA
Lançado pela Editora Edicon em Setembro de 2004


O TREM – CONTESTANDO A VERSÃO OFICIAL
Lançado pela Edicon em outubro de 2005

Colunista e reporter da revista: RAP BRASIL

Colunista dos sites:
www.enraizados.com.br
www.rapnacional.com.br
www.realhiphop.com.br
www.wlimonada.hpg.com.br

Alessandro Buzo recebendo o Prêmio Cooperifa em dezembro de 2005.

Ativista cultural, idealizador e apresentador do evento de rua FAVELA TOMA CONTA, realizado nas ruas do Itaim Paulista e já trouxe: RZO, TRILHA SONORA DO GUETO, TRIBUNAL MCS, FERRÉZ, SACOLINHA, SÉRGIO VAZ e POETAS DA COOPERIFA, NINO BROWN, WALTER LIMONADA, PANICO BRUTAL, DUDU DE MORRO AGUDO (RJ), FIELL (RJ), BAIXADA BROTHERS (RJ), PODER CONCIENTE (RJ), FATOR BAIXADA (RJ) entre outros.

Já foi tema de diversas matérias na TV, como: Melhor da Tarde da Band, entrevista com Nei Gonçalves Dias no SBT, SPTV na Globo, SP Notícias na TV Record, Telejornal EDIÇÃO DE SÁBADO e Musikaos na Tv Cultura.

Já foi tema de matérias nos jornais:

O ESTADO DE SÃO PAULO
JORNAL DA TARDE
DIARIO DE SÃO PAULO
AGORA SP

Já foi tema de matérias nas revistas:

RAP BRASIL
PLANETA HIP HOP
DA HORA (jornal Agora SP).

PROJETOS FUTUROS: Lançar um livro por ano. Viver de Literatura, dando oficinas de leitura e palestras.

Confira abaixo a entrevista exclusiva.

L.B: Quem é Alessandro Buzo?
Um sonhador e um lutador, não vejo as barreiras, eu as atropelo.
Só assim sou capaz de conseguir exito, porque as dificuldades de se fazer cultura e principalmente literatura na periferia são muitas e se fosse para deixar essas dificuldades me atrapalhar já teria parado.
Alessandro Buzo é também marido e pai, um cidadão comum que não se entrega ao jogo da elite que escraviza via TV, mulheres novela, homens futebol. Aqui a midia não fez um refém, big brother eu deixo para quem quer se alienar, prefiro ler, acabei de ler ÀS CEGAS de Luiz Alberto Mendes ontem e hoje já escolho outro titulo para iniciar.
Alessandro Buzo é um maluco.

L.B: Nos fale do livro “Guerreira”.
Vai falar de uma mina "a guerreira do titulo", ela luta contra o vicio das drogas e depois se envolve na prostituição, uma mulher que vive dia a dia, que sonha em ser simplesmente feliz.
Guerreira vai mexer com seu psicologico, vai te deixar pensativo, ela poderia estar do seu lado na rua, ela pode ser qualquer uma mina da periferia.

L.B: A cada dia que passa o leitor vai ficando mais exigente. Você mantém alguma preocupação no que se refere à qualidade literária em seus textos?
Procuro sempre dar o meu melhor, as vezes consigo tocar muitas pessoas com um texto, gerar comentários na rua, por email. Mas isso que nos move, a vontade de se superar sempre.
L.B: Você tem algum projeto literário que podemos considerar ousado?
Sim, montei sozinho uma biblioteca no meu bairro e agora tento montar uma na FEBEM - Unidade Encosta Norte no Itaim Paulista, faço uma oficina de leitura voluntário por 6 meses nesta unidade e nesse tempo vou tratar disso. Além do que o trabalho com os internos pode virar um livro organizado por mim, uma editora já me procurou e vamos tocar esse projeto assim que a Febem autorizar.

L.B: Fizeram uma peça de teatro baseado no conto de sua autoria “Toda brisa tem seu dia de ventania”. Algum momento da sua carreira você pensa em escrever dramaturgia?
Pretendo sim, meu sonho é me envolver com cinema, gravei um documentário chamado "Onibús" que tem um diretor italiano, vai passar na Italia, França e TV a cabo no Brasil, fiz um mini documentário sobre o Favela Toma Conta que sai em breve num DVD da Revista Rap Brasil, além de ter um Projeto junto a DGT FILMES de um documentário sobre os trens de suburbio aqui na zona leste de SP.
Quero aprender a fazer roteiro, mas ainda falta muito.

L.B: Por que Literatura Marginal?
Porque vivemos a margem da sociedade, não tem como negar isso.
Alguns não gostam desse rotulo, eu não ligo, até gosto, sou mesmo marginal.
Mas aceito a opinião de cada um, tem gente que veio no livro LITERATURA MARGINAL - TALENTOS DA ESCRITA PERIFÉRICA e não quer ser tratado como tal, cada um tem sua visão, eu acho que somos marginalizados todo dia na periferia, não adianta morar no Itaim Paulista e querer ser classe média, vc vai ser suburbano querendo ou não, não adianta ser da periferia e escrever contra o sistema e querer ser da Academia Brasileira de Letras, vão sempre nos chamar de marginais.

L.B: Quais as suas pretensões na literatura?
Poder lançar um livro todo ano, fazer palestras e um dia viver só disso (livros, palestras, oficinas).
É dificil mas estou trabalhando sério para isso.

L.B: Por que escrever?
Porque eu jogo tudo para fora quando escrevo, não fosse isso e seria um revoltado, tem gente que estravaza indo no estadio de futebol, eu faço isso escrevendo. Além do que eu acho que podemos mudar algumas coisas escrevendo, podemos mostrar que é possivel sonhar mais do que nos disseram para sonhar, podemos dar um tapa na cara da elite que pensou que não sabiamos nem ler e agora tem que engolir nossos livros.
Um salve a todos escritores que trazem verdade na sua escrita, Ferréz, Sergio Vaz, Luiz Alberto Mendes, Autregésilo Carrano Bueno, Allan da Rosa, Sacolinha e todos que fazem da sua escrita uma forma de protesto.


Contatos para paletras:

Rua José Borges do Canto, 15-A Itaim Paulista
São Paulo-SP CEP: 08142-010

Fone/fax: (11) 6567-9379
Cel: (11) 8218-7512
alessandrobuzo@terra.com.br
alessandrobuzo@bol.com.br
www.suburbanoconvicto.blogger.com.br

Dinha...

Convocatória
aos 111 (que descansem) e a nós que insistimos em sobreviver.


"Porque a justiça tem olhos de águia, mas gosta de brincar de cabra cega."

Não queria calar o grito.
Eu queria sim
escrever um poema
que não dormitasse
na garganta da minha indignação.

Não queria calar o grito.
Eu queria sim
atirar um poema
que sangrasse
na garganta do Ubiratã.

Não queira escrever um poema.
Eu queria sim
saudar as vítimas,
furar os olhos
da justiça
e convocar a rebelião.

Dinha

Evento!

PROJETO "O AUTOR NA PRAÇA" APRESENTA:

Santo Dias

Para Lembrar a data de nascimento do operário e líder sindical Santo Dias da Silva (22/02/1942), morto em 1979, pela ditadura militar, o projeto O Autor na Praça realiza uma tarde de autógrafos do livro Santo Dias – Quando o passado se transforma em História, com a presença das autoras Luciana Dias, Jô Azevedo e Nair Benedicto.
Participação do poeta Sergio Vaz, do Sarau da Cooperifa, de membros Centro Santo Dias de Direitos Humanos, do cartunista Junior Lopes, realizando caricaturas do público e outros convidados. O livro Santo Dias... recebeu, em outubro de 2005, o XXVII Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos, na categoria reportagem.
Quando: 18/2
Onde: Espaço Plínio Marcos – Feira de Artes da Praça Benedito Calixto, Pinheiros
Grátis
São Paulo, SP

15 fevereiro, 2006

Poesia...

Menina Pretinha

A tribo está de luto
A mãe chorou
O solo ficou bruto
O feijão ficou duro
O milho murchou
A aldeia entristecida
Correu compadecida
Até as margens do rio
O tumbeiro partiu
Sem nenhum aceno sumiu
As lágrimas rolou
Da menina pretinha
Que o navio levou
E quando aportou
Foi logo acorrentada
E sendo apalpada
Foi vendida como escrava
A futura Rainha Nagô
Os anos se passou
E a menina pretinha
Transformou-se
Nessa que pede no sinal
Que vende doce em troca de real
Que é mãe aos treze
Que pára de estudar aos doze
Que aos onze já esqueceu de sonhar
É! Menina. A lua te olha tristonha
Mas fica ansiosa
Pois não vê a hora de você reinar.
Assumir sua marca quilombola
Assumir as suas linhas na história
E ver seus olhos brilhar.

Elizandra de Souza


Literatura no Brasil indica:

www.sanzalangola.com

No link LITERATURA há muitos textos de qualidade.

14 fevereiro, 2006

Informes!!!

A partir de hoje, este blog será atualizado no período noturno.

Aguardem as entrevistas dos escritores: Marcelino Freire, Moacyr Scliar e Alessandro Buzo.

NOVAS POESIAS...

181

No fundo do ônibus
O ANÚNCIO
não deixa sombra de dúvida:
Respirar, ser feliz,
não tem preço.
DISQUE RENÚNCIA.


Dinha!!!

TABOÃO DA SERRA
Dorme Taboão,
tranquila nos braços do universo
recostada sobre o dorso das serras.
À noite,
numa velocidade lunar,
A América Latina rasga teu coração
como num romance breve,
amar e despedir,
e parte para outros braços.
A Lua,
Ausente e abstrata,
vela o passado
para o futuro despertar.
Enquanto isso,
os poetas,
paladinos da madrugada
riscam palavras luminosas
no asfalto vazio
para quando a cidade acordar.

Sérgio Vaz!

13 fevereiro, 2006

Da Paraíba!

Nabucotown

Cartilagens de desejos
circulando as Palafitas
de Nabucotown.
Eu, corpo esquelético e quebradiço
encontro-me joelho abaixo
do mangue que me gerou
banhando-me de Recife.

O caldo morno fecundando minhas veias
cruzam os alicerces idealizados por Nassau
cavalgando sobre o mar corroído pelo
desenvolvimento estrangeiro.
Lá longe, vejo os antropólogos da miséria
remontando dados virginais
de pobrezas coletivas.

Essa razão incendiada pelo Napalm globalizado
haverá de cair um dia!
Quando os heróis e demônios fugirem no córrego dos faminto
se cruzarem com meu medo interior.
Na Rua do Hospício eu paro.
Diante de mim: teatro, bares e trilhos.
Caminhos vencidos pelo tempo.
E o vento deste rio...
Ó Capiba me deixe afogar entre teus podres veios seculares.
Me banhar de teus desejos, dejetos e aromas peculiares.

...Meus passos e as calçadas se fundem
numa revolta ruidosa e o sol banha as carapaças
entre os coqueiros ancestrais.
Olinda remonta minha cabeça numa explosão multicultural.
Guenzos Ganzás chacoalham os becos
enlamaçados de paixão.
É noite e os Maracás estão nos envolvendo.
Solte seu vestido ao vento e dance como o amanhecer.
Ó menina, você precisa sentir o sabor de vinho proletário
e perceber que há vida sob os escombros...
Não haverá maldade no carnaval das igualdades.

Olhem! Vejam só! Mais um magnata da exclusão
sobe a passarela da nova casa de detenção
estampando no rosto o orgulho
por ter derrubado o oitavo corpo.
Moleques nóiados aos montes
na avenida Dantas Barreto.
Abordando os transeuntes em transe.
Estáticos, vazios e insones.

Olinda queima ao calor
da desurbanização nas favelas cibernéticas.
V8, Passarinho, Ilha do Rato, é o mangue todo!
Condenados a viverem a trilha do desengano.
Ah meu Janga... Meu refúgio...
Guarda-me tranqüilo embaixo do manto sujo desta louca Maria
com seu véu azul alucinógeno.

Gilberto Bastos Jr, é poeta, músico e radialista!


INFORMATIVO CULTURAL DO ESCRITOR "ALESSANDRO BUZO"

002/2006 – www.suburbanoconvicto.blogger.com.br
SUBURBANO CONVICTO PRODUÇÕES
Fone/Fax: (11) 6567-9379 (11) 8218-7512
alessandrobuzo@terra.com.br

Saiu o Zine BOLETIM DO KAOS numero 90, produzido por Alessandro Buzo (quinzenal), ASSINE: 10 exemplares, R$ 10,00 e receba pelo correio.

Acesse o site da REVISTA RAP BRASIL e assista o PROGRAMA SUBURBANO CONVICTO de entrevistas.
Na estréia Alessandro Buzo entrevista os escritores AUSTREGÉSILO CARRANO BUENO que é autor do livro CANTO DOS MALDITOS que inspirou o filme BICHO DE SETE CABEÇAS.

LUIZ ALBERTO MENDES autor dos livros MEMÓRIAS DE UM SOBREVIVENTE, TESÃO E PRAZER, ÀS CEGAS (recém lançado).

SACOLINHA, autor do livro GRADUADO EM MARGINALIDADE.

Alem da poeta Sonia Pereira.

Acesse: www.magazinerapbrasil.com
PROGRAMA SUBURBANO CONVICTO
A partir do segundo programa (15 de Março) o programa irá ao ar no site da DGT FILMES.
www.dgtfilmes.com.br

Indicações...

SUBURBANO CONVICTO de Alessandro Buzo.
O TREM – CONTESTANDO A VERSÃO OFICIAL de Alessandro Buzo.
POESIA DOS DEUS INFERIORES do Sergio Vaz.
ÀS CEGAS de Luiz Alberto Mendes.
HIP HOP À LAPIS, org. por TONI C.
CANTO DOS MALDITOS de Austregésilo Carrano Bueno.
GRADUADO EM MARGINALIDADE do Sacolinha.
CAPÃO PECADO do Ferréz.
MANUAL PRATICO DO ÓDIO do Ferréz.
VÃO de Allan da Rosa.

CUIDADO: O ministério da favela adverte, consumir muita Literatura Marginal pode lhe transformar num revolucionário.

www.suburbanoconvicto.blogger.com.br
alessandrobuzo@terra.com.br
Fone/Fax (11) 6567-9379 (11) 8218-7512
Só a cultura, educação, esporte e lazer podem combater a violência.
DESLIGUE A TV E VÁ LER UM LIVRO.
Se não mata, fortalece.

Alessandro Buzo é escritor. Promove OFICINA DE LEITURA pelo projeto FÁBRICAS DE CULTURA do Gov. do Est. De S.Paulo com crianças de 7 a 10 anos e como voluntário na FEBEM – Unidade Encosta Norte.
Montou a BIBLIOTECA COMUNITÁRIA SUBURBANO CONVICTO e é idealizador do evento FAVELA TOMA CONTA que em março terá a nona edição.

ÚLTIMA NOTICIA: Alessandro Buzo participará da BIENAL DO LIVRO DE SP (03 à 19/03/2006) no Anhembi, Buzo estará com seus livros e irá fazer uma palestra no Stand da FEBEM.

11 fevereiro, 2006

Utilidade Pública!!!

Já está no ar o PROGRAMA SUBURBANO CONVICTO, (organizado pelo escritor Alessandro Buzo e dirigido pela DGT Filmes), programa dedicado aos artistas da periferia, em especial os escritores e os rappers.
Neste mês o programa traz entrevistas com quatro escritores: Sacolinha, autor do romance Graduado em Marginalidade. Luiz Alberto Mendes, (Memórias de um sobrevivente) Sônia Pereira, (Maldição e outras crueldades) e Austregésilo Carrano, (Canto dos Malditos, que inspirou o filme: Bicho de Sete Cabeças).
Confira no site:
www.magazinerapbrasil.com


Associação Cultural Literatura no Brasil indica:
Toda a programação do Canal TV da Gente.
Grande São Paulo e Interior

Serviço: Canal 19 ou 50 VHF.
E aguardem... Entrevista com o escritor Sacolinha no programa de Rap da emissora.

10 fevereiro, 2006

Indicação da Semana

Romance com cocaína (M. Aguêiev)

A frase “Não se julga o livro pela capa” se encaixa perfeitamente nesta obra. Para aqueles que gostariam de sentir o efeito que a cocaína faz, se deleite na leitura dessa droga de obra. É uma viagem dentro de outra viagem. Um prato cheio acompanhado de uma ótima mistura. Mas cuidado, é perigoso ter overdose de leitura.


Na Barra do Catimbó (Plínio Marcos)

Um livro que mostra como surge uma favela.
Miséria, safadeza, umbanda, candomblé, malandragem e politicagem são os pontos principais desta obra. Uma mistura de fofoca com violência, ciúmes com desentendimentos, e por fim a solidariedade.
Indicado para qualquer pessoa e idade. Só não indicamos para as pessoas que sofrem de guetofobia.


Amanhã... Pavio da Cultura

Dia 11 de fevereiro – 20h

A segunda edição do projeto este ano contará com leitura e interpretação de textos, peça teatral, pinturas, desenhos, apresentação musical e filmes. No dia do evento, haverão textos (poesias e contos) em sistema Self-Service para os participantes desprovidos de textos.

Haverá uma atração especial: Um monólogo intitulado "A verdadeira dívida externa", encenado pelo ator Rogério Vicente e terá a direção de Gil Ferreira.

Local: Centro de Educação e Cultura “Francisco Carlos Moriconi”

Rua Benjamin Constant, 682 - Centro - Suzano - S.P

GRATUITO

09 fevereiro, 2006

Novo Conto.

TRAFICO DE DROGAS
Por Alessandro Buzo

Não dá mais para segurar a barra, Lucio pensa em voltar ao crime e voltar aos tempos de vaca gorda, faz tempo que não se mete em nada errado, já são 8 anos de casamento com Priscila e neste tempo foi empregado de carteira assinada, bateu cartão, comeu marmita, andou só com o vale transporte no bolso, tomou comida de gerente bunda mole, discutiu com zé povinho na condução lotada, tudo isso por amor a Priscila e por apostar numa vida nova e digna, ele a ama de verdade e ela não aceita, dinheiro do crime é maldito dizia ela, o irmão dela morreu no crime aos 22 anos, numa pilantragem de um parceiro. Ele havia aceitado essa condição e correu atrás, fez sua parte. O filho Gabriel veio dois anos depois e vai completar 5 anos, ele com ordem de despejo, devendo para Deus e o mundo, está a sete mesês desempregado, vive das vendas de natura de Priscila e de uns bicos que ele arranja, as vezes numa obra, outras vezes na feira e assim iam, mas nesse pique logo o aluguel passou a atrazar, as contas, telefone cortou, agua e luz iam pagando aos trancos e barrancos, cartão de credito estourou faz tempo. Lucio procurou muito por um emprego e nada, procurou até cansar. A mulher lado a lado reconhecia seu esforço mas parece até macumba, ele mandou um amigo grafitar um trexo da musica do gupo EXPRESSÃO ATIVA no muro da casa:

NÃO DIGA A DEUS QUE VOCÊ TEM UM PROBLEMA, DIGA AO SEU PROBLEMA QUE VOCÊ TEM UM DEUS MAIOR!

Agora até a casa e o muro lhe fugiam, recebeu ordem de despejo, começa a faltar algumas coisas para seu maior tesouro Gabriel. Priscila que fora a responsavel pela mudança dele pega os trezentos e vinte reais que estavam separados para pagar a fatura da natura e dá para Lucio comprar de cocaina como ele tantas vezes lhe propôs. Lúcio foi nas suas antigas fontes e começou o negocio, isso fazem cinco anos. Hoje Gabriel estuda em escola particular, eles compraram uma casa de responsa para morarem, tem carro e moto na garagem. Priscila é bela, roupas finas e até algumas jóias apesar de não gostarem de arrastar... Dinheiro guardado em local seguro, casa na praia, Priscila e Gabriel estão muitissimo bem encaminhados na vida. Lucio morreu a dez dias numa troca de tiro com o DENARC no interior de São Paulo, estava num negocio mostro de cocaina e a casa caiu, como era o combinado entre ele e seus 4 aliados, só se entregariam mortos, a chacará que estavam foi cercada pela POLICIA CIVIL, Denarc, Garra, Helicopteros, trocaram tiro até uma horas, um policial morreu e 3 deles também, Lucio foi literalmente estourado por varios tiros, só um saiu vivo e se recupera de dois dias seguidos sendo espancado. Priscila aguarda a poeira baixar para sumir do Brasil e viver a vida que o seu marido disse que eles levariam quando ele fosse morto, desde o primeiro dia que Priscila lhe entregou o dinheiro da natura para sairem do buraco, que ele havia dito que mudaria a vida deles, morreria, mais deixaria o futuro do seu filho garantido. Por vezes ela tentou lhe tirar do trafico mas não conseguiu, ele disse que só sairia rico e morto. Gabriel sente saudades do pai que lhe levava na praça para brincar no playgroud, chutava bola com ele no quintal e lhe carregava no colo de cabeça para baixo, Gabriel sente saudades do pai que ele era, não da profissão que ele tinha.

Alessandro Buzo
alessandrobuzo@terra.com.br
Autor dos livros: O TREM - BASEADO EM FATOS REAIS. (ESGOTADO).
SUBURBANO CONVICTO - O COTIDIANO DO ITAIM PAULISTA (EDITORA EDICON).
O TREM - CONTESTANDO A VERSÃO OFICIAL (EDITORA EDICON). Os 2 últimos á venda nas melhores livrarias, com o autor no e-mail acima e na Galeria 24 de Maio no centro de São Paulo (Loja Porte Ilegal).

08 fevereiro, 2006

Próximo evento

O AUTOR NA PRAÇA...

Apresenta

Roniwalter Jatobá autografando o livro O Jovem JK

Para lembrar os 50 anos da posse e 30 anos da morte do presidente Juscelino Kubitschek, conhecido como o presidente Bossa Nova, nosso próximo convidado é o jornalista Roniwalter Jatobá, autografando o livro O Jovem JK. Haverá exposição de fotos, livros, revistas, recortes e disco sobre JK, do acervo do jornalista Luiz Ernesto Kawall. O cartunista Júnior Lopes participa do evento realizando caricaturas do público. Informações sobre o autor e o livro abaixo.

O AUTOR NA PRAÇA com Roniwalter Jatobá autografando o livro O Jovem JK.
Dia 11 de Fevereiro, Sábado, 14h – Espaço Plínio Marcos
Feira de Artes da Praça Benedito Calixto.
Informações: Edson Lima – Tel. 3085 1502 / 9586 5577 – oautornapraca@oautornapraca.com.br
Apoio Cultural: Nova Alexandria Editora – www.novaalexandria.com.br

EM BREVE - Dia 18/02 - Evento comemorativo do nascimento do operário Santo Dias (22/02/1942), tarde de autógrafos do livro Santo Dias - Quando o passado se transforma em história, com a presença das autoras Luciana Dias, Jô Azevedo e Nair benedicto. Participação dos poetas Sérgio Vaz e Alan Rosa, com leituras de textos sobre Santo Dias, além da presença de integrantes do Centro Santo Dias de Direitos Humanos e convidados.

O Jovem JK & Roniwalter Jatobá- “Nós fizemos o livro, a Rede Globo fez a minissérie. Conheça mais da história emocionante de Juscelino Kubitschek, o presidente Bossa Nova. Do jornalista Roniwalter Jatobá, O Jovem Jk é uma biografia com toques de ficção. Mais um integrante da Coleção Jovens Sem Fronteiras”. (Os editores). A imagem de Juscelino Kubitschek resiste ao tempo e permanece no imaginário nacional como símbolo do otimismo e da capacidade de realização. O Presidente Sorriso, o Bossa Nova, JK fez muito mais do que construir Brasília. Ele consolidou o Brasil moderno. Mas esse líder, ao mesmo tempo benevolente e firme em suas posições, foi resultado dos sonhos e esforços de um menino, o Nonô, filho de dona jùlia, a humilde professora de Diamantina. É ele, O jovem JK, o protagonista desta história. Na sua luta para superar as dificuldades impostas pelapobreza, completar o espírito determinado e audaciosos que marcaria o futuro governante. Acompanhando as andanças de Juscelino, sua participação na Revolução de 1932 e sua meteórica carreira política, o escritor e jornalista Roniwalter Jatobá mostra como se formaram o caráter e personalidade do jovem que se transformaria num dos mais populares presidentes do Brasil. Nova Alexandria Editora - 160 páginas - R$ 26,00 - www.cnr.com.br/novaalexandria/index2.asp

Roniwalter Jatobá nasceu em Campanário, Minas Gerais, em 1949. Migrou para a Bahia e depois para São Paulo, onde trabalhou como operário no ABC e na área gráfica da Editora Abril. Mais tarde, auxiliado financeiramente pela empresa, formou-se em jornalismo. Publicou os livros Sabor de química (1976); Crônicas da vida operária (1978); Filhos do medo (1982); Juazeiro, guerra no sertão (1996); A crise do regime militar (1997); O pavão misterioso (1999); Paragens (2004), além de diversos textos em antologias e da tradução de A cavalaria vermelha, de Isaac BabeI (1986).

07 fevereiro, 2006

Mais Poesias!

Palavra Vazia

O exercito enfraquecido
Transbordando vaidade
Esquecido da luta
Transformado em rebelde sem causa
Iludido com fama, dinheiro...
Seduzido pelo banal
Por que não marcha rumo ao sol?
Por que não canta o hino da liberdade?
Erga a bandeira da igualdade
Avance contra o causador do mal
Reaja a luta não acabou
É fácil ser um falso vencedor
Não adianta vender esperança
Se dentro de você ela congestionou
A palavra volta como lança afiada
A mascara cai no momento crucial
A apresentação encerra, e o que sobra?
Palavra vazia que sem ação evapora.

ELIZANDRA SOUZA

Utilidade Literária!

Concurso seleciona projetos de livros para novos leitores!

O Ministério da Educação lança pela primeira vez no país o concursoLiteratura para Todos, com a proposta de incentivar a produção de livrosvoltados para jovens e adultos recém-alfabetizados dos seus programas deEducação de Jovens e Adultos (EJA).
O concurso selecionará oito obras inéditas para produção, publicação,divulgação e distribuição, com recursos do MEC, nas seguintes categorias: contoou novela; crônica; poesia; biografia ou relato de viagem; ensaio ou reportagem;textos da tradição oral; esquetes, scripts, peças teatrais, roteiros de vídeo,cinema, quadrinhos; e texto utilizando linguagem das Tecnologias de Informação eComunicação (TICs), como e-mails, blogs, comunidades virtuais, grupos dediscussão etc.
Para participar, as obras deverão ser inéditas, ou seja, não terem sidoeditadas ou publicadas, parcialmente ou em sua totalidade, em antologias,coletâneas, suplementos literários, jornais, revistas ou qualquer outro meio decomunicação. Os textos literários deverão ser atraentes para o público-alvo,trazendo leituras de mundo, em que texto e contexto estejam entrelaçados comclareza e visibilidade e permitam a compreensão, o entendimento e a crítica aossentimentos que fazem parte da história humana. É importante que as obrasestejam atentas à leveza e à invenção poética, propiciando oportunidades desuavizar o cotidiano.
Cada participante só poderá inscrever um único trabalho por gênero. Seráadmitida a participação em co-autoria. Os trabalhos apresentados serãoanalisados por uma Comissão Julgadora, constituída pelo Secretário de Educação Continuada Alfabetização e Diversidade e profissionais com experiência ecompetência na área de Literatura. Entre os critérios de seleção estão:adequação ao gênero literário; presença de literariedade; coerência temática eoriginalidade; escrita original utilizando linguagem expressiva que estimule aimaginação e a reflexão; e narrativas que permitam a construção da consciênciaindividual, social e ética.
Os livros selecionados em cada categoria terão uma tiragem inicial de 300mil exemplares, que serão distribuídos pelo MEC a alunos das turmas do programaBrasil Alfabetizado. Os autores dos livros escolhidos receberão um prêmio de R$10 mil cada. Esta ação vai integrar o Plano Nacional do Livro e Leitura (PNLL),que está sendo elaborado com a coordenação do governo federal. Os trabalhos deverão seguir as normas do edital e ser encaminhados até odia 16 de março para a Coordenação Geral de Alfabetização - Departamento de Educação de Jovens e Adultos - Secretaria de Educação Continuada, Alfabetizaçãoe Diversidade - Ministério da Educação (Esplanada dos Ministérios, Bloco L, sala710, Brasília/DF, CEP: 70047 - 900). O resultado provisório do concurso será divulgado no site do MEC no dia 24 de abril.

Informações pelo e-mail:

concursoliterariosecad@mec.gov.br
(mec.gov.br)

06 fevereiro, 2006

Do Itaim Paulista!

AGENDA DO ESCRITOR ALESSANDRO BUZO.
www.suburbanoconvicto.blogger.com.br
alessandrobuzo@terra.com.br
Fone/Fax: (11) 6567-9379 (11) 8218-7512

COMPROMISSOS FIXOS: Toda terça das 13:30 ás 15:30 Alessandro Buzo dá Oficina de Leitura na Ass. Benf. União Por Um Mundo Melhor com crianças de 7 à 10 anos, pelo Programa Fabricas de Cultura do Gov. do Est. de SP.

Todo sábado 10:00 às 11:30 hs, Alessandro Buzo dá Oficina de Leitura na FEBEM - Unidade Encosta Norte (Voluntário), para 10 internos.

06/02/06 - Reunião da revista RAP BRASIL, entregar o DVD com o Mini documentário FAVELA TOMA CONTA que em breve sai num DVD de rap junto de uma edição especial da revista.

07/02/06 - 9:00 hs - Gravar documentário com a DGT FILMES nos trens da CPTM (linha Brás/Calmon Viana).

07/02/06 - Retirar livros doados pelo Céu Veredas para biblioteca que estamos montando na FEBEM - Unidade Encosta Norte.

Essa semana - Gravar entrevista para a TV DA GENTE.

08/02/06 - 11:00 hs- Entrevistar o grupo EXPRESSÃO ATIVA no Jaraguá para meu blog e a revist RAP BRASIL.

08/02/06 - 16:00 hs- Reunião com o Sub Prefeito do Itaim Paulista, Sr Diogenes Martins.

09/02/06 - 10:00 hs- Reunião com o pessoal do Fabricas de Cultura.

10/02/06 - 09:00 hs- Reunião com a Editora Uirapuru, referente livro com internos da FEBEM (primeiro contato).

12/03/06 - Nona edição do FAVELA TOMA CONTA que Alessandro Buzo organiza e apresenta. (a confirmar data).

21/06/06 - Palestra no Rio de Janeiro pelo SÃO GONÇALO IN RAP 2006.

PALESTRAS/ LIVROS / OFICINAS DE LEITURA / IMPRENSA.
alessandrobuzo@terra.com.br
(11) 8218-7512

03 fevereiro, 2006

Agenda de fevereiro

ATIVIDADES

A Secretaria de Cultura de Suzano está com inscrições abertas para a oficina literária que será iniciada no dia 13 de fevereiro. Estão abertas 40 vagas e os interessados podem se inscrever gratuitamente entre os dias 1° e 10 de fevereiro, no Centro de Educação e Cultura “Francisco Carlos Moriconi”, das 9h às 17h. Vale ressaltar que as pessoas com idade entre 16 e 18 anos devem estar acompanhadas pelos pais ou responsável no ato da inscrição.

De acordo com a Coordenadoria de Literatura, o tema desta oficina será “Por que ler os Clássicos”. Uma oficina que tem como objetivo tirar o medo do leitor em relação aos livros clássicos. Escritores, poetas, alunos do 2° grau, professores e acadêmicos de Letras são considerados o público-alvo desta oficina.

As aulas serão realizadas todas as segundas e sextas-feiras pelo crítico literário João Capozzoli, e vai até o dia 13 de março, no Centro de Educação e Cultura “Francisco Carlos Moriconi”.


OUTRAS ATIVIDADES!


Pavio da Cultura
Dia 11 de fevereiro – 20h
A segunda edição do projeto este ano contará com leitura e interpretação de textos, peça teatral, pinturas, desenhos, apresentação musical e filmes. No dia do evento, haverão textos (poesias e contos) em sistema Self-Service para os participantes desprovidos de textos.
Local: Centro de Educação e Cultura “Francisco Carlos Moriconi”
GRATUITO

Oficina de Literatura
De 13 fevereiro a 13 de março – Das 19h às 21h
A coordenadoria de Literatura promoverá, a partir do dia 13 de fevereiro, a segunda Oficina de Literatura. O tema desta vez será “Por que ler os Clássicos”. As aulas serão realizadas todas as segundas e sextas-feiras pelo crítico literário João Capozzoli.
Local: Centro de Educação e Cultura “Francisco Carlos Moriconi”
GRATUITO


Trajetória Literária (Bate papo entre escritor e leitores)
Dia 21 de fevereiro – 20h
Dando continuidade ao projeto que consiste em trazer para a cidade escritores nacionalmente conhecidos, o escritor Moacyr Scliar vêm à Suzano, diretamente do Rio Grande do Sul, para falar de sua trajetória no meio literário.
Convidado: Moacyr Scliar
Local: Centro de Educação e Cultura “Francisco Carlos Moriconi”

GRATUITO

Serviço: Centro Cultural Francisco Carlos Moriconi.
Rua Benjamin Constant, 682 - Centro - Suzano - S.P.
Informações: (11) 4747-4180

Slogan L.B





Indicações...

Associação Cultural Literatura no Brasil, indica:

Contos da Meia-Noite!

Segunda, terça e quinta-feira.

Horário: 00:00.

TV Cultura

Entre Linhas

Segunda

Horário: 21:00

TV Cultura


Secretaria Municipal de Educação, Cultura, Ciência e Tecnologia de Taboão da Serra...

CONVIDA...

O Secretário de Educação, Cesar Callegari, convida a todos para participar
do 2º CAFÉ LITERÁRIO de Taboão da Serra.

APRESENTAÇÃO DO POETA SÉRGIO VAZ


Dia: 03 de fevereiro de 2006
A partir das 19hs

ENTRADA FRANCA

Local: Auditório da Secretaria de educação
Rua Elizabeta Lips, 166 Jardim Bom Tempo
Taboão da Serra-SP

Fone: 4788.5822

www.colecionadordepedras.blogspot.com


02 fevereiro, 2006

PALESTRA

VIOLÊNCIA POLICIAL É TEMA DE PALESTRA NO JORNAL BECOS E VIELAS.

O palestrante que abordará o tema Violência Policial na sede do jornal Becos e Vielas no próximo dia 04/02/06, às 9h40, é o professor George Felipe de Lima Dantas, que também é consultor-sênior do Centro de Treinamento em Segurança Pública para a América Latina e Caribe (TREINASP) da Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP) do Ministério da Justiça.Os jovens que participam da Oficina Experimental de Jornalismo, além da produção do jornal agora abraçaram um novo projeto: Becos e Vielas na Família, uma série de cartilhas relacionadas à questão da violência (Infantil, Doméstica, Consumo de Drogas Lícitas e Ilícitas e Violência Policial). Com uma tiragem média de 8 mil exemplares para cada assunto, essas cartilhas serão distribuídas, gratuitamente, em escolas e instituições.
A realização deste projeto conta com o patrocínio da Coordenadoria Ecumênica de Serviço – CESE, que promoveu a campanha "Juventude da Paz de 2005". A idéia é reforçar o protagonismo juvenil com vistas à integração, participação e a inclusão da juventude na promoção da paz e no acesso a direitos.
Becos e Vielas Z/S é uma publicação da Oficina Experimental de Jornalismo, criada pela Associação de Incentivo às Comunicações – Papel Jornal e que hoje conta com o patrocínio da Petrobrás e outros apoios. O projeto, que envolve jovens sob a orientação de jornalistas, artistas gráficos, fotográficos, lingüistas e administradores, acontece na região do Jardim Ângela, zona Sul de São Paulo. Uma proposta educativa, de democratização da informação.

Serviço
Quando: 04/02/06 (sábado)
Horário: das 9h40h às 11h40 (pontualmente)
Local: ONG Papel Jornal - Av. Ivirapema, 42A - Jd. Ranieri.
Gratuito – Vagas limitadas
Informações: (11) 5831 5954 c/ Juliana Santos das 14h às 16h

01 fevereiro, 2006

Do Nordeste!

CÁ ESTOU
Carlos Silva



COMPONDO VERSOS
TRAÇANDO RIMAS, SEGUE ESSE VIAJOR NAS ESTRADAS DA BAHIA, DESCOBRINDO HORIZONTES,PISANDO EM MANDACARÚ COM A CANETA E MASTIGANDO MACAMBIRA COM OS OLHOS DE POETA CANTADOR.
SOU UM PEDAÇO DESSE CHÃO QUE ME SUPORTA,ME ALEGRA, ME ELEVA.
SOU UM ANTROPOFÁGICO REDESCOBRINDO A BELEZA E A MAGIA DO LUGAR "DONDE"ME CRIEI.
CÁ ESTOU NA POEIRA FINA DA INSPIRAÇÃO, SENTINDO O CHEIRO DA TERRA(SECA PORÉM BÔA) DIVIDINDO ESPAÇOS ENTRE CORDELISTAS E TROVADORES DA REGIÃO.
BEBENDO ÁGUA DE CULTURA NOS RIBEIRÕES DESSE POVO QUE JÁ NASCE DANÇANDO.CANTANDO,

RIMANDO E FAZENDO GRAÇA POR ONDE PASSA.

Carlos Silva, poeta e músico!