19 dezembro, 2005

Crônica!

O Legado
(Por Edson Santos)

Há muitas centenas de milhares de anos, numa época, ainda não estabelecida em definitivo, daquele período de desenvolvimento da terra que os geólogos denominam terciário, provavelmente em fins desse período, vivia em algum lugar da zona tropical uma raça de macacos antropomorfos extraordinariamente desenvolvida, como conseqüência direta de seu gênero de vida, devido a qual as mãos, ao trepar, tinha que desempenhar funções distintas da dos pés, esses macacos foram-se acostumando a usufruir suas mãos ao caminhar pelo chão e começaram a adotar cada vez mais uma posição ereta. Foi o passo decisivo para a transição do macaco ao homem.
E com isso a mão passou a estar livre e podia agora adquirir cada vez mais destreza e habilidade e com o homem em formação chegaram a um ponto em que tiveram necessidade de dizer algo uns aos outros e essa necessidade criou os órgãos – a laringe. Com o homem acabado surge um novo elemento a sociedade, e o homem começa a manifestar o desenvolvimento do pensamento onde predominam o medo e a ignorância por não conhecerem o significado das coisas, e o seu primeiro pensamento foi para o sobrenatural, por exemplo, à noite, o dia, os trovões, a chuva e assim, para poder explicar alguns fenômenos naturais, a sociedade criou seus deuses com o deus da chuva, do fogo, do sol e etc e surgíramos bruxos e feiticeiros e até mágicos que exploravam a “idéia de divindade” em seu próprio beneficio e aos poucos surgiu uma classe “superior”, ou governante, e uma “inferior”, ou governada, ou seja, aqueles que eram explorados e aqueles que possuíam as ferramentas para isso e detestavam o trabalho.
Hoje ano 2005 uma odisséia na super, infra e estrutura. Tempo de globalização neoliberal da economia mundial, a era digital tecnológica onde seres humanos estão se clonando, pois a morte e a perfeição são requisitos que pela busca do consumo, vale a pena a criação de deuses do politeísmo em busca do status quo. A velocidade da luz já conseguimos na teoria cinematográfica, mas a bomba atômica ou o aparelho conseguimos na pratica e até já testamos e qualquer um pode fabricar pois as informações para se fabricar uma é de domínio público. Em meios artesanais qualquer estudante de física pode fabricar uma bomba atômica basta disponibilizar-se de uma pequena quantidade de material físsil e para se conseguir este material é só seguir a receita: utilizando urânio-235 enriquecido até 90% e utilizando plutônio-239 e mexa bem e ponha ao forno. Estes materiais podem ser encomendados pela Internet. É só tomar cuidado que no final do ciclo surgem os restos radioativos, pois só nos Estados Unidos estão armazenados, em tanques especiais de aço, entre 400 e 500 milhões de litros – com conseqüências sociais pertinentes.
Podemos ver que de milhares de centenas de anos atrás para os dias de hoje mudou-se muitas coisas o homem se desenvolveu, temos um só deus - mas varias formas de interpretar sua subjetividade – no entanto ainda estamos divididos em classes sociais permitindo assim a exploração de uma pequena
camada de homens que explora a outra imensa camada, obtendo assim um índice de doenças que mais mata hoje, que são as doenças causadas pela fome sendo que esta mesma sociedade produz de tudo 10 vezes mais que o necessário, inclusive grãos de alimentos. Tudo se destina pela busca frenética e incansável de obter lucro in finitum, predominando assim, o legado das mesmas máximas dos antropomorfos só que agora conscientemente: o medo e a ignorância por não conhecerem o significado das coisas.

Edson Santos é escritor. Participará da diretoria da Associação Cultural Literatura no Brasil, á partir de janeiro de 2006.



É HOJE! É HOJE! É HOJE! É HOJE! É HOJE! É HOJE! É HOJE!

A SECRETARIA DE EDUCAÇÃO, CULTURA, CIÊNCIA E TECNOLOGIA APRESENTA: 1º CAFÉ LITERÁRIO DE TABOÃO DA SERRA RECITAL, LEITURAS DE TEXTOS, PROSA E INTERVENÇÕES LÍTERO-MUSICAIS.
APRESENTAÇÃO DO POETA SÉRGIO VAZ

DIA 19 DE DEZEMBRO A PARTIR DAS 19HS LOCAL: AUDITÓRIO DA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO RUA ELZABETA LIPS, 166 TABOÃO DA SERRA- CENTRO
ENTRADA FRANCA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Próxima edição