01 maio, 2013

Somos Mestres



A Família Garcia está em festa, pois quebrou mais um grilhão em sua história. Nos tornamos Mestres. E talvez poucos consigam entender o significado desse título para nós.
Meus avós paternos e meu avô materno, já falecidos, eram analfabetos. Assim como os demais ancestrais que se perderam em nossa genealogia. Minha avó materna hoje com 92 anos é analfabeta e sempre que vejo em seu RG, a palavra ANALFABETA, carimbada em caixa alta; sinto uma comoção quase que incontrolável, porque conseguimos vencer a muralha do analfabetismo e tenho plena certeza de que nunca mais essa palavra será carimbada em um registro de um Garcia.
Meus pais, Jorge e Laudimara, concluíram o ensino médio tardiamente. Por incentivo destes, eu e minha irmã Thais cursamos ensino superior na UNESP, após muitas tentativas, choros e superação. Fazer universidade pública, não foi um capricho pela qualidade do ensino ou pelo peso do diploma; foi principalmente, pela falta de opção. Não tínhamos alternativa, ou éramos aprovadas em uma instituição pública ou nada. Não tínhamos como custear um curso particular, não havia PROUNI, ou Cotas. À época, havia apenas o ENEM, que não tinha o peso e a importância que tem nos tempos atuais, mas ainda assim, foi imprescindível para o nosso ingresso no ensino superior.
Ao ingressarmos descobrimos que, mais difícil do que entrar, seria permanecer, tanto pelas questões socioeconômicas quanto pelos resquícios de uma formação básica deficiente. Minha irmã Fernanda está cursando Sociologia pelo PROUNI, e meu irmão Alamim, recentemente concluiu o ensino médio.
Superamos o analfabetismo, superamos a fome e a miséria que assombrou a infância de meus pais, superamos as estatísticas que envolvem, principalmente, os (as) jovens negros e periféricos que engravidam aos quinze; se tornam adictos antes dos dezoito e morrem de forma violenta antes dos trinta anos.
E essa mudança no curso de nossa história, se deve a quatro fatores que julgo fundamentais: o conhecimento, a união, a determinação e às políticas públicas.
O conhecimento nos retirou do navio negreiro, das rotas da escravidão da ignorância. O conhecimento está em nosso DNA, em nossa essência e somente nos será retirado quando sucumbirmos. A união nos fez Família. Somos uma família imperfeita, como todas, e não temos nada a não ser uns aos outros. Nos protegemos, nos acolhemos, nos fortalecemos e assim caminhamos rumo a um futuro melhor. A determinação nos fez acreditar e seguir em frente, mesmo em conjunturas desfavoráveis. E a existência de políticas públicas, foi fundamental para mudarmos a nossa história. Não quero reforçar um discurso meritocrata de “quem se esforça consegue”. Sim o esforço é um elemento crucial, mas sem as mínimas condições materiais concretas, não há esforço que baste. Ter acesso universal à educação básica e superior pública, à saúde pública, às políticas sociais; mesmo que insuficientes e deficientes, fez toda a diferença para nós que delas necessitamos.
Sim. Rompemos esses grilhões em nossa genealogia, e hoje, nos reunimos para celebrar mais uma vitória. No dia 29/04/2013, após dois anos de pesquisa e dedicação, a Zootecnista Thais Garcia foi aprovada com louvor na defesa de sua tese, e obteve o título de Mestre em Sanidade Animal pelo Instituto Biológico do Estado de São Paulo. A primeira Mestre em nossa família.
Minha avó, que não teve a oportunidade de aprender a assinar o próprio nome, não entendeu o que isso significou, aliás, ela acha que a gente estuda demais e que mulher não precisa disso. Mas, com a sabedoria de quem já viveu muito, ela nos abençoa e fica feliz, pois sabe que a vida melhorou muito porque sabemos, lemos, escrevemos. Estamos escrevendo a nossa história.

Débora Garcia.



Thais Garcia em sua defesa


Banca examinadora

Família Garcia, sempre juntos.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

23/11