26 abril, 2013

Pra quem perdeu na TV

Manos e Minas entrevista escritor Sacolinha

Falta pouco!

RESTAM 5 VAGAS


Curso de Criação Literária
e Técnicas de Redação

- Aprenda a escrever bem
- Adquira técnicas imprescindíveis para redigir um bom texto
- Saiba como melhorar um texto já escrito
- Aprenda na prática as diferenças e características de cada gênero literário
- Saiba dos erros mais comuns na produção de um texto
- Saia na frente nos Concursos Públicos e Vestibulares escrevendo ótimas redações
- Receba dicas para a publicação de um livro

Objetivos gerais: Produção, aprimoramento, lapidação e criação de textos com qualidade literária por meio dos gêneros conto, crônica, poesia, miniconto e redação.
certificado ao final do curso

Público alvo: Escritores*, Professores, Vestibulandos e Interessados em melhorar a redação de textos

*Não é exclusivo para iniciantes. Escritores que já publicaram também podem participar com o mesmo grau de aproveitamento.

Idade mínima: 14 anos
Carga horária: 12h

Inscrições: de 15 à 30 de abril (segunda à sexta, das 9h às 17h)
Dias do curso: Todos os sábados do mês de maio (4, 11, 18 e 25) das 9h às 12h

Instrutor/Coordenador: Escritor Sacolinha
Sacolinha(Ademiro Alves de Sousa) é formado em Letras pela Universidade de Mogi das Cruzes. Escritor, autor de romances e livros de contos. Em sua trajetória já esteve em programas de televisão como Jô (TV Globo), Provocações e Metrópolis (TV Cultura). Ganhou vários prêmios por seus livros e seus projetos. Nos últimos anos tem viajado pelo país fazendo palestras e ministrando oficinas. Recentemente prestou serviços para a UNESCO e para o Ministério da Justiça no projeto “Uma janela para o mundo”. Em 2013 a editora carioca Aeroplano, lançou o livro "Como a água do rio" biografia e trajetória do escritor Sacolinha.

Valor do investimento: R$ 99,00 (pode ser pago em 2x de R$ 49,50 – 1º no ato da inscrição e a 2ª no dia 18/5)

Local das inscrições e do curso: Instituto Netinho - Rua 27 de Outubro, 361, sala 4 – Centro, Suzano - Próximo ao Centro Cultural de Suzano/Biblioteca - Rua da Lacqua de Fiori

Telefones: (11) 98325-2368 Tim/ (11) 99526-3561 Vivo

Realização: Associação Cultural Literatura no Brasil, Teatro Contadores de Mentira e Instituto Netinho.

21 abril, 2013

Velório feito!


Secretário de Cultura foi velado, agora falta o enterro

Ato de protesto ocorreu durante sarau no Jd. Revista e contou com a presença da comunidade e de vários artistas da cidade.

Os escritores Sidney Leal e Matheus Pensador velam o Secretário de Cultura de Suzano


A Associação Cultural Literatura no Brasil realizou na última sexta-feira 19/4, às 19h30, mais uma edição do Sarau LiteraturaNossa, que contou com o lançamento do livro "Antes de Evanescer" do escritor paulistano Escobar Franelas.
O ponto alto da atividade foi o "Velório do Secretário de Cultura de Suzano". Devido a insatisfação da classe artística da cidade e ao fechamento do Teatro Contadores de Mentira, que foi o estopim para as várias manifestações que estão ocorrendo em Suzano, via internet.
A ideia é que depois do velório a classe artística da cidade faça o enterro e depois o sarau de 7º dia.
No sarau houve ainda o lançamento da campanha "Suami não me representa", onde os artistas e amantes das artes posaram para fotos com um cartaz dizendo "Suami, secretário de cultura de Suzano, não me representa".
A Associação Cultural Literatura no Brasil acredita na cultura como uma área transformadora de pessoas e pensamentos.
"O Suami de Azevedo é igual ao cão que ladra e não morde. Fala o tempo todo de gestão cultural, mas não sabe sequer o significado do Sistema Nacional de Cultura, além de achar que gestão é virada cultural e concurso literário nas escolas". Fala o escritor Sacolinha, que ainda propõe um debate, "Eu o desafio a debater as políticas públicas para a  cultura".
Nunca na cidade de Suzano um secretário de cultura foi alvo de diversos protestos. "A população acordou e os artistas estão cientes do seu papel na sociedade. Não dá mais para ficar de braços cruzados, só vendo a banda passar". Diz Sidney Leal, escritor.
Estão em organização mais três manifestações. A próxima será um ato surpresa, a outra será durante a convocação do secretário de cultura na Câmara de Suzano e, caso não aconteça nenhuma mudança, a última será em nível nacional.

19 abril, 2013

Manos e Minas


TV Cultura entrevista escritor Sacolinha

O programa vai ao ar neste sábado, 20/4, às 17h, com reprise terça-feira (23) às 0h.

O renomado escritor suzanense Ademiro Alves, o Sacolinha, estará mais uma vez no programa Manos e Minas da TV Cultura. Os repórteres estarão na casa do autor para bater um papo sobre literatura clássica, leitura e os novos autores, além de conhecerem a biblioteca pessoal de 4 mil títulos que o escritor mantém em sua residência. Por já ter sido gravado há duas semanas, a entrevista não vai tocar no assunto das manifestações contra a secretaria de cultura de Suzano.
O programa vai ao ar neste sábado, 20/4, às 17h, com reprise terça-feira (23) às 0h.
Essa já é a 6ª vez que o autor aparece neste canal. A primeira foi no programa “Metrópolis”, depois no programa Provocações. A terceira vez foi no “Entrelinhas” e as outras três no próprio “Manos e Minas” que é um programa voltado ao público do hip hop.
Para assistir as entrevistas que foram ao ar em anos anteriores é só acessar o site do Youtube e digitar os nomes “Escritor Sacolinha”. Neste site há dezenas de vídeos sobre o trabalho do Sacolinha, inclusive vídeos onde o autor recita poesias, apresenta saraus e dá palestras.

Sobre o autor

Sacolinha (Ademiro Alves de Sousa) tem 29 anos, nasceu na cidade de São Paulo e é formado em Letras pela Universidade de Mogi das Cruzes. É escritor, autor de romances e livros de contos. Completou em dezembro de 2012, dez anos de carreira literária. Em sua trajetória já esteve em programas de televisão como Jô (TV Globo), Provocações, Metrópolis e Manos e Minas (TV Cultura). Trabalhou na secretaria de cultura do município de Suzano por oito anos (2005 à 2012), onde desenvolveu centenas de projetos de incentivo à leitura e de divulgação dos novos escritores, com destaque para o 1º Salão Internacional do Livro de Suzano. Trouxe para a cidade escritores como Ariano Suassuna, Marcelo Rubens Paiva, Ignácio de Loyola Brandão, Moacyr Scliar, Paulo Lins, Antônio Skármeta, Fernando Gabeira, entre outros. Ganhou vários prêmios por seus livros e seus projetos. Nos últimos anos tem viajado pelo país fazendo palestras e ministrando oficinas, principalmente em lugares vulneráveis e não muito comuns para eventos literários, tal como cadeias, penitenciárias federais, favelas, morros e associações de moradores. Recentemente prestou serviços para a UNESCO e para o Ministério da Justiça no projeto “Uma janela para o mundo – Leitura nas Prisões” nas Penitenciárias de Segurança Máxima. Desenvolve ainda uma palestra por semana nas escolas públicas do estado de São Paulo. Em 2013 a editora carioca Aeroplano, lançou o livro "Como a água do rio" biografia e trajetória do escritor Sacolinha.

18 abril, 2013

Nesta sexta!


Sarau promove "Velório do secretário de cultura de Suzano"

Além do lançamento do livro "Antes de Evanescer" de Escobar Franelas, haverá ainda um velório e o lançamento da campanha "Suami não me representa".

Nesta sexta-feira, 19/4, das 19h30 às 21h30, A Associação Cultural Literatura no Brasil em parceria com o Ministério da Cultura, Governo Federal, realiza mais uma edição do ano do Sarau LiteraturaNossa. A atividade será realizada no Ponto de Cultura "Círculo das Letras" situado na Rua Guarani, 979, Jd. Revista - Suzano.
Esta edição promete muita movimentação. Durante o sarau haverá o lançamento do livro "Antes de Evanescer" do escritor paulistano Escobar Franelas.
Haverá também um momento solene, que será o "Velório do Secretário de Cultura de Suzano". "Estamos insatisfeito não só com a secretaria de cultura, mas também com o seu representante que não nos representa", dizem os organizadores do sarau, Francis Gomes, Sidney Leal, Landy Freitas, Débora Garcia e Sacolinha.
O caixão está sendo confeccionado por artistas plásticos e chegará ao Jd. Revista em carro fúnebre, pra chamar a atenção da população para o descaso do poder público com a cultura.
A ideia é que depois do velório a classe artística da cidade faça o enterro e depois o saraude 7º dia.
No sarau haverá ainda o lançamento da campanha "Suami não me representa", onde centenas de artistas e amantes das artes posarão para fotos com um cartaz dizendo "Suami, secretário de cultura de Suzano, não me representa".
Toda essa manifestação se deve a falta de diálogo da secretaria com a classe artística da cidade, e recentemente por conta do fechamento do Teatro Contadores de Mentira. A Associação Cultural Literatura no Brasil acredita na cultura como uma área transformadora de pessoas e pensamentos.
Este sarau no Jd. Revista é realizado toda terceira sexta-feira do mês e conta com a presença dos moradores do bairro e de pessoas de fora da cidade, com apresentações de poesia, música, cinema, teatro e dança.
No intervalo, haverá sorteios de livros, revistas, vídeos, CD's e camisetas.
Teremos também o lançamento do número 32 do fanzine LiteraturaNossa, com poesias, indicações de livros, divulgação dos projetos do ponto de cultura e outras informações de interesse cultural.
Quem tiver interesse em se apresentar basta chegar com 30 minutos de antecedência. Mais informações podem ser repassadas através do número: 98153-1978, com Sidney Leal.

Sobre o autor da noite
ESCOBAR FRANELAS, educador, escritor e videomaker paulistano, 44 anos. Com dois livros publicados, "hardrockcorenroll”, poesia (1998) e "Antes de Evanescer”, romance (2011), colaborou com diversas coletâneas de poesia, contos e crônicas.

Ligado a grupos de promoção cultural e artística, como A Casa Amarela – Espaço Cultural (www.acasaamarela.net) e o Nova Esquina Literária, de criação e autogestão literária dentro do ambiente internet – Franelas mantém um blogue, vs. eu (http://escobarfranelas.blogspot.com/), com muito de sua produção.

Membro da União Brasileira dos Escritores (www.ube.org.br) e verbete da Enciclopédia Brasileira de Literatura (A. Coutinho e J. G. Sousa. Global Ed., 2ª ed., vol. 1, 2001, p. 732), atualmente também atua nas diretorias da Casa do Escritor de São Roque (Comunicação) e Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento Social e Humano – IPEDESH (Tesouraria).

Situação cultural de Suzano


Um quase mergulho no mar-asmo cultural do poder público em Suzano

Já fazia tempo que vinha ouvindo reclamações e comentários sobre a pessoa do Suami de Azevedo à frente da Secretaria de Cultura do município de Suzano.
Eu sempre respondia: - Calma gente, vamos esperar mais um pouco. Ele tá chegando agora, deixa ele entender um pouco a máquina, aí vai melhorar.
Mas que nada!
Como se não bastasse não mostrar a que veio e ainda não dialogar com os artistas, acabou criando um mal estar enorme entre governo e a classe artística da cidade quando na semana passada participou do conluio para o fechamento do recém-inaugurado Teatro Contadores de Mentira.
Ou seja, além de não fazer ainda quer prejudicar os que fazem.
E qual não foi a minha surpresa quando, consultando os municípios que estavam em convênio com o Minc (Ministério da Cultura), percebi que o nosso município havia perdido todos os prazos para assinar parceria com este ministério?
Perdemos a chance de participar de um momento histórico da cultura em nosso país onde, inclusos no Plano Nacional de Cultura, poderíamos receber verbas de editais federais, livros, vale cultura e ainda por cima ter a chance de atingir um teto mínimo de 1,5% do orçamento municipal para a pasta da cultura.
Artistas de Suzano prestem atenção, ficamos de fora do Sistema Nacional de Informações de Indicadores Culturais. Isso é muito grave!
Assim estamos mesmo caminhando para o marasmo de antes. Em pensar que o secretário reclama da falta de verba...
E mesmo com o que tem de verba atualmente, já dava para mostrar resultados. Lembro que com muito menos o setor de Literatura da gestão passada conseguiu colocar Suzano no cenário nacional das Letras, promovendo o “Concurso Literário” que tirou 190 escritores do anonimato, o sarau “Pavio da Cultura” que trouxe autoridades de vários países para a cidade e lançou dezenas de livros de autores de Suzano e região, e as palestras “Trajetória Literária” que trouxe para cá Ariano Suassuna, Ignácio de Loyola Brandão, Moacir Sclyar, Marcelo Rubens Paiva, Zuenir Ventura e mais 50 escritores mundialmente conhecidos.
Só estes três projetos deram a Suzano visibilidade e muitos prêmios, renderam diversas teses de mestrado e trouxe muita gente pra cidade, de artistas à público. E ainda serviram de modelo para muitas secretarias, departamentos e diretorias de cultura de todo o país.
Isso só na área de literatura, imagine nas outras.
Como se vê, dinheiro não é problema. Talvez se o Suami tivesse descido do pedestal e ouvido alguns artistas a situação não estava desse jeito. Enquanto o Mateus Sartori em Mogi das Cruzes promove os encontros setoriais (com escritores, músicos, artistas plásticos, cineastas, dançarinos e etc.) aqui o secretário se nega até a atender os artistas.
Quando o mesmo foi cobrado pelos seus pares (já que com as pessoas que manifestam insatisfação com a secretaria de cultura ele as tem como inimigos) disse que muitos projetos estavam encaminhados, e que inclusive o concurso literário seria feito só para as escolas.
Que merda!
Lutamos justamente pelo contrário. Que os projetos sejam realizados para além dos muros das escolas e que todos possam participar, já que essas unidades já contam com verba dos governos estaduais e federais. E de forma alguma estariam de fora dos projetos do município.
Suami, secretaria de cultura não é a unidade escolar onde você passou a vida acomodado como diretor, é sim um lugar de projetos para toda uma cidade de quase 300 mil habitantes, e que a gestão cultural desta secretaria deve abranger e caminhar com o país. “Ficar de frente para o mar, de costas pro Brasil, não vai fazer desse lugar um bom país”. Salve Milton Nascimento.
Só conhecer o centro e escrever sobre ele, não ajuda toda uma população. Você precisa andar pelos bairros, secretário, e mapear culturalmente o município.
Não se esqueça também da cultura popular, que historicamente já é esquecida. A capoeira e as religiões de matrizes africanas (que você deve saber que existem, já que é historiador) estão bem chateados pela transformação do Pavilhão da Cultura Afro Zumbi dos Palmares em espaço de ensaio teatral. Por que fechou o Galpão das Artes e o Casarão?
Vale lembrar que qualquer associação cultural está promovendo mais projetos culturais do que a Prefeitura de Suzano, e sem verba nenhuma, hein Suami!
Trouxe minha esposa para morar aqui. E nossa filha, nascida em Suzano, precisa viver numa cidade cultural, para não ter que correr atrás do óbvio, já que num local que respira cultura, as pessoas raramente precisam ir a um hospital ou de serem encaminhadas a uma cadeia, muito menos de ter que se locomover até o centro de São Paulo para ter acesso aos espetáculos e cinemas.
Fora marasmo cultural, fora antipatia, fora comodismo.

Sacolinha, escritor, agitador cultural e cidadão suzanense.

Inscrições abertas!



Suzano terá Curso de Criação Literária e Técnicas de Redação

Estão abertas até o dia 30 de abril, das 9h às 17h, as inscrições para o curso de criação literária e técnicas de redação. A duração é de 12 horas e será realizado todos os sábados de maio, 4, 11, 18 e 25/5, das 9h às 12h. O local das inscrições e onde acontecerá o curso é o Instituto Netinho (Rua 27 de Outubro, 361, sala 4 – Centro, Suzano). A idade mínima é de 14 anos.
Voltado para escritores iniciantes e amadores, além de professores e vestibulandos, este curso vai ajudar o participante a escrever bons textos e melhorar um texto já escrito. O conteúdo servirá também para interessados em concursos públicos. E para quem quer publicar seu primeiro livro o curso vai passar dicas importantes para que o escritor consiga lançar sua obra com mais facilidade.
O curso será ministrado pelo escritor Sacolinha, que tem uma larga experiência no campo da criação literária e em correção de redações, tendo escrito e publicado 6 livros, e trabalhado para o Ministério da Educação como parecerista de redações do ENEM e das faculdades federais.
“Ao longo dos 4 dias de curso irei revelar algumas mágicas que nós escritores utilizamos para produzir um bom texto. Trata-se de técnicas que demoramos anos para aprender”. Revela Sacolinha.
Este curso tem um valor de R$ 99,00 que pode ser pago em duas vezes de R$ 49,50, a 1ª no ato da inscrição e a 2ª no dia 18/5.
Para quem tem problema de horário e não consegue ir até o local para fazer a inscrição, a organização do curso também está fazendo a inscrição via internet. Basta enviar um e-mail para sacolagraduado@gmail.com solicitando a inscrição.
A realização é da Associação Cultural Literatura no Brasil em parceria com o Teatro Contadores de Mentira e Instituto Netinho.
Mais informações nos telefones: 98325-2368 (Tim) / 99526-3561 (Vivo)

Instrutor
Sacolinha (Ademiro Alves de Sousa) tem 29 anos, nasceu na cidade de São Paulo e é formado em Letras pela Universidade de Mogi das Cruzes. É escritor, autor de romances e livros de contos. Completou em dezembro de 2012, dez anos de carreira literária. Em sua trajetória já esteve em programas de televisão como Jô (TV Globo), Provocações, Metrópolis e Manos e Minas (TV Cultura). Trabalhou na secretaria de cultura do município de Suzano por oito anos (2005 à 2012), onde desenvolveu centenas de projetos de incentivo à leitura e de divulgação dos novos escritores, com destaque para o 1º Salão Internacional do Livro de Suzano. Trouxe para a cidade escritores como Ariano Suassuna, Marcelo Rubens Paiva, Ignácio de Loyola Brandão, Moacyr Scliar, Paulo Lins, Antônio Skármeta, Fernando Gabeira, entre outros. Ganhou vários prêmios por seus livros e seus projetos. Nos últimos anos tem viajado pelo país fazendo palestras e ministrando oficinas, principalmente em lugares vulneráveis e não muito comuns para eventos literários, tal como cadeias, penitenciárias federais, favelas, morros e associações de moradores. Recentemente prestou serviços para a UNESCO e para o Ministério da Justiça no projeto “Uma janela para o mundo – Leitura nas Prisões” nas Penitenciárias de Segurança Máxima. Desenvolve ainda uma palestra por semana nas escolas públicas do estado de São Paulo. Em 2013 a editora carioca Aeroplano, lançou o livro "Como a água do rio" biografia e trajetória do escritor Sacolinha.

Sarau LiteraturaNossa Maio 2017

No sarau desse mês: Autor de 24 folhetos de cordel, do livro Ecos do Silêncio e da antologia poética, Semeando Versos colhendo Cord...