23 abril, 2005

Novo texto!

Mais um dia
(Robson Canto)
Maria desperta de um sono profundo. Acabara de ter um sonho confuso, com seu marido, tentou se lembrar de algo mais não conseguiu.Maria se senta na cama, e tenta ver as horas com a luz que entra pela fresta do barraco, são 15 pras 4 da madrugada. Maria levanta esfregando as mãos, pois o frio da madrugada estava sendo implacável, caminha até a pia, e acende a luz, e olha pras duas filhas, que dormem juntas em outra cama. Andressa a mais nova de 3 anos, se mexe por causa da luz em seus olhos. Maria sorri com dó de sua filha.Maria pega o bule de café, e, despeja na pia o resto de café do dia anterior, em seguida lava o bule e coloca água dentro, acende uma boca do fogão, e, coloca o bule.Maria lava os pratos e os copos, e passa uma água no coador de pano, e, coloca duas colheres de pó de café. Abre a tampa do forno do fogão e retira o açucareiro. Espera mais alguns minutos até a água ferver, coloca três colheres de açúcar no bule, e, enche um copo pra si, bebe alguns goles e caminha até a cama das filhas, senta na beirada da cama e põe a mão nas costas de Joelma, com o cuidado de não acordar Andressa. Joelma acorda um pouco assustada.“- Que foi mãe?”“- Jô to saindo pra catar latinhas, cuida da sua irmã!”“- Mais mãe hoje eu tenho prova de matemática, a professora disse que eu precisava de nota!”“-Eu sei filha depois eu falo com sua professora!”“- Cadê o pai?”“- Deve ta caído bêbado por ai pela favela! Tem biscoito no fogão, toma café com a Dessa!”Maria beijou Joelma e se levantou, tomou o resto do café morno e saio pra rua em busca de latinhas. Uma hora depois de ter saído de casa é que Maria encontrou a primeira latinha.As 8:00 hs, Maria entrou em uma padaria, recolheu uma meia dúzia de latinhas de dentro dos cestos de lixo, quando estava saindo um senhor de cabelos grisalhos lhe chamou. Maria olhou pro homem, pensando que fosse tomar uma bronca. O homem lhe estendeu um copo cheio de café e um pão com margarina. Maria lhe agradeceu um pouco emocionada, e saio pra fora, se alimentou em pé mesmo, depois continuou sua busca.No fim do dia exaustivo, Maria conseguiu uma boa quantidade, foi ao ferro velho vender o que tinha conseguido.Antes de chegar em casa, Maria passou na granja, comprou um pouco de carcaça, iria fazer a sopa que as meninas tanto gostavam.Ao sair da granja, viu seu marido, não o via a dias, desde quando ele saio de casa pra ir morar com sua amante. Percebeu que ele iria dizer algo, abaixou a cabeça e saio em passos lentos, depois Maria pensou:“- Eu não preciso dele pra nada.”Ao chegar em casa, viu o sorriso de suas filhas, ao vê-la entrar, isso foi o suficiente pra esquecer o cansaço do dia e ter força para o próximo.
Robson Canto é morador do bairro Heliópolis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

23/11