25 abril, 2016

Trocando Ideias



“Trocando Ideias” discute obra de Manoel de Barros nesta terça-feira (26/4)

Com entrada gratuita e aberto ao público em geral, projeto será realizado às 19 horas na Sala de Teatro da Cia. Atores InSanos, abrigada na Faculdade Piaget (Av. Mogi das Cruzes, 1.001, Jardim Imperador, em Suzano)

“Memórias Inventadas”, o primeiro livro de prosa de Manoel de Barros será o tema da edição de abril do "Trocando Ideias", projeto de discussão literária da Associação Cultural Literatura no Brasil (ACLB). A atividade reunirá os autores regionais na terça-feira (26 de abril), na Sala de Teatro da Cia. Atores InSanos, abrigada na Faculdade Piaget (Av. Mogi das Cruzes, 1.001, Jardim Imperador, em Suzano) e terá início as 19 horas.

A entrada é gratuita e voltada a escritores, vestibulandos, estudantes e todos os interessados que tenham lido a obra em questão. O encontro, que tem por objetivo despertar o gosto pela leitura e promover o contato dos autores com diferentes gêneros literários terá como facilitador o escritor e membro da ACLB Francis Gomes.

Como explica o coordenador do projeto, Francis Gomes, o “Trocando Ideias” é um momento para ampliar conhecimentos e enriquecer a formação literária:

“É uma oportunidade de conhecer diversas culturas e diferentes estilos literários dos autores em debate, estimular a leitura e fortalecer esse hábito”, destaca.

O "Trocando Ideias" foi idealizado com o objetivo de promover uma discussão crítica em torno de obras da literatura nacional e internacional, de modo a contribuir com o enriquecimento cultural e intelectual de seus participantes. Este ano o projeto será realizado bimestralmente e em suas edições irá intercalar o debate sobre prosa e poesia.

Os próximos títulos que serão debatidos no projeto são: "A Civilização do Espetáculo", de Vargas Llosa; "Espumas Flutuantes", de Castro Alves; "Miguel e os Demônios", de Lourenco Mutarelli; e "A Comédia de Alissa Blum", de Manoel Herzog.

MEMÓRIAS INVENTADAS

“Memórias Inventadas – As infâncias de Manoel de Barros” reúne os versos do que o autor considera suas três infâncias (infância, mocidade e velhice). O estilo único do poeta se completa com as iluminuras de Martha Barros, sua filha e pintora.


Poeta de Cuiabá, no Mato Grosso, Manoel Wenceslau Leite de Barros é o mais aclamado poeta brasileiro da contemporaneidade nos meios literários. Foi vencedor do Prêmio Jabuti duas vezes, em 1990 e 2002, com as obras "O guardador de águas" (1989) e "O fazedor de amanhecer" (2001). Os livros do poeta foram traduzidos e publicados na França, nos Estados Unidos, na Espanha e em Portugal.

18 abril, 2016

Papo reto sobre o IMPEACHMENT

Não podeis da pátria filhos,
nem verás contente a mãe gentil
Brava gente brasileira
Perto está  o agressor viril
As terríveis ímpias falanges
De face  dura e hostil
Feriram o peito e a alma
Com ira e astúcias mil
Com suas infâmias e grilhões
Zombam  dos guerreiros do Brasil

Eu não podeira ficar calado. Não seria poeta, nem o patriota que digo que sou. Não seria o nordestino de que sinto orgulho de ser.
Não teria outra forma se começar este texto se não por este poema.  Ao ver muitos deputados eleitos pelo voto popular na votação do Impeachment  da presidente Dilma Rousseff falando, por sinal a única verdade que foi mencionada por todos que votaram SIM.
EM NOME DE MINHA FILHA, MEU FILHO, MINHA ESPOSA,  MÃE. EM NOME DO MEU BRASIL.
Isso sim era verdade. Porque fizeram aquilo não pela nação brasileira, não pelos filhos do Brasil, mas sim, pelos filhos deles  por seus familiares e pelo o Brasil deles.
Porque Brasil deles não é o nosso Brasil. O Brasil deles é um Brasil onde somente os filhos deles tem direito a estudar em uma faculdade. Um Brasil em que somente seus filhos  suas esposas e familiares tem direito a comprar um carro, um celular de última geração, um computador, notebook  enfim um Brasil como falou o imbecil de um jornalista e comentarista de Santa Catarina:  QUALQUER MISERÁVEL PODE COMPRAR UM CARRO, E AFIRMOU, ISSO É CULPA DO LULA QUE POPULARIZOU O AUTOMÓVEL. AGORA QUALQUER MISERÁVEL TEM UM CARRO.
Então, este é o Brasil que eles bem falaram, PELO MEU BRASIL, um Brasil onde o pobre tem que continuar miserável e rico cada vez mais rico. Um Brasil onde o nordestino, o preto, o pobre os favelados não podem deixar se ser escravos dos ricos. Assim como a casa grande nunca gostou quando nossos irmãos escravos faziam festas, continuam esbravejando quando a senzala deixa de ser senzala para ser muito mias que um Quilombo.

Então Meu Brasil, por que será,
Que você é deste jeito?
Tudo existe de bom,
Só os ricos têm direitos
A uns tratamentos nobre
Enquanto trata teus pobres
Sem carinho, sem respeito.

Desperta pátria criança
De céu azul como anil.
Acorda pequeno jovem
De coração varonil.
Traz a bandeira no peito
Vem defender seus direitos
Nas ruas do meu Brasil.

Esqueça que você é,
Uma pessoa gentil.
Vem mostrar para o mundo
A tua face hostil,
Vem proclamar a verdade
Desmascarar os covardes
Políticos do meu Brasil

Sim. Desmascarar  os covardes e corruptos políticos, defender nosso Brasil, porque eles defenderam e sempre defenderam o Brasil que eles querem, não o Brasil que queremos e precisamos.
Então acorda Brasileiros  vamos defender o Brasil de nosso filhos o nosso Brasil.

Francis Gomes





11 abril, 2016

Sarau LiteraturaNossa - Abril de 2016

Sarau LiteraturaNossa marcará adesão da ACLB ao movimento contra o golpe

Edição de abril que acontece nesta sexta-feira, dia 15, também contará com oficina de turbantes Preta Rainha, o lançamento do livro "Humanidade", de Raimundo Alves Rodrigues, e o lançamento dos calendários poéticos

O Sarau Literatura Nossa de abril será especial. Nesta edição, programada para sexta-feira (15 de abril), a Associação Cultural Literatura no Brasil (ACLB) fará sua adesão ao movimento #ArteContraOGolpe que integra o movimento #PeriferiasContraOGolpe e desde o último dia 8 vem realizando uma série de ações na cidade em defesa da democracia. Na programação também consta a oficina de turbantes Preta Rainha, o lançamento do livro "Humanidade", de Raimundo Alves Rodrigues, e o lançamento dos calendários poéticos.

O projeto que conta com o apoio do Programa de Ação Cultural (ProAC) do governo do Estado de São Paulo será realizado às 19h30 na Comunidade Kolping (Rua Cumbica, 630, Jardim Revista, Suzano, próximo ao bazar e à Escola Estadual Oswaldo de Oliveira Lima).

OFICINA

Com duração de  duas horas, a oficina de turbantes terá início às 18 horas, antes do sarau, e os interessados devem se inscrever previamente, pois há somente 20 vagas. Outras informações pelo telefone (11) 96680-4065, pela home page www.literaturanobrasil.blogspot.com/ ou pelo Facebook Sarau LiteraturaNossa.

O objetivo da oficina é compartilhar e vivenciar algumas técnicas de "amarrações", tendo como referência inicial os turbantes africanos, de países como Moçambique (aprendido em Maputo) e Angola. Será ministrada pela designer Débora Marçal, co-fundadora da Capulanas Cia. de Arte Negra, coreógrafa e figurinista do Instituto Umoja.

Serão ensinados quatro tipos de amarrações" coque flor 1, coque flor 2, realeza e baduh, bem como a simbologia histórica e cultural dos turbantes. Ao final do curso o (a) participante levará para casa o tecido utilizado, que será disponibilizado na oficina. Embora tratada como "amarração", em  90% dos turbantes não se dá nenhum nó com o tecido na cabeça.

Débora também é fundadora da Empresa Preta Rainha, que desenvolve bolsas, acessórios, roupas e figurinos a partir do diálogo entre a estética africana, diaspórica, popular entre outras. Ministra oficinas de tranças, turbantes, danças brasileiras, afrobrasileira e dança negra contemporânea.

“HUMANIDADE”

Em "Humanidade", Raimundo Alves Rodrigues canta em versos líricos recheados de metáforas, o ser humano nas mais variadas culturas e épocas, abordando virtudes, valores e anseios em âmbitos individuais e coletivos da sociedade. Tudo isso reunido em mais de 70 poemas. O autor nasceu e reside em Mogi das Cruzes. É licenciado em Letras e trabalha como docente. É autor do livro "Poesiação" (2012, LP-Books).

         CALENDÁRIOS

Projeto pioneiro que tem por objetivo o incentivo à leitura através de novas mídias de divulgação, os calendários poéticos foram introduzidos este ano pela ACLB com o objetivo de estimular e reconhecer a participação dos artistas/escritores/leitores, bem como garantir a difusão de bens e produtos culturais. O lançamento ocorrerá concomitantemente ao sarau.

O projeto contou com dez autores participantes e serão distribuídos ao todo de forma gratuita 10 mil calendários nos saraus, em escolas e outros locais culturais da cidade e região.

“A expectativa é que esse material repita o sucesso de outros que lançamos em anos anteriores, a exemplo dos postais e imãs poéticos, vídeos de literatura, CD’s, entre outros instrumentos que ajudam a difundir o acesso à literatura”, diz Landy Freitas, coordenadora do Sarau LiteraturaNossa.

03 abril, 2016

Calendário 2016






 


A Associação Cultural Literatura no Brasil, uma associação que tem como objetivo principal o incentivo a leitura e aos novos escritores, tem usado e ousado utilizar muitos meios diferentes para alcançar seu objetivo.
No ano de 2015 alem dos, dos projetos, trocando ideias, comunidade do conto e saraus nas escolas, marca registrada da ACLB, inovou com o lançamento de textos de novos escritores por meio dos imãs poéticos e cartões postais.
Este ano de 2016 virão muitos outros projetos, para despertar nas pessoas o gosto pela leitura, entre eles, o CALENDÁRIO POÉTICO, onde escritores e poetas da associação, juntamente com alguns autores convidados terão seus textos publicados em calendários de bolso.
O intuito é unir o útil ao agradável, fazer com que as pessoas não esqueçam seus compromissos e despertar o gosto pela leitura àqueles que ainda não tem este hábito, com mensagens de reflexão e simples entendimento.
O projeto busca alcançar, pelos menos vinte mil leitores por meio da distribuição gratuita dos calendários, onde cada participante receberá uma conta de oito centos unidades.
Não percam o lançamento do CALENDÁRIO POÉTICO, será no próximo Sarau Literatura Nossa, da Associação Cultural Literatura no Brasil, na kolping do Jardim Revista 15/04/2016 as 19:00.
Não para por aí, em breve, canetas poéticas, aguardem.

Associação Cultural Literatura no Brasil, não tem barreiras, obstáculos nem distância, capaz de parar nosso sonho de um mundo melhor por meio do incentivo a leitura.

Quem ler enxerga melhor.


23/11