27 abril, 2005

Cooperifa!

ARTE E CIDADANIA NO SARAU DA COOPERIFA

A cooperifa (cooperativa cultural da periferia) promoveu um ato poético contra a barbárie, ocorrida na baixada fluminense. Mais de 200 pessoas, entre artistas e convidados, se aglomeraram no bar do Zé Batidão, para ver e ouvir o manifesto pacífico do nosso sarau. O artista plástico, Mário Bibiano, expôs 29 painéis de pano, representando as vítimas da chacina. Os presentes puderam interagir nas obras, colocando mensagens e poemas como prova de indignação pela tragédia. Os presentes, que na sua maioria nunca foram ao museu ou a pinacoteca, puderam prestigiar, pela primeira vez, uma instalação artítisca, ali, ao seus pés, sem sair do bairro. Como prova de agradecimento, a comunidade permaneceu em silêncio e agradeceu com generosos aplausos. Suor e lágrimas e nenhuma gota de sangue - talvez por isso a ausência dos helicópteros do cidade alerta e do Brasil urgente-, numa noite repleta de arte e cidadania, de consciência e atitude, quando a maioria prefere a omissão. Covardia também é pobreza, e fica na periferia da alma, longe dos olhos, mais bem perto da mediocridade, para delírio dos demônios de plantão. Apesar do manifesto, o rancôr não foi convidado. Apesar das lágrimas, o ódio não foi regado. Apesar de toda essa guerra, o ser humano foi preservado. Apesar de tudo e de todos, foi uma noite de paz, como todas as outras deveriam ser. Paz.

* Nesta quarta-feira a Cooperifa vai promover o sarau de bebê (menina) da poetisa Pillar, que passa por momentos de dificuldades financeiras. Todos que comparecerem ao sarau deverão, se possível, levar um presente para o nenê, ou simplesmente passar para abraçá-la.

*Dia 11 de maio a cooperifa e o site www.leialivro.com.br vão promover o sarau do dia das mães. Neste dia, as mães da comunidade e as que frequentam o sarau, serão presenteadas com um livro e uma rosa, ofertado pelos poetas da casa. A maioria dos livros foram doados pelo site "LEIA LIVRO", e faz parte da campamnha contra a cegueira (quem lê enxerga melhor) e de incentivo á leitura deflagrada pela cooperifa como, parte da evolução cultural que é a filosofia do movimento.

*Obs. tiramos o R da palavra revolução. Alguns livros foram doados por poetas.

Sérgio Vaz

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Cidinha da Silva em Suzano