13 maio, 2010

IDENTIFICAÇÃO, RAÍZES, CONSCIÊNCIA




Sou descendente de africanos

Povo lindo de pele escura.

A consciência de ser seqüestrado está na mente

Diáspora inexistente.

O tráfico de seres humanos fez de mim afro brasileiro

Não vim aqui a passeio

A branca escraviza não liberta

Negro que enxerga e sente as seqüelas

Do sofrimento dos nossos antepassados

Seqüestrados ontem, hoje marginalizados

Sem reparação dos séculos de escravidão

Não existe igualdade, por isso fecho a mão

Faço parte da resistência

Não quero nada que você me ofereça

Usurpa a cultura Negra e a torna popular

Não sou Dirth Veighan, lado negro da força

Poder Negro na mente, lanterna verde consciente

Super shock, dreadloks. Também uso cóques

Vítimas do embranquecimento

Alisam o cabelo

Inimigas do reflexo do espelho.

Não precisa disso negra linda.

Minha rainha, se anima

Seu cabelo é tão bonito

Dá pra trançar, deixar solto, fazer birote

Não busque aceitação nem aprovação dos algozes

A sociedade não enxerga sua beleza

Criança precisa de referência, não de Barbie preta

Identificação, Raízes, Consciência

História linda construída com suor e lágrimas

De um povo roubado de sua mãe, ÁFRICA.





Cákis

Kkis1@hotmail.com

Literaturanobrasil.blogspot.com

Cakisobrevivente.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Já assistiu?

Matéria da TVT sobre o projeto Literatura e Paisagismo - Revitalizando a Quebrada do escritor Sacolinha.