27 janeiro, 2006

+ Poesias +

Nóis é...
Marco Pezão (out/05)
Nóis é Ponte e atravessa qualquer rio
Nóis é Ponte e atravessa qualquer rio
Nóis é Ponte e atravessa qualquer rio...

Conjugue esse verbo
Errada consonância
Na maneira de dizer...

Nóis é Ponte e atravessa qualquer rio...

O nóis pra nós
É singular
O nóis pra nós
O plural é pessoal

Nóis é Ponte e atravessa qualquer rio...

Felicidade
Individuo
Coletividade
Não acredite
Que a esperança
Apareça sem cultivar
Não odeie
Ame sua própria idade...

Nóis é Ponte e atravessa qualquer rio...

Toque de lado
Receba na frente
Invada a área
E faça o gol...

É bola
Tá na malha da gaiola...

Nóis é Ponte e atravessa qualquer rio...

Não se subestime
Mostre força
Encare o real
Deixe de lado o mal
Sem ser bom de todo
Senão o mundo te faz tolo
E ninguém é biscoito
Pra se deixar comer...

Nóis é Ponte e atravessa qualquer rio...

Busque outra margem
Ser esperto não é vadiagem
Não importa cor, nem dor
Vermelho, Branco, Moreno, Amarelo, Mulato, Mameluco
Seja maluco numa boa
Assuma o leme
Atravesse a ponte...

Nóis é Ponte e atravessa qualquer rio...

Boi, boi, boi, boi da Ponte Preta
Ensine essa criança
A não ter medo de careta...

Nóis é Ponte e atravessa qualquer rio...


Escritor que processa TV Globo por plágio lançara 4ª edição de “Chuva de Novembro”
No dia 2 de fevereiro, às 20h, o escritor Carlos de Andrade estará autografando a 4ª edição do livro “Chuva de Novembro”, em Suzano. O evento será realizado no Centro de Educação e Cultura “Francisco Carlos Moriconi” (Rua Benjamin Constant, 682 – Centro).
A obra está no centro de uma polêmica judicial. Isso porque no dia 20 de setembro passado, Andrade entrou com um processo na 33ª Vara Cível de São Paulo, acusando a TV Globo de suposto plágio do livro na trama central da novela das seis, "Alma Gêmea". Na ação, Carlos de Andrade afirma que a trama de reencarnação de "Alma Gêmea" é um plágio de seu livro e pede 10% da receita da novela."Chuva de Novembro" conta a história do músico Caio (equivalente a Rafael/Eduardo Moscovis em "Alma Gêmea"), que se apaixona por Caressa (Luna/Liliana Castro) e dá a ela uma "rosa única", amarela (branca na novela), despertando a raiva de sua prima Regina (Cristina/Flávia Alessandra).
Regina se alia a Gaviola, um marginal (Guto/Alexandre Barilari) para provocar ciúmes em Caio. Mas o plano dá errado e Caressa morre. Assim como na novela, o mocinho adota uma vida reclusa, conversando com um retrato da amada, e a alma da mocinha reencarna imediatamente.

Mais informações pelo telefone (11) 7212-4438 ou através do site www.chuvadenovembro.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Minha Literatura, Minha Vida - Casa de Cultura Raul Seixas

      Neste sábado 09/12 às 13h, a Casa de Cultura Raul Seixas recebe o escritor Sacolinha com o projeto Minha Literatura, Minha Vida.  ...