Débora Garcia lança “Coroações – Aurora de poemas” nesta sexta feira 07/11

 
Obra, a primeira publicada pela poetisa, reúne 65 textos que falam de dor, denúncia social, amor, escrita, ancestralidade e negritude; sessão de autógrafos será no Teatro Contadores de Mentira (Rua Major Pinheiro Fróes, 530, Parque Maria Helena, em Suzano), a partir das 19 horas, e contará ainda com bate-papo, intervenção cênica, pocket show e sets de discotecagem

 

Entre espinhos, flores e ancestralidade nasceu o primeiro livro da poetisa Débora Garcia, uma coletânea de 65 poemas que propõe ao leitor uma releitura do cotidiano por meio da poesia. A obra intitulada “Coroações – Aurora de poemas” será lançada nesta sexta-feira (7 de novembro), a partir das 19 horas no Teatro Contadores de Mentira (Rua Major Pinheiro Fróes, 530, Parque Maria Helena, em Suzano).

Durante a noite de autógrafos, o público presente poderá ainda participar de um bate-papo com a autora e assistir a uma intervenção cênica do poema “Coroações”, que dá nome ao livro. Na programação também está previsto um pocket show e sets de discotecagem. A obra foi organizada pela autora com o apoio técnico do Quilombhoje Literatura e da Associação Cultural Literatura no Brasil.

 Escritos por Débora em diferentes fases de sua vida, os textos de “Coroações – Aurora de poemas” falam de dor, denúncia social, amor, escrita, ancestralidade e negritude, assuntos estes distribuídos em três capítulos: “Coroa de Espinhos”, “Coroa de Flores” e “Ojá”, que simbolizam as coroas que a autora vestiu e veste ao longo de sua vida. A estruturação do livro também evidencia o momento histórico, social, cultural e emocional que motivaram a escrita dos textos.

 Apesar da abordagem crítica e combativa, fruto de muitas vivências pessoais e profissionais da autora, os textos são carregados de sensibilidade e anseios que Débora expressa em suas narrativas. Outra simbologia da obra, como ela explica, é a do nascimento

 
“Aurora no sentido literal significa o nascimento do sol, de um novo dia e a sua coloração peculiar durante esse momento. No sentido figurado, aurora significa nascimento, renovação. Com a publicação de Coroações, meus poemas nascem para o mundo, eu nasço enquanto escritora, nascem meus leitores e os poemas renascem a cada leitura, pois a essência do poema permite que cada leitor se relacione de maneira bem diferente com o mesmo texto”, diz.

 

SOBRE A AUTORA

Débora Garcia é poetisa, cantora, atriz, gestora cultural e assistente social formada pela Universidade Estadual Paulista (UNESP). Atua na Associação Cultural Literatura no Brasil desde 2009, na cidade de Suzano. Presidiu a entidade entre os anos 2012 e 2014, período em que acumulou ampla experiência em gestão cultural na área do livro e da literatura. Desenvolve e participa de projetos culturais nos quais trabalha com a literatura, música e teatro, suas áreas de atuação. Publicou seus textos em diversas antologias voltadas à literatura negra e periférica.

 

“Coroações – Aurora de poemas”

Apoio técnico: Quilombhoje Literatura e Associação Cultural Literatura no Brasil

Páginas: 104

Projeto gráfico e capa: Nina Vieira

Ilustrações: Nina Vieira e Fernando Santos

Revisão de conteúdo: Márcio Barbosa

Revisão gramatical: Priscila Rodrigues

Prefácio: Sacolinha

Orelha: Marco Maida

Quarta capa: Márcio Barbosa e Akins Kintê

Apoio Cultural: Teatro Contadores de Mentira, OK Mestre Entretenimento Hip Hop e Polo Silk Estamparia

Outras informações: E-mail deboragarcia.info@yahoo.com.br ou (11) 9 8950-9446/ 9 8598-4495


 

 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

[A BORBOLETA DE UMA ASA SÓ.].

Resenha sobre Monteiro Lobato