20 abril, 2006

Vem aí...

Cooperifa revela sua poesia em CD lançado

pelo Itaú Cultural

O CD Cooperifa reúne a obra de 26 poetas moradores de bairros distantes do centro de São Paulo; peças relatam as inquietações, aspirações, reflexões e o cotidiano triste e violento desses autores quase anônimos

O Itaú Cultural lança dias 29 e 30, às 19h30 na Sala Itaú Cultural, o CD “Sarau da Cooperifa”. Com a participação de 26 poetas desconhecidos do grande público, a obra dá voz à produção da periferia da zona sul de São Paulo. Trata-se de um recorte entre as centenas de participantes do Sarau da Cooperativa Cultural da Periferia (Cooperifa), criado por poetas como Sérgio Vaz e Marco Pezão e realizado todas as quartas-feiras no Bar do Zé Batidão no bairro de Piraporinha, zona Sul de São Paulo.

“Nóis é ponte e atravessa qualquer rio”, a frase de Pezão cunhada na contracapa do CD joga luz sobre o trabalho contido nesta obra e sobre a proposta da Cooperifa. A cooperativa foi fundada em 2000 com o objetivo de criar um espaço de expressão na periferia reunindo artistas e pessoas comuns para desenvolver atividades culturais e também para estimular a leitura e a escrita.

O resultado é uma farta produção poética urbana na qual os moradores dos bairros mais afastados do centro falam de suas inquietações, aspirações, reflexões. São anônimos que atuam em diversas áreas – como professores, metalúrgicos, donas de casa, vigilantes, bancários, desempregados, aposentados – e vêm de todas as regiões do país para viver em São Paulo.

Um deles é Seu Lorival, um aposentado de 68 anos que começou a escrever poesias depois de conhecer a Cooperifa. É dele o poema “O Homem Necessita se Casar”, que pode ser ouvido no CD, no qual conta a história de um idoso solitário que perdeu a vida e a casa por causa de uma mulher. “Antônio”, de Helber Ladislau Araújo, impressiona pela realidade e crueza ao contar a história do assassinato de um pai quando ia ver o filho recém-nascido e da tristeza do avô desse bebê ao perder mais um filho de modo tão violento. Esta poesia foi inspirada em conflitos ocorridos no Rio de Janeiro, hoje realidade de todas as periferias.

“Campo Limpo Taboão”, poema melancólico de autoria de Binho, lamenta a transformação do bairro de terrenos baldios e vacas nas ruas em um local repleto de prédios, delegacias e puteiros, como escreve. O próprio Sergio Vaz, autor das publicações independentes “Subindo a Ladeira Mora a Morte”, “A Margem do Vento”, “Pensamentos Vadios” e “A Poesia dos Deuses Inferiores”, participa do CD com o poema “Um Sonho”, uma ode à paz e à liberdade.

A realização deste que é o primeiro CD do Cooperifa só foi possível graças à parceria do grupo com o Itaú Cultural. Em 2004, a instituição, em conjunto com a Associação Basílio da Gama, também incentivou e ajudou a divulgar a poesia urbana da periferia com a edição do livro “Rastilho da Pólvora”, com a obra de 53 poetas.

SERVIÇO

Lançamento do CD Cooperifa

Dias 29 e 30 (sábado e domingo), às 19h30

Sala Itaú Cultural (255 lugares)

Entrada gratuita (ingressos distribuídos com meia hora de antecedência)

Estacionamento com manobrista: R$ 6,00 a primeira meia hora; R$ 8,00 a hora completa;

R$ 4,00 a segunda hora, e R$ 2,00 por hora adicional

Estacionamento gratuito para bicicletas

Acesso para deficientes físicos

Ar condicionado

Cristina R. Durán
Conteúdo Comunicação
Tel. 55-11-3093-7824
cristina.duran@conteudonet.com
www.conteudocomunicacao.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Já assistiu?

Matéria da TVT sobre o projeto Literatura e Paisagismo - Revitalizando a Quebrada do escritor Sacolinha.